Resenha: Labirinto, de A.C.H. Smith, Jim Henson e Brian Froud

sexta-feira, outubro 21, 2016

Fãs do icônico filme dos anos 80 receberam um presente da editora DarkSide este ano: a novelização do roteiro original do filme, em uma belíssima edição de capa dura, com anotações de Jim Henson e ilustrações originais. É uma obra de arte na forma de livro.



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide

O livro
Acho que o enredo não é segredo, certo? Sarah se sente oprimida pelas regras de sua casa e de sua madrasta. Sendo obrigada a cuidar do irmão pequeno, ela não pode fazer o que gosta, que é encenar no parque. Não tolera que mexam em seu santuário - seu quarto - e impede qualquer um de entrar ali, nem que mexam em suas coisas, que estão em seus devidos lugares. Remover um ursinho de pelúcia é motivo para um verdadeiro escândalo.


Irritada por ter que cuidar de seu irmão, Toby, ainda um bebê, ela invoca a ajuda do Rei dos Duendes para que o leve dali e acabe de vez com o choro constante. Para sua surpresa, ele atende seu pedido. E o bebê desaparece do berço. Se Sarah quer rever o irmãozinho, tem que passar pelo labirinto que cerca do palácio do rei em 13 horas e resgatá-lo. Mas no labirinto, nada é o que parece ser.

Se Sarah é insuportável no filme, ela é o dobro no livro. Cenas cortadas do longa nos explicam porque ela não gosta da madrasta e porque seu quarto é tão importante. Também ficamos sabendo que ela ama sim o irmão, mas o odeia ao mesmo tempo já que ele tem todo o amor da casa e ela não. E que seu ato de imprudência ao invocar Jareth tem consequências. Não é apenas pedir 'por favor, devolva meu irmão' e tudo certo.

É interessante acompanhar a jornada de Sarah, pois é uma adolescente em um torturante processo de crescimento e aprendizagem. É uma jornada que pode ser perigosa, onde sua vida está em risco e onde sua empreitada está em risco, pois o rei dos duendes não quer que ela passe pelo labirinto. Jareth seria a representação do destino que nos coloca em situações imprevisíveis, ora ajudando, ora dificultando nossa jornada.

O livro em si é lindo. Capa vermelha com letras douradas, detalhes de labirinto nas contra-capas, ele ainda conta com as ilustrações de Brian Froud para os duendes do filme e anotações sobre o roteiro do diário de criação de Jim Henson no final. Um livro precioso.

Afinal (...) a vida é uma espécie de Labirinto, com todas as suas voltas e reviravoltas, seus caminhos retos e seus ocasionais becos sem saída.

Página 220

Ficção e realidade
A jornada de Sarah é aquela pela qual todos passamos. É dura, difícil, tem momento de pura beleza, outras de desespero, pois crescer não é uma tarefa fácil. Crescer requer esforço, requer passar pelas dificuldades e aprender com elas. Felizmente Sarah aprende, mas sabemos bem que nem todo mundo consegue passar pelos labirintos que a vida coloca bem na nossa frente.


Sarah tentou achar uma forma fácil de passar pelos obstáculos da vida e arriscou sua vida e a de seu irmão no processo. Às vezes, a saída fácil é aquela que mais exige de nós, que mais dificulta as coisas no futuro. Assim como Sarah, deveríamos ser prudentes na tomada de decisões, pois decidir algo no calor do momento pode trazer consequências indesejadas.

Pontos positivos
Ilustrações originais
Cena deletadas do filme
Anotações do autor
Pontos negativos

Algumas cenas arrastadas

Título: Labirinto
Título original: Labyrinth: The Novelization
Autores: A.C.H. Smith, Jim Henson e Brian Froud
Tradutora: Giovanna Louise
Editora: DarkSide
Páginas: 272
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Algumas coisas do filme só ficaram evidentes para mim após a leitura do livro. Querendo ou não, aquela popular frase de que "o livro é melhor que o filme" acaba se tornando verdadeira, porque o livro tem espaço para mais detalhes que, muitas vezes, um longa não tem. Além das novas cenas, temos ilustrações primorosas e as anotações de Jim Henson. Ou seja, um livro completo. Cinco aliens para ele e uma forte recomendação para você ler também.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes