Resenha: Batman Arkham Knight, de Marv Wolfman

quinta-feira, agosto 18, 2016

Batman Arkham Knight é o game de sucesso lançado pela Rocksteady Studios e lançado mundialmente 23 de Junho de 2015. E o livro da DarkSide é a novelização do game famoso, feita por Marv Wolfman. O Coringa morreu e a vilania da cidade está sem um líder. O que Batman fará agora?



O livro
Comissário Gordon assiste à cremação do Coringa e faz questão de apertar o botão vermelho. Ele gostaria de sentir alguma coisa ao ver a cena, raiva talvez por tudo o que o Coringa lhe fez e fez à sua filha. As regras exigiam um caixão, mas o governador abriu uma exceção para o caso. Era uma ocasião especial, ver um vilão tão perigoso finalmente ser consumido, destruído.

Batman Arkham Knight

Mas Gotham é Gotham. Ela nunca está livre de pessoas más e que querem trazer o caos. O Espantalho agora desponta como a grande ameaça: ele pretende aspergir sua toxina do medo sobre a cidade. E na noite do dia das bruxas. Assim, Batman começa sua caçada para impedir uma tragédia que pode, efetivamente destruir Gotham. Gordon tenta ajudá-lo como pode, mas tem poucos policiais à sua disposição, já que a evacuação dos habitantes acabou levando muitos deles, preocupados com suas famílias.

Ele apreciava observar as reações de seus pacientes a uma nova série de fobias e começou a acreditar que as pessoas mereciam os medos que queriam eliminar. Afinal, se fossem indivíduos bons, não haveria motivo para temer coisa alguma. Só aqueles que tinham algo a esconder deveriam ter medo.

Página 52

Uma coisa dá para perceber logo de cara: aquele Batman não é o mesmo que conhecemos. Ele não parece bem e não está. Coringa mexeu com sua mente e seu sangue de tal forma que o palhaço aparece em seus olhos o tempo todo e os dois travam uma luta mental, Coringa invadindo a realidade de Batman, mexendo com sua sanidade e com sua força, tentando fazê-lo ceder. Batman sabe que ele está morto, mas o vê mesmo assim.

Gordon afirma que por causa de Batman os adversários da lei e da ordem subiram de nível. Está cada vez mais difícil combatê-los ou investigar suas redes de crimes. E a perturbação causada pelo Coringa na mente de Batman pode colocar a vida de muita gente em risco. Mesmo assim, ele segue pela cidade, com a ajuda do Oráculo (Bárbara Gordon), do Robin, Asa Noturna, Hera Venenosa, e encontra um inimigo estranho que parece saber tudo sobre Batman e como ele age, o Arkham Knight.

A estrutura do jogo é bem evidente no livro. Em sua perseguição pelo Espantalho, Batman pula de uma cena de ação para a outra e isso diverte num primeiro momento, mas depois fica bem cansativo, porque é previsível. Batman está evidentemente perturbado, o que deixa seu personagem ainda mais sombrio, no entanto ele tem a irritante mania de enfiar uma frase motivacional ao final de cada cena, especialmente quando fala com o Oráculo e deixou alguns diálogos muito artificiais. Senti que o autor não conseguiu dar a profundidade que queria em determinados momentos e decidiu colocar uma frase de motivação para tentar disfarçar.

A edição da DarkSide, como é de costume dessa editora diabólica, é linda. A capa é preta, com o símbolo do Batman em baixo relevo, com tinta preta colorindo as páginas na brochura. Os capítulos são curtos e temos flashbacks entre um e outro, trazendo informações importantes sobre a situação de Batman e sua luta contra o Espantalho e a nova ameaça, o Arkham Knight.

A dificuldade de enfrentar maníacos era racionalizar seu processo criminoso insano. Com frequência, eles eram loucos sem qualquer motivo discernível, com padrões fúteis e caóticos. Era como tentar encontrar bom senso e sentido onde ambos não existiam.

Página 100

Ficção e realidade
Muito se discute sobre o motivo que nos faz gostar tanto do Batman, um playboy inteligente, com dinheiro e brinquedinhos à disposição, que assume o papel da polícia e da justiça e massacra bandidos pelas noites de Gotham. Bruce Wayne é a verdadeira máscara de Batman, perturbado pelo passado e pela perda dos pais.


Porém, em vista de tantas vezes em que vimos ações violentas de gente que pensou ser possível fazer justiça com suas próprias mãos, dá para desculpar as ações de Batman? "Ahhh, mas o Batman não mata!", alguém pode dizer. OK, mas no que ele é diferente dos bandidos que persegue ou das pessoas que amarram acusados de roubo em postes? O próprio Coringa disse que Batman o completava e por isso jamais gostaria de vê-lo morto. Que tipo de inspiração ele pensava que seria ao colocar aquela roupa e sair pelas ruas pegando bandidos?

Pontos positivos
Clima sombrio
Batman alucinando
Vilões
Pontos negativos
Batman motivacional
Alguns erros de digitação


Título: Batman Arkham Knight
Título original: Batman Arkham Knight
Autor: Marv Wolfman
Editora: DarkSide
Páginas: 272
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Amazon

Seus pedidos egoístas mataram seus pais. Espero que o filme tenha valido à pena. Ganhou pipoca e jujubas ao custo da vida da mamãe e do papai.

Coringa

Avaliação do MS?
Batman tem que enfrentar muito mais que bandidos insanos, tem que enfrentar seu próprio lado sombrio, seus próprios fantasmas e demônios, assim como qualquer um de nós. Talvez nem ele mesmo saiba como fazer isso. O livro poderia ser melhor, senti que faltou ritmo e maior criatividade para lidar com as cenas sendo que este é um enredo rico, macabro, ricamente construído, mas acredito que fãs de Batman deveriam ter e ler esse livro. Três aliens para Batman.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris