Resenha: O Mar Infinito, de Rick Yancey

quinta-feira, fevereiro 25, 2016

Eu virei fã de A 5ª Onda por se tratar de uma invasão alienígena, um tema que sempre me cativa. Então esperei com bastante ansiedade pela continuação dela, O Mar Infinito. Tinha muitas perguntas que, em parte foram respondidas neste livro, mas que acabaram gerando outras para o próximo. Próximo este que, espero, não demore muito!




Para a resenha de A 5ª Onda, clique aqui!

O livro

Cassie está em fuga com seu irmão, junto dos amigos que fez no campo onde estavam alocados. Diziam que eles eram treinados para matar alienígenas. Zumbi, Especialista, Nugget, Pão de Ló, Dumbo e Teacup, mais Cassie e seu teimoso irmão, estão alojados em um hotel abandonado, de olho na chegada de qualquer estranho nas proximidades. Eles aguardam por Evan Walker, o estranho que salvou a vida de Cassie no livro anterior. Cassie acredita nele e que ele voltará, mas seus colegas estão desconfiados até da sombra.


Eles precisam de um lugar seguro, pois o frio está chegando, e passá-lo nas cidades é perigoso. Zumbi está ferido e estando tão vulneráveis do jeito que estão, Especialista resolve sair para buscar um lugar seguro nas cavernas. A caminhada é longa, mas é o único jeito de salvar a vida do grupo.

Os primeiros ataques mostraram uma eficiência brutal, eliminando 98% da população e até a quarta onda fez algum sentido: é mais difícil formar uma resistência significativa quando não se pode confiar um no outro. Mas depois disso a brilhante estratégia deles começa a se desfazer. Dez mil anos para planejar a erradicação dos humanos da Terra e isso é o melhor que conseguem fazer?

Evan faz de tudo para encontrar Cassie e os amigos, enquanto Especialista acaba caindo em uma armadilha. É do ponto de vista dela que temos as respostas para as perguntas de Cassie: quem são eles? Rick conseguiu manter o suspense no primeiro livro sobre a estratégia dos alienígenas, mas são os próprios personagens que levantam as mesmas dúvidas dos leitores. Como eles puderam ser tão desleixados na hora de exterminar a humanidade, deixando sobreviventes?

Cassie chega a acreditar que tudo o que está acontecendo é pessoal. A forma como eles estão caçando os seres humanos leva a crer que eles gostam dessa sensação. Mas ao mesmo tempo em que temos essas revelações, temos outras perguntas sendo formadas, como por exemplo o por que fazer isso e como?

A narrativa aqui fluiu muito melhor do que no primeiro livro, que tinha partes bem longas, chatas e demoradas, que quase me fizeram desistir do livro. Em O Mar Infinito não só ela está melhor articulada, como temos narrações em primeira e terceira pessoas, o que contribuiu muito para conhecermos melhor os personagens. E Rick Yancey não tem dó de seus personagens durante o livro.

Ficção e realidade

Se uma raça alienígena tivesse a capacidade de voo interestelar, capacidade de chegar ao nosso planeta e nos exterminar, duvido que eles fossem deixar sobreviventes. A raça humana se prolifera como baratas pela superfície da Terra, mas uma civilização com essa imensa capacidade de viajar teria tecnologia suficiente para nos levar à extinção.

Porém, nós sempre sobrevivemos nestes enredos porque as invasões não são sobre alienígenas, elas falam de nós. Falam de nossa capacidade de lutar uns pelos outros, de combater o mal e a possibilidade de extinção iminente. O vírus de computador infectando a nave alienígena em Independence Day foi tosco demais, afinal aqueles aliens teriam que usar DOS para isso acontecer. Mas o filme fala da nossa sobrevivência, não de alienígenas. É aí que este tipo de enredo ainda tem apelo.


Pontos positivos
Protagonista feminina
Suspense e ação
Distopia

Pontos negativos

Deixa perguntas
Alguns personagens mal trabalhados

Título: O Mar Infinito
Título original: The Infinite Sea
Trilogia A 5ª Onda
1. A 5ª Onda
2. O Mar Infinito
3. The Last Star (sem tradução)
Autor: Rick Yansey
N.º de páginas: 367
Editora: Fundamento
Onde comprar? Amazon

Avaliação do MS?

É durante a narrativa que compreendemos porque o livro tem esse nome. Não se trata de nenhum lugar descrito nas duas obras, mas sim sobre o mar de sensações que os personagens têm a respeito da vida como um todo. A civilização perdida, as mortes em todas as ondas que vieram, a morte à espreita sempre, a sensação de falhar, de não ter mais coragem. Será que são só os fortes mesmo que sobrevivem, ou são aqueles que sentem? Quatro aliens para o livro.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris