Resenha: A Vida Não Me Assusta, de Sara Jane Boyers, Jean-Michel Basquiat e Maya Angelou

Em mais uma linda edição do selo Caveirinha, crianças trevosas e fofas agora têm à sua disposição uma obra sobre resistência. A Vida Não Me Assusta tem como foco o público infantil, mas qualquer um pode contemplar a arte de Basquiat e o poema de Maya, não importa a idade que tenha.



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro
Lançado há 25 anos nos EUA, o livro junta as artes de Basquiat e Maya Angelou. O livro saiu quando Basquiat já tinha morrido, infelizmente, mas a obra traz sua arte para o público infantil que, muito provavelmente nunca ouviu falar sobre ele, ou mesmo de Maya. E quem sabe até mesmo para o público adulto.

Resenha: A Vida Não Me Assusta, de Sara Jane Boyers, Jean-Michel Basquiat e Maya Angelou

Eu grito SAI!
E correndo ele vai
E faço zoeira
Da sua carreira
Eu não vou chorar
Ele terá de voar
E eu me divirto
Com o seu faniquito
Nada na vida me assusta

Todo ser humano é dotado de coragem quando precisa enfrentar o que lhe assusta. Do medo do escuro, aos monstros embaixo da cama, nós crescemos, achamos que abandonamos o medo lá nos anos infantis, mas basta um estalo dentro da casa na madrugada para nos enrolarmos embaixo das mantas. O medo do cão do vizinho, medo do gato do muro, o medo nos invade, nunca nos abandona, e tal como um incômodo persistente, precisamos conviver com ele para sempre.

Sempre desconfie de quem diz não ter medo de nada. Capaz que ela tema ter medo e prefira dizer que se livrou dele. O poema de Maya e a arte de Basquiat ilustram esse temor ancestral que carregamos, que não vai embora, não nos abandona, que está sempre lá. Conforme passamos pelas frases e pinturas, vemos que o livro, mais do que apenas um livro para crianças é um livro de arte, um lembrete sobre a coragem que existe em todas nós.

O que em um primeiro momento parecem borrões indistintos de tinta, mostram dentes afiados, sombras ameaçadoras, olhos vidrados e braços abertos em fuga. Animais que podem tomar a forma dos nossos medos mais profundos atrás de muros, estranhos que espreitam pelos cantos. Sensações transportadas para a tinta e para as letras.

A edição da DarkSide segue a capa da edição original, formato quadrado e capa dura. No final há uma biografia tanto sobre Maya quanto do próprio Basquiat e um posfácio de Sara falando sobre como foi trabalhar neste livro. E há o poema de Maya na íntegra e em inglês no final.

Obra e realidade
A vida não me assusta poderia ser o título da biografia de ambos. Cada um à sua maneira, precisou enfrentar abusos, violência, racismo e diversos obstáculos na vida. Sara comenta no posfácio como que os dois, mesmo atuando em artes distintas, a escrita e a pintura, conseguiam dialogar entre si a respeito de medos, perseverança, sobre o mau e o bom, sobre descobertas e redescobertas.

Maya cresceu lado a lado com a segregação racial dos Estados Unidos, sofreu violência sexual aos 7 anos de idade, que a fez parar de falar por cinco anos. Leitora voraz de tudo o que parava em sua mão, Maya lutou para se sustentar e sustentar a família, tendo sido muito atuante nos movimentos pelos direitos civis, tanto nos Estados Unidos quanto fora. Foi ponte de diálogo entre Malcolm X e Martin Luther King e escreveu livros poderosos e emblemáticos, como sua famosa biografia, Eu Sei por que o Pássaro Canta na Gaiola.

Basquiat também teve uma infância difícil, mas sempre demonstrou o interesse artístico, com seus cadernos de escola rabiscados e desenhados. Filho de pai haitiano e mãe porto-riquenha, Basquiat deixou a casa dos pais ainda adolescente e foi morar na Baixa Manhattan, local de arte e desafio, onde sua arte encontraria lugar e admiradores.

Maya Angelou e Jean-Michel Basquiat

Baderna e pancada
De brigões na madrugada
Nada na
vida
me assusta

Pontos positivos
Ilustrado
Obras de Basquiat
Encadernação e cores
Pontos negativos

É curto
Para crianças pode ser inteligível em algunas partes

Título: A vida não me assusta
Título original em inglês: Life doesn't frighten me
Autores: Sara Jane Boyers, Jean-Michel Basquiat e Maya Angelou
Tradutora: Anabela Paiva
Editora: DarkSide
Páginas: 48
Ano de lançamento: 2018
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Esse é mais um daqueles livros que eu queria ter quando era criança. Que eu poderia folhear as páginas, captando as mensagens do poema aos poucos noite a noite. Talvez não tivesse sido a criança medrosa que fui. Mesmo que você seja uma criança grande, o poema serve. Se você for adolescente, serve também, passou dos 60, 70, 80? Serve. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também.

MUITO BOM!

Até mais! ♥️

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.