E-reader ou tablet? O que é melhor para leitura?

Muita gente que se aventura nos ebooks pela primeira vez se faz essa pergunta: qual a diferença entre um e-reader e um tablet? Pra que investir em um Kindle, um Kobo, um Lev, se eu eu posso ler em um tablet pelos aplicativos dos dispositivos? A questão que você deve se perguntar mesmo é: eu leio muito ou leio pouco? No Dia Nacional do Livro, vamos falar de leitura!

E-reader ou tablet? O que é melhor para leitura?



O volume de leituras é um fator determinante para você investir em um e-reader. Mas existem outros: como você lê, quanto tempo você tem e o que você mais gosta de ler. Eu já falei aqui no blog algumas vezes de como um Kindle catapultou minhas leituras. Em 2012, antes do Kindle, eu li 30 livros no ano. Em 2013, eu tinha lido 76, a grande maioria no Kindle. Então, veja que foi mais que o dobro de leituras, além da economia que fiz em não precisar comprar edições físicas de livros que eu nem tinha gostado muito.

Então, aqui vão algumas dicas para você escolher entre um e-reader (qualquer um) e um tablet:

Se você lê muito
Sem dúvida, o ideal é ter um e-reader. Ele foi feito para isso, serve apenas para leitura. Foi criado pensando naquela pessoa que senta com seu livro e passa horas grudado nele, sem interrupções, sem notificações no Instagram ou no Facebook. O formato, o peso, a tela de e-ink, a bateria que dura semanas, tudo isso faz do e-reader a melhor ferramenta para você usar. Se você ler meia hora por dia, precisará carregar seu Kindle uma vez por mês. É sério. Um tablet não.

Quem lê muito acaba com a vista cansada depois de um tempo. As telas de LCD de tablets e smartphones são cansativas para você ficar grudada nelas porque você está, literalmente, olhando para uma fonte de luz. A tela dos leitores de ebooks não reflete, nem nos modelos como o Kindle Paperwhite que possuem retroiluminação, e você pode ler por horas sem prejudicar as vistas. Você pode ler no quintal, em um dia ensolarado e a tela não vai te incomodar.


Se você lê mais quadrinhos e graphic novels
As telas dos e-readers não são em cores. Você vê tudo em preto e branco. Então se você curte ler quadrinhos, mangás e graphic novels em geral, um tablet pode ser uma boa opção. Muitas vezes algumas partes do enredo de um quadrinho podem depender da cor de um personagem, de um objeto, e faz toda a diferença você poder enxergá-la.

Livros infantis é a mesma coisa, o e-reader básico, menor que uma folha A5, não é apropriado para imagens grandes e coloridas. Para o caso de ler apenas texto reto, com poucas ilustrações, como livros com mais de 100 páginas, o e-reader ainda é uma vantagem.


Se você lê ao ar livre
Um e-reader é a melhor opção. As telas sem reflexo de e-ink (tinta eletrônica) são excelentes para você ficar embaixo de um guarda-sol lendo em um belo dia ensolarado. No caso de tablets e smartphones, nem com todo o brilho da tela você consegue enxergar direito o que está escrito. Isso porque a luz externa é mais forte e brilhante do que a do LCD. Posso pegar meu kindle e ir para a rede no quintal tranquilamente, que vou ler com a mesma legibilidade que um livro físico.


Se você quer acesso a várias lojas
O Kindle é da Amazon, o Kobo é da Livraria Cultura e o Lev é da Saraiva. Em geral, as grandes livrarias disponibilizam seus ebooks em todas as grandes lojas. Se você quiser acesso a todas elas e assim poder comprar livros pelos melhores preços, é só baixar os apps das lojas no seu tablet e aproveitar. Os apps são tão bons quanto os dispositivos, tanto que mesmo tendo o Kindle eu leio pelo celular onde eu estiver, o quanto eu quiser.

Como autora autopublicada, meus ebooks estão na Amazon, mas não estão disponíveis em outras lojas, além da loja Kindle.


Se você estuda e faz anotações
Quem faz faculdade ou pós sabe: a gente gasta uma grana lascada com impressão e cópias. Não seria ótimo ter artigos e capítulos de livros disponíveis de maneira eletrônica? Infelizmente, o Kindle não é bom para isso. Textos com gráficos, tabelas, ilustrações e fotos em alta resolução, o tablet se sai melhor, especialmente em textos acadêmicos. A academia ainda não chegou nos e-readers, o que é uma pena. Dependendo do tamanho da tela do tablet, você consegue estudar por um arquivo em PDF, ver as imagens, interpretar as tabelas tranquilamente.

Um e-reader ainda não é confortável, tampouco prático para você estudar. Quando eu estava no mestrado, tentei converter alguns artigos em PDF para ler no Kindle e ficou uma porcaria.


O preço
O modelo mais básico do Kindle, sem tela retroiluminada, 4GB de memória, custa 299 reais. Em uma Black Friday você pode conseguir um desconto de até 100 reais. Existem modelos com iluminação, como o Kindle Paperwhite, que custa por volta de 470 reais. Um bom tablet, de tela grande e boa memória, pode ser bem caro. Um modelo mediano não sai por menos de 500 reais. Aqueles bem grandes, super confortáveis para ler quadrinhos, pode passar dos dois mil reais.

Meu Kindle se pagou muito rápido. E eu leio muito, por horas, o que para mim compensa bastante. Mas sei que se eu estivesse na faculdade, um tablet teria sido de grande ajuda para os estudos. Você tem que pesar bem os prós e os contras dos dois dispositivos caso não queria investir nos dois. Se você começou lendo pelo tablet e percebeu que passa horas na leitura, vale à pena investir num e-reader. E mantenha os apps no seu tablet, caso queira ler quadrinhos, por exemplo.

O que importa mesmo é que você esteja confortável para viajar na leitura.

Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. Amo meu Kindle mas ultimamente sinto que poderia ajudar se eu tivesse um tablet. Não para estudos, mas para centralizar o que tenho da amazon, da kobo e o que gostaria de ter se assinasse o Scribd (meu sonho de princesa mais recente além do tablet em si)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tablet é igual a celular, se você comprar um bem basicão ele vai envelhecer rápido. E um tablet ótimo é caro. A gente fica sem ter muita escolha.

      Excluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.