Resenha: O Exterminador do Futuro, de James Cameron, Randall Frakes e W.H. Wisher

quinta-feira, junho 23, 2016

Um dos filmes mais famosos de ficção científica está em uma bela edição da editora DarkSide. O livro é o roteiro romanceado de James Cameron e nos traz mais detalhes e os pensamentos dos personagens que vemos no filme. Se você quiser ver melhor os eventos daquelas noites e a luta de Sarah Connor para sobreviver, não pode deixar de ler esse livro.





O livro
O enredo não é mistério para ninguém, certo? Um robô assassino que se passa por humano é enviado ao passado para encontrar e matar Sarah Connor, a mãe do líder da resistência futurista, John Connor, que luta pelo fim da soberania das máquinas para libertar a raça humana. Assim que o exterminador é enviado, John se apodera do dispositivo de deslocamento temporal e manda para o passado seu mais leal soldado - e seu pai - Kyle Reese.


Os eventos são não novidade, todas as cenas hipnóticas que temos no filme estão no livro, mas os detalhes adicionados ao longo das 320 páginas enriquecem os personagens e os eventos, pois podemos saber o que pensam, como se sentem, se estão tristes, com dor ou alegres, suas visões particulares de mundo. Não sou muito fã do primeiro filme, gosto mais do segundo, mas este livro me fez olhar para o primeiro longa com um pouco mais de carinho.

Podemos ver o mundo pelos olhos de Reese, alguém perdido em um tempo estranho, que acha as pessoas fúteis, quase como crianças barulhentas, que não têm ideia do que está vindo e que vivem suas vidas sem medo. Isso é muito estranho para ele, que cresceu em um mundo destruído, perigoso, com fome, vivendo na sujeira, enquanto essas pessoas do passado vivem sem pensar no amanhã. A aglomeração nas ruas lhe causa uma grande estranheza, pessoas desperdiçando comida e artigos de primeira necessidade, a facilidade para encontrar armas. Ruas que Reese conhece, mas que no futuro são perigosas. É possível sentir o temor de Reese, sua confusão e a lealdade a John.

Outro aspecto interessante é a decepção de Reese quando ele conhece Sarah. Não há aquela química que se desenvolve tão rápido no filme, ele demora para ver a verdadeira Sarah, aquela além da lenda. E é razoável haver uma decepção, pois Sarah é uma moça de 20 anos, que pensa apenas no dia seguinte, não no futuro que lhe parece tão distante. Não existe ali - ainda - a mulher de fibra que treinou John. Esse conflito entre os dois é muito interessante de acompanhar.

Ela não era uma lenda. Ela era uma resmungona prestes a chorar incontrolavelmente a seus pés e agora, além de mantê-la viva, ele tinha de mantê-la sã e forte. Algo que mal sabia fazer para si próprio.

Página 241

Vemos o mundo também pela correria de Sarah, equilibrando faculdade, trabalho e vida pessoal, além das preocupações de sua mãe com a filha tão jovem vivendo em uma cidade grande. Sua amiga Ginger e o namorado dela, Matt, estão bem mais presentes em sua vida do que aquelas corridas cenas do filme. Podemos ver o quanto são amigos e se apoiam em tudo, ver as dúvidas de Sarah, suas carências, suas ansiedades.

E claro, temos uma visão do exterminador, sua análise fria das situações, sua impetuosidade e incapacidade de sentir compaixão e/ou pena. O pensamento lógico, a forma de pensar de sua programação. Temos até os pensamentos e visões de personagens secundários na trama, por isso que há tanta riqueza nas cenas, já que agora vemos o que antes era plano e agora é tridimensional.


Minha edição é a limitada, de capa dura, mas há uma de capa simples, mais barata. Não sei se na de capa simples tem, mas na limitada tem imagens em preto e branco do filme no miolo e uma arte muito bem feita nas contra-capas e nos títulos. Não é um livro, é um item de coleção.

Ficção e realidade
Um dos grandes ensinamentos da franquia do Exterminador é que o futuro nem sempre está definido. Porém ela também mostra que não se pode escapar do carma, se podemos dizer desta forma, pois em todos os outros filmes houve uma tentativa de impedir a ascensão da Skynet e eles falharam, apenas postergaram o inevitável e em Genesys (apesar de todos os problemas do filme) a Skynet se disfarçou de um sistema operacional para computadores pessoais, algo bem mais antenado com a tecnologia atual do que o primeiro filme estava na época.

"Não há destino", Sarah entalhou com uma faca numa mesa no segundo filme. Mas a frase continua: não há destino que não possamos fazer. Sempre há uma chance de acertar e de fazer o certo.

Você deve preservar nossa vitória. Você deve ser mais forte do que imagina que possa ser. Você deve sobreviver ou eu nunca existirei.

Página 242

Pontos positivos
Kyle Reese e Sarah Connor
Mais detalhes
Personagens bem descritos
Pontos negativos
Devagar em algumas partes


Título: O Exterminador do Futuro
Título original: Terminator
Autor: Randall Frakes e W.H. Wisher, baseado no roteiro de James Cameron
Editora: DarkSide
Páginas: 320
Ano de lançamento: 2015
Onde comprar: Amazon, edição limitada e comum

Avaliação do MS?
O livro flui muito rápido, mesmo com todos os detalhes adicionais que os autores trouxeram. Isso enriqueceu os personagens, nos trouxe maiores detalhes sobre seus pensamentos, sobre como encaravam seus mundos e como agia a mente do Exterminador. Se você é fã do filme, com certeza precisa ter esse livro em mãos. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também.


I'LL BE BACK!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris