TAG Literária - Copa do Mundo

Eu que sou a loka das TAGs e blogagens coletivas vi essa no Sem Serifa e não me aguentei! Vim correndo responder, obviamente. Fomos eliminados da Copa do Mundo da Rússia, mas se é para falar de livros a gente arruma qualquer motivo! E aí, se animou? Quer responder também? Copie as perguntas e mencione o blog Sem Serifa, criador da tag original!




Pênalti: um livro que te encheu de esperança
Acho que posso citar O Livro do Juízo Final, da Connie Willis. O tom do livro parece ser péssimo para esse quesito, mas o livro fala de uma viajante do tempo, dedicada à sua área de estudo, que testemunha um evento histórico. Ela não está atrelada a um personagem masculino, não é par romântico de ninguém e o livro foi escrito por uma das maiores autoras da FC. Terminei o livro me sentindo contemplada, como se este livro tivesse sido escrito para mim.

Prorrogação: um livro que merece continuação
Existem livros que não precisam de uma continuação, mas a gente gostaria de ver por ter se apegado aos personagens e ao enredo em si. Um livro que eu gostaria de ter lido uma continuação seria Solaris, de Stanislaw Lem, apenas para saber mais sobre o planeta e seu mar misterioso.

Impedimento: um livro que alguém precisou explicar para você
Sem dúvida alguma foi Valis, do Philip K. Dick, autor com quem eu tenho uma relação bem conflituosa. Eu li 100 páginas dele e não entendi nada. Depois tentaram me explicar e aí é que eu não entendi nada mesmo.

Goleiro: um autor ou livro que segurou a barra, mesmo com várias críticas
Americanah, da Chimamanda Ngozi Adichie, foi um livro que me ensinou muito, mesmo que a discussão racial dele tenha sido um tanto diluída para uma audiência branca como eu.

7×1: um livro que te deixou derrotada
O mais recente foi A Parábola do Semeador, de Octavia Butler. Cheguei ao final sem saber se tinha lido uma distopia ou uma história real, pois há tantos paralelos a se fazer com a realidade que nem parece que o livro é dos anos 1990.

Canarinho pistola: um livro que você leu usando a força do ódio
O Androide, de Paulo de Castro. O livro é tão ruim, tão mal escrito, tem tantos problemas e estereótipos que eu cheguei ao final querendo arremessar pela janela. Mas deixei na estante do Leve Livro da estação de trem mesmo e passei a bomba pra outra pessoa.

Hexa: um livro que você não perde a esperança de que vai ler
O Conde de Monte Cristo! Um dia ei de lê-lo-lhe! Eu amo o filme com o Jim Caviezel e já me avisaram que o livro é infinitamente melhor. Mas sabe quando não parece que chegou o seu momento com o Edmond? Então, estou esperando o momento. Um dia vai!


Até mais! ⚽

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

  1. HAHAHA tags literárias sao divertidas demais!! tbm quero mt ler o conde de monte cristo

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.