Resenha: Fábrica de Vespas, de Iain Banks

sexta-feira, dezembro 23, 2016

Perturbador. Taí palavra boa e direta para definir o enredo ccriado por Iain Banks, um autor bastante conhecido na ficção científica. Admito que quando esse livro chegou e vi o nome de Banks me surpreendeu. E logo no prefácio ele nos conta um pouco de sua vida de escritor e cartas de rejeição de editoras. Iain também comenta que várias características de sua própria vida estão em Fábrica de Vespas, um livro que ele, relutantemente, acreditava ser uma admissão de derrota. Mas longe disso...




Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro
Frank é um adolescente meticuloso, muito inteligente, que vive isolado em uma ilha provinciana na Escócia. Mas há um detalhe perturbador sobre Frank: ele é um psicopata em formação. Adora torturar animais indefesos, praticamente não tem amigos, é obcecado com a higiene pessoal e bebe até cair no pub local. Ele mora com o pai, nunca foi à escola e nem mesmo tem carteira de identidade, pois nunca foi registrado. Frank não existe.


Um dia, a tranquila rotina de Frank é quebrada. Seu pai avisa que Eric, seu irmão mais velho e internado em um hospital psiquiátrico conseguiu fugir e era provável que fosse para a ilha em busca deles. Eric ficou desequilibrado, e mais para frente sabemos o motivo, e passou a amedrontar a vizinhança, até que foi finalmente preso e internado. Mas quem disse que isso o impedirá?

Frank adora torturar animais pequenos e admito que passar por essas cenas foi bem difícil. Especialmente no campo de coelhos, em que ele narra com detalhes sua caçada aos coelhos, tanto que li meio que por cima, evitando imaginar os detalhes. O que mais irrita nesse livro é que na cabeça de Frank tudo faz perfeito sentido. As torturas, as mortes, suas ações, tudo tem uma justificativa lógica e terrível em sua cabeça. Inclusive os assassinatos cometidos.

Uma morte é sempre excitante, sempre faz com que você perceba quão vivo e vulnerável está, mas quão sortudo é. Mas a morte de alguém próximo dá uma boa desculpa para que você fique um pouco doido por um tempo, e faça coisas que de outro modo seriam indesculpáveis. Que maravilha seria agir feito um alucinado e ainda sim ganhar a simpatia de todos.

Página 59

Frank vai e volta no passado enquanto aguarda o retorno do irmão. O autor desenrola a vida do protagonista aos poucos trazendo revelações bastante perturbadoras sobre a família e sua vivência. É através desse vai e volta e da rotina de Frank que vemos o psicopata incansável em formação. Desde criança, quando tinha apenas um transtorno de conduta, até a adolescência, seus poucos relacionamentos e sua relação monocórdica com o pai. As coisas vão fazendo sentido de uma maneira horrível e genial. E a reviravolta bem perto do final deixa o contexto ainda mais estranho.

Além da vida de Frank ser desenrolada pelas páginas, vemos as opiniões dele a respeito da sociedade e de como ele a odeia. Mulheres e crianças especialmente. Suas opiniões sobre política, por exemplo, se encaixam perfeitamente no contexto mundial atual. Para alguém que nunca recebeu educação formal e que tem apenas seu pai como fonte de conhecimento e informação, Frank é bem articulado.

A edição da DarkSide é perturbadora como o enredo. O nome do livro e do autor estão na contra-capa e na frente, um homem-vespa bizarro, com a impressão de uma vespa no canto. Falar o que é a Fábrica de Vespas é entregar o ouro da mente perturbada de Frank, então você vai ter que ler. São apenas 240 páginas. Além do livro, ele veio com uma sacola personalizada nas cores da obra.

Ficção e realidade
Assim como comentei na resenha de Menina Má, crianças não podem ser chamadas de psicopatas. Elas na verdade têm um transtorno de conduta. Mas Frank tem 16 anos, sua mente está em um estado avançado quando comparado a uma criança, mas que ainda está terminando de se formar. Fica então a questão: psicopatas têm regeneração? Ou pessoas como Frank merecem ficar trancafiados o resto da vida na cadeia? Difícil, não é mesmo? Pois nem todo psicopata mata.

Iain Banks colocou na trajetória do protagonista alguns fatos que realmente aparecem na biografia de alguns assassinos notórios. Um fato bastante comum na vida de um assassino em série, por exemplo, é o fato de terem maltratado animais e outras crianças quando eles mesmos eram crianças. Às vezes são crimes de ocasião, mas a meticulosidade deles aparece no planejamento, no gosto da execução. E Frank não é diferente.

Pontos positivos
Thriller psicológico
Frank
Personagens bem descritos
Pontos negativos
Devagar e confuso em algumas partes
Partes nojentas e violentas

Título: Fábrica de Vespas
Título original: The Wasp Factory
Autor: Iain Banks
Editora: DarkSide
Páginas: 240
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Não sei exatamente o que pensar daquele final. Volte aqui nos comentários para me dizer o que você achou. Frank é um personagem único, que se destaca pela inteligência e pela bizarrice, por ser meticuloso e brutal nos momentos necessários, mas também por saber fingir quando precisava. Ele carrega todas as características de um psicopata e tem momentos em que tive vontade de socar o personagem, tamanha hipocrisia. Quatro aliens para a Fábrica e uma recomendação para você ler também.


Até mais!

Leia também:
Anjos Malvados - Revista Superinteressante

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

3 comentários

  1. Gostei bastante desse livro. Me lembrou muito o Senhor das moscas, mas enquanto "senhor" me deixou extremamente incomodado no final, "fábrica" me deixava incomodado durante. Agora, a função da fábrica eu não entendi, devo confessar. E ninguém fala sobre...rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a gente falar da fábrica, entrega spoiler, né Diego?

      Excluir
  2. Aprendi mais uma, transtorno de conduta. Gostei muito de sua resenha, acho que diz bem do que se trata o livro e não revela o que não é para revelar.

    E quanto ao final, apesar da bizarrice que me deixou tonta e sem saber o que pensar, achei uma sacada e tanto para colocar em xeque todas as convicções do protagonista!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris