10 coisas que você não sabia sobre Sunshine - Alerta Solar

domingo, dezembro 03, 2017

Sunshine - Alerta Solar (2007) deve ser um dos filmes de ficção científica mais subestimados dos últimos anos. Com um enredo profundamente simbólico e perturbador, ele conta a história da nave Ícaro II que ruma em direção ao Sol para reativá-lo, ou a humanidade perecerá, em 2057. A primeira missão falhou, não se sabe porque, mas o que os astronautas encontrarão perto do Sol deixa mais perguntas do que respostas: a Ícaro I.




Com um orçamento de 23 milhões de dólares e direção de Danny Boyle (Trainspotting, 1996), o longa arrecadou tímidos 32 milhões em bilheteria, mas ganhou status de cult pouco tempo depois. É uma produção conjunta entre Estados Unidos e Reino Unido, tendo sido indicado a vários prêmios, como o British Independent Film Awards, tendo óbvias inspirações em 2001 (1968), Solaris (1972) e Alien - O Oitavo Passageiro (1979).

10. 20th Century Fox
Devido às similaridades do enredo com Solaris (2002), a 20th Century Fox estava relutante em financiar o longa de Boyle. Assim, o estúdio repassou o projeto para sua divisão especializada, a Fox Searchlight Pictures. Como a Searchlight não tinha os 40 milhões prometidos pelo estúdio maior, Boyle saiu em busca de estúdios parceiros para a produção, encontrado a Ingenious Film Partners, no Reino Unido, que entrou com o resto do dinheiro.

9. Ícaro
O nome da nave das duas missões mencionadas no filme é proposital. Na mitologia grega, Dédalo, pai de Ícaro, constrói dois pares de asas, com cera de abelha e penas, para ele e seu filho para poderem escapar da prisão. Assim que os dois começam a voar, Ícaro se aproxima demais do Sol, encantado pela oportunidade de voar, o que derrete a cera e ele cai no mar.

8. O Sol morreu?
Os roteiristas sabiam que seria implausível colocar um enredo em que nossa estrela morre porque isso vai levar ainda, pelo menos, uns 4,5 bilhões de anos. Neste caso, o sol foi "infectado" com uma "Q-ball", um núcleo supersimétrico, resquício do Big Bang, que está corrompendo a matéria normal, deixando o Sol mais frio. É uma partícula hipotética, investigada pelo CERN e a bomba detonada pelos astronautas da Ícaro deveria destruir a Q-ball, o que traria o Sol de volta.

7. Kaneda
O capitão da nave, Kaneda, originalmente foi escrito para ser um norte-americano. Mas cientistas e especialistas envolvidos na elaboração do roteiro aconselharam o diretor a mudar a nacionalidade para dar um ar de cooperação internacional às missões Ícaro. O ator japonês Hiroyuki Sanada foi indicado pelo cineasta Wong Kar-Wai. O nome do capitão, no roteiro, era Kanada, mas Hiroyuki aconselhou que mudasse para Kaneda, um nome genuinamente japonês.

6. Dourado
As roupas espaciais da tripulação foram coloridas de dourado de propósito, para se destacarem na tela. Algumas peças foram construídas para dar aos atores a real sensação de claustrofobia. Já os capacetes foram inspirados no personagem de South Park, Kenny.

5. Treinamento
Todos os atores passaram por um intenso treinamento com astronautas do programa europeu e também fizeram várias aulas de mergulho. Para que todos entendessem os efeitos do confinamento, os atores visitaram um submarino nuclear, conviveram vários dias juntos para aprenderem a conversar uns com os outros e também fizeram voo acrobático para experimentar a sensação de zero G.

4. Nunca mais
Danny Boyle e Alex Garland trabalharam no roteiro por um ano, depois mais um na pré-produção. As filmagens duraram três meses e a edição e os efeitos especiais - cerca de 750 deles - levaram mais um ano. O trabalho foi tanto que Danny Boyle disse que nunca mais produziria ou dirigiria um filme de ficção científica de novo.

3. Michelle Yeoh
O diretor ficou tão impressionado com a atriz em 007 - O Amanhã Nunca Morre (1997) e Memórias de uma Gueixa (2005) que disse que ela poderia escolher qualquer personagem para interpretar no longa que ele não faria objeção. Ele mudaria o gênero do personagem se fosse preciso. No fim, ela escolheu a bióloga da nave, Corazon.

2. Pompeia
Na Ícaro I, é possível ver vários corpos queimados espalhados pelo chão. Todos eles foram criados inspirados nos corpos das vítimas da erupção do Vesúvio, em Pompéia, que dizimou também Herculano, em 79 d.C..

1. Deus Sol
Muitos críticos de Sunshine não curtiram o terceiro ato do filme, quando o vilão aparece e quase destrói a segunda missão como fez com a primeira. Mas na verdade, a intenção do diretor era gerar uma dúvida nos espectadores. O Sol é identificado como uma divindade em muitas culturas ao redor do mundo como a deusa Amaterasu, no Japão, o grego Helios, Huitzilopochtli dos astecas, Liza, da cultura do oeste da África, Lugh entre os celtas, Mitra dos persas, Amon-Rá entre os egípcios, Surya dos Hindus, o romano Apolo e até mesmo Jesus, com seu aniversário coincidindo com o solstício de verão.

O que Danny Boyle fez foi criar uma tripulação quase sem fé nenhuma que é confrontada pelo poder do Sol, um poder que inspirou diversas civilizações e que passa a sofrer os efeitos psicológicos à exposição solar, aumentando conforme chegavam perto de nossa estrela. Diante da grandeza do universo, devemos questionar nossa importância e nosso lugar nele. É o que acontece ao vilão, um ateu convicto, completamente transformado pelo poder do Sol.


Vamos assistir de novo? Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes