Resenha: Edgar Allan Poe - Medo Clássico, Vol. 2

Com o sucesso que foi o primeiro volume do Medo Clássico, trazendo as principais obras do mestre gótico, a DarkSide, diabólica que só ela, trouxe um segundo volume, menos robusto, mas recheado de obras menos conhecidas, poemas e cartas de Poe, que nos revelam um pouco mais de sua vida, obra e angústias.



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro

(...) a única solução contra o esquecimento é manter-se vivo - ainda que mumificado por longos séculos.

Página 17

Este volume tem doze contos, três poemas, cartas e uma linha do tempo biográfica. É separado por temas, O Enigma dos Duplos; Crias do Grotesco; No limiar da Morte e; Poemas & Cartas que finaliza a obra de maneira muito pessoal, nos dando um vislumbre de algumas passagens de sua vida e seus pensamentos. Há também fotos de seus parentes, paquerinhas e amigos no final como em um álbum de retratos.


O tom que norteia a obra em si é o tema da dualidade, dos duplos, tema que perseguiu o autor em sua vida. Os escritos de Poe nos forçam a enxergar a dualidade que existe em cada um de nós. Somos capazes de fazer coisas boas, más ou totalmente indiferentes, pois em cada um de nós há luz e sombra, bem e mau. A quem você dará ouvidos na maior parte do tempo dependerá de seu caráter, de sua vida, de sua disposição. Poe tinha seu duplo, o seu "demônio da perversidade", com quem conviveu de maneira muitas vezes conflituosa e que foi inspiração em várias passagens de seus escritos.

Esse tom também está recheado da melancolia da perda, de como os seres humanos têm medo e evitam o seu derradeiro fim e todas as inquietações envolvidas. Vemos de perto, já desde o primeiro volume do Medo Clássico, como esse demônio da perversidade persegue Poe, atormenta seus dias, sabota seus feitos, algo que tantos escritores conhecem muito bem...

A lua jamais desponta reluzente
Sem trazer seu rosto à minha mente
As estrelas nunca brilham luzidias
Sem que me recorde de nossas alegrias
E quando chega a fria madrugada
Repouso junto de minha amada
Fiz do cemitério nosso lar
Em um túmulo solitário à beira mar.

Do poema Annabel Lee, página 193

Senti que os contos e poemas foram mais agradáveis de ler do que os do primeiro volume. Alguém que não tenha familiaridade com a obra de Poe pode se sentir intimidada com os contos reunidos no volume 1 do Medo Clássico, mesmo que não sejam carregados pelo horror gótico pelo qual muitos o conhecem. É também aquele que senti ter mais pessoalidade, em alguns momentos os enredos parecem claramente autobiográficos. As cartas no final ajudam a dar este tom íntimo do autor com aquele que está lendo seus escritos. As cartas pessoais em si são dotadas de uma grande melancolia, uma das características mais marcantes de Poe.

A edição da DarkSide segue o padrão demoníaco de perfeição e qualidade. Com uma excelente introdução de Marcia Heloisa, tradutora e estudiosa do gótico (também tradutora do primeiro volume e de Drácula), o livro conta com belas ilustrações em preto e branco de Hokama Souza, que são um espetáculo a parte. A obra está bem traduzida, diagramada e revisada. Está em capa dura, seguindo um modelo semelhante ao do primeiro volume, só que marrom ao invés de preto. Tem a famosa fitinha marcadora de páginas e dois pôsteres de Poe dobrados nas contracapas, o que a meu ver incomoda um pouco a leitura na hora em que viramos as páginas.


Obra e realidade
Tendo perdido os pais antes dos três anos de idade, Edgar Allan Poe foi separado dos irmãos e criado por outro casal. Alçou pouco sucesso como escritor, foi pouco ou mal compreendido pela cidade natal, muito menos reverenciado pelos cidadãos de Boston. Rondado pelo espectro da morte, ela parece acompanhar seus contos, às vezes como uma coadjuvante, outras vezes como uma protagonista imperdoável. Impossível não sentir a inquietude de Poe em seus escritos, de não sentir suas perturbações pelas linhas que acabaram elevando seu nome a um status de mito depois de sua morte, esta ainda tão misteriosa quanto seus escritos.


Pontos positivos
Ilustrações
Contos e poemas de Poe
Histórias de suspense e terror
Pontos negativos
Pôsteres nas contracapas
Alguns contos chatos

Título: Edgar Allan Poe: Medo Clássico Vol. 2
Autor: Edgar Allan Poe
Medo Clássico Volume 1
Tradutora: Marcia Heloisa
Ilustrador: Hokama Souza
Editora: DarkSide
Ano: 2018
Páginas: 240
Onde comprar: na Amazon ou na loja da DarkSide


Avaliação do MS?
Este não é só um livro que reúne contos, poemas e cartas do autor, é também uma homenagem a Poe e seu legado, um compêndio preparado para os olhos modernos que nos levam direto à mente e às perturbações do autor. Mais um livro caprichado para fãs e para aqueles que querem conhecer seu trabalho. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também.


Até mais! 💀


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.