Scully e Mulder

Poucos casais são tão lembrados na ficção científica quando Dana Scully e Fox Mulder. Justamente pela natureza atípica do relacionamento entre eles, ambos se tornaram icônicos para toda uma geração de fãs e por nove temporadas alimentaram nossos desejos por mistérios, conspirações, mitologia e relacionamentos. Complexos e inseparáveis, Mulder e Scully romperam padrões para casais em séries de televisão.



Os Arquivos X
Dana Katherine Scully é médica de formação, cética e cientista racional. Ela foi designada pelos seus superiores no FBI para ser parceira de um incômodo para o bureau. O agente especial Fox William Mulder, mesmo com todo o seu potencial para trabalhar em outra área, escolhe mexer com os arquivos X, aqueles casos sem explicação que foram engavetados e que carecem de investigação. A função de Scully? Desqualificar o trabalho de Mulder com o seu rigor científico e desmascarar suas reais intenções com tudo aquilo, que era procurar sua irmã desaparecida, Samantha.

Scully
Agente especial Dana Scully

Em alguns episódios a gente realmente tem a impressão que Scully está prestes a trair a confiança de Mulder. E em uma ocasião chegou a atirar nele. Mulder se mostra um crédulo, que percebe o que ninguém percebe em um caso estranho e se mostra aberto à todas as possibilidades. Acredita ter testemunhado a abdução de sua irmã por alienígenas e se rende a isso de tal maneira que norteia sua vida profissional. Quem começa a assistir Arquivo X, logo imagina que entre os dois logo terá algum relacionamento paralelo ao trabalho. Ambos são castos,, algumas vezes até repelentes, mas totalmente inseparáveis.

A natureza do relacionamento
É bastante interessante de notar como duas pessoas que parecem completamente diferentes se amam. Scully é cética, racional, fria e fiel seguidora da ciência, mas é católica praticante, vai à missa todos os domingos e se confessa com certa frequência. Mulder é crédulo, acredita no sobrenatural, na paranormalidade, em alienígenas e em monstros, mas é ateu. Esta interessante inversão parece, em um primeiro momento, ser capaz de separar os dois, que chegam a discutir várias vezes a respeito de métodos, pistas e evidências. Mas quando um titubeia, o outro está sempre por perto para amparar.

Chris Carter, o criador da série, sempre deixou claro que não haveria relacionamento amoroso e sexual entre os dois. Havia apenas o trabalho e a vida solitária para ambos. Cenas inicialmente gravadas de Scully namorando foram cortadas para mostrar a dedicação e a vida quase celibatária dos personagens. Mas existe uma tensão sexual bastante intensa em toda a série e muito evidente de maneira sutil. Trocas de olhares, os poucos, mas significativos toques e abraços. Percebe-se o desejo tanto da parte de Scully quanto de Mulder pelo outro, mas uma regra moral e uma barreira invisível os impedem o tempo todo. O trabalho vinha em primeiro lugar e por isso, pessoas queridas morreram como os pais de Mulder, a irmã de Scully e vários amigos, como os Pistoleiros Solitários.

Mulder é extremamente dependente de Scully durante toda a série. Já no final da primeira temporada, ele parece não raciocinar direito com a ausência dela, o que fica bem claro quando ela é abduzida algumas semanas depois. Ambos estão apaixonados um pelo outro, mas não se dão conta ou se negam a aceitar. O aparente controle e falta de interesse são os ingredientes necessários para não separar os dois.

Mulder e Scully
Inseparáveis

A vida de ambos é muito solitária. Em alguns momentos, isso fica evidente por algumas ações inconsequentes. Mulder é viciado em pornografia, tendo uma gaveta com várias fitas VHS em sua mesa no escritório do FBI ou revistas que folheia com frequência. Scully, enfrentando um tédio e vendo pouco sentido na vida, resolve fazer uma tatuagem, em uma das poucas cenas sensuais envolvendo um dos personagens.

Acredito que o que mais fascina no relacionamento dos dois é a extrema devoção de um pelo outro. Um relacionamento que foi construído ao longo dos anos, com respeito, cuidado, às vezes medo, mas sem desamparar ou abandonar o outro. Em um mundo onde os relacionamentos são criados na base do impulso, da paixão arrebatadora e da atração física, Scully e Mulder tiveram tempo para provar o melhor e o pior do outro e assim tiveram a certeza de estarem com o seu oposto perfeito, aquele que o coloca em perigo, mas aquele que o salva, sempre que necessário.

Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.