10 coisas que você não sabia sobre Eu, Robô

Eu, Robô (2004) não é um filme adorado pelos fãs de ficção científica. Apesar disso, gosto muito das discussões feitas nele sobre inteligência artificial e entendo como deve ter sido difícil ter que carregar o nome de um livro de tamanha importância para as telas do cinema. Eu, Robô é o famoso livro de Isaac Asimov com diversos contos interligados a respeito de robótica e sobre as contradições a respeito das três leis que regem os autômatos do autor.




Dirigido por Alex Proyas (o mesmo de O Corvo), o longa teve um orçamento de 120 milhões de dólares, tendo faturado cerca de 350 milhões em bilheterias. Estreou no Brasil em 6 de agosto de 2004. Teve trilha sonora do veterano Marco Beltrami e avaliações meio que em cima do muro em sites especializados.

10. Audi RSQ
O carro utilizado pelo personagem de Will Smith é o carro conceito da Audi RSQ que foi criado exclusivamente para o filme. O diretor Alex Proyas deu alguns palpites no design para ficar do jeito que ele queria. Os outros veículos vistos no longa são os modelos Audi A2, A6 e TT modificados.

9. Eu, Robô
A ideia de um robô se escondendo em um grande grupo de robôs idênticos a ele veio do conto Pequeno Robô Perdido, que está na coletânea original de Asimov, Eu, Robô. Já o sonho de Sonny, no qual os robôs são libertados, vem da coletânea Sonhos de Robô um conto e também um livro de contos, uma continuação de Eu, Robô, com novos histórias a respeito.

8. Harold Lloyd
O nome do outro motorista envolvido no acidente de carro com o detetive Spooner, que acabou mutilando o detetive, é Harold Lloyd, ator e comediante do cinema mudo norte-americano, que perdeu vários dedos após um acidente com bomba cenográfica mal montada.

7. VIKI
VIKI é a vilã do filme e sua vontade de tomar o controle da sociedade das mãos dos seres humanos para manter a ordem é conhecida como lei zero da robótica: um robô pode não prejudicar a humanidade, ou por inação, permitir que a humanidade se prejudique. Diferente da primeira lei da robótica, que é de caráter individual: um robô não pode ferir um humano ou permitir que um humano sofra algum mal.

6. Acidente
Na cena em que Will Smith perde controle com uma moto, em alta velocidade, ele de fato perdeu o controle e arrebentou com a moto antes de cair dela, a quase 100km por hora. A moto é uma MV Agusta F4-SPR, que só teve 100 exemplares produzidos no mundo.

5. Sonny
O robô consciente Sonny foi criado da mesma maneira que Gollum, na trilogia Senhor dos Anéis. Quem fez os movimentos e a voz do robô foi o ator Alan Tudyk (Firefly), bastante elogiado pelo diretor e pelos colegas de cena por sua atuação.

4. Alfred Lanning
O Dr. Alfred Lanning, pioneiro da robótica, nasceu em 1971 e tinha 64 quando morreu, mesma idade do ator que o interpretou no filme na época, James Cromwell. Isso coloca o filme em 2035.

3. O Planeta Proibido
O design da sala do executivo da U.S. Robotics, Lawrence Robertson, foi baseada no design do primeiro robô totalmente funcional construído pela MGM para o filme O Planeta Proibido (1956), Robby.

2. Refilmagem
Nenhuma cena precisou ser filmada de novo, o que é bem raro para um filme deste tamanho e complexidade em efeitos especiais.

1. Hardwired
O roteiro original era para um filme chamado Hardwired e era uma típica história de detetives baseada nas três leis da robótica. Mas quando o roteiro caiu nas mãos da Fox, depois de passar pelas mãos da Disney e do diretor Bryan Singer, o novo diretor Alex Proyas e o roteirista, Jeff Vintar, decidiram transformar o longa em uma superprodução. A Fox então conseguiu os direitos dos contos relacionados em Eu, Robô, de Isaac Asimov e Vintar passou dois anos adaptando o roteiro de Hardwired para servir como uma décima história da coletânea original de Asimov. Na finalização, o roteirista Akiva Goldsman criou o personagem de Will Smith, o detetive Spooner, que originalmente tinha sido oferecido a Denzel Washington.


Tem na Netflix!

Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.