Resenha: Star Wars - O Despertar da Força (2015)

sexta-feira, janeiro 08, 2016

E olha quem finalmente assistiu ao filme mais aguardado dos últimos anos! O Despertar da Força despertou não somente os fãs como a mídia em geral, as editoras, que não param de lançar um livro atrás do outro, as lojas, fábricas de brinquedos, e até fabricantes de roupas e edredons. O longa se passa mais de trinta anos depois dos eventos de O Retorno de Jedi e nos apresenta não somente a novos heróis, mas à uma nova ameaça.





O filme
Cerca de 35 anos depois do fim da batalha de Endor, onde o jovem Luke Skywalker derrota Darth Vader e o Imperador, uma nova República se estabeleceu, porém sem seus percalços. A Primeira Ordem, herdeira do legado do Império e do Lado Sombrio, chega a Jakku - um planeta seco e poeirento como Tatooine - com seus Stormtroppers. Alguém ali tem informações a respeito do paradeiro de Luke e Kylo Ren quer isso acima de qualquer coisa.


A general Organa já tinha enviado seu melhor piloto para Jakku para recuperar a informação com Lor San Tekka e tentar trazer Luke de volta. Depois da destruição do templo Jedi, Luke se sentiu responsável pelo o que aconteceu e preferiu o exílio. Mas Poe Dameron não consegue escapar a tempo antes da chegada da Primeira Ordem e coloca a informação em seu droid, o BB8 e pede que ele se afaste da vila o máximo que puder com a informação.

Enquanto isso, no deserto, Rey está catando bagulho em naves derrubadas nas areias de Jakku. Ela vende o que pode na vila para poder comer. Não é uma vida fácil, mas ela se resigna a isso, pois espera um retorno há muito aguardado. É então que Rey houve os resmungos de um droid não muito longe dali e é BB8, que quase foi pego para ser desmantelado. Ele pede socorro, está numa missão confidencial, apesar de Rey não acreditar muito nisso.

A partir desse momento começa uma corrida para poder levar a informação de BB8 de volta para a general Organa. Ninguém menos que Han Solo e Chewbacca ajudarão Rey e o stormtropper desertor, Finn a concluir sua missão. Passamos apuros com os protagonistas, vemos gestos genuínos de amizade, mas também acompanhamos um vilão muito perturbado, errático.

Kylo Ren

Aliás, esse é um dos grandes méritos do filme. Tanto Rey quanto Kylo Ren estão em busca de um caminho. Kylo buscou o lado sombrio, mas é possível sentir sua desesperada busca, suas dúvidas. Ele é dado a rompantes de ira, como Anakin antes de estar oculto pela máscara. Darth Vader é sua meta, apesar de ter um temor profundo de que nunca chegará a seus pés. Já Rey entra na situação, aparentemente, de para-quedas, mas há algo mais em seu envolvimento com a República e com a busca por Luke. E mesmo que todas as respostas não tenham sido dadas neste filme, sabemos que Rey desempenhará um papel de extrema importância nos filmes seguintes.

Rey, Finn e Poe Dameron roubam as cenas do longa. A dinâmica deles está incrível e um dos pontos altos dessa relação é a amizade intensa que surge. Rey agradece a Finn por tudo e percebe-se o intenso carinho que ela tem pelo amigo que se arriscou por ela. Já Poe e Finn parecem praticamente irmãos de batalha, tamanha admiração e cumplicidade entre os dois. Foi um trabalho incrível dos três atores.

A trilha sonora não me agradou, bem como várias perguntas sem respostas. Mas o mais interessante é ver que depois de todo o chorume que escorreu sobre a compra feita pela Disney e o chororô de grande parte dos fãs, a maioria esmagadora está saindo dos cinemas completamente encantada e emocionada. Fica aí o ensinamento de não execrar algo que nem mesmo começou, né amor?


Ficção e realidade
O ponto altíssimo do filme é, sem dúvida, a relação entre Rey e Finn. Uma mulher e um negro em posição de destaque em uma franquia que foi e ainda é considerada por muitos como uma aventura para garotos brancos. O cinema ainda continua sendo muito conservador, quando séries de TV e quadrinhos conseguiram mostrar minorias de maneira melhor. No próprio universo expandido de SW temos muitas mulheres, temos personagens gays, mas nos filmes ainda imperava um padrão que vinha desde Uma Nova Esperança. Meninas e crianças negras estão finalmente se sentindo representadas por personagens de uma das maiores franquias do mundo e tem gente ainda chorando por causa disso. Engole o choro, inferno.

Rey, Finn e BB8

Uma Nova Esperança e O Despertar da Força tem semelhanças inegáveis, mas não vi isso como sendo uma cópia. Mas sim um novo ciclo, orquestrado possivelmente pela própria Força, para tentar equilibrar a balança. Como se fosse um karma, a história se repete com pontos semelhantes na tentativa de ajustar o que está em desequilíbrio. Um novo embate entre o lado sombrio e o lado da luz.

A visão das tropas alinhadas no longa, até mesmo os uniformes, me fizeram lembrar dos desfiles nazistas, os discursos de Hitler e é aqui que temos uma das críticas que toda a franquia sempre fez e que muita gente não percebe e depois sai por aí disparando que "na ditadura que era melhor!". É muito triste quando uma obra de ficção não consegue fazer o expectador refletir um mínimo que seja.


Pontos positivos
Retorno dos personagens clássicos
Rey, BB8 e Finn
Efeitos especiais

Pontos negativos
Trilha sonora
Muitas perguntas em aberto


Título: Star Wars - O Despertar da Força
Título original: Star Wars: The Force Awekens
Direção: JJ Abrams
Data de lançamento no Brasil: 17 de dezembro de 2015
Duração: 135 minutos

BB8

Avaliação do MS?
O filme arrastou multidões aos cinemas desde a pré-estreia. E já alcançou mais de US$1 bilhão de bilheteria. Nada mal, hein? A Força não só despertou como trouxe de volta os personagens clássicos e amados por todos, como também cumpriu seu papel em contar uma nova história, deixar perguntas e uma incógnita para o futuro. Trouxe personagens cativantes e um vilão antipático e intenso, que ninguém sabe se vai ou não se acertar na vida. Corra para os cinemas se ainda não viu. Quatro aliens para o longa.


Até mais!


Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

1 comentários

  1. Eu aceito que é diferente do que foi feito por George Lucas, mas JJ Abrahams eo resto da produção fez fantasticamente, fizemos justiça a tantos anos de espera. Eu acho que esta história ainda a tomar força, mas esta nova etapa parece muito bom. By the way, eles vão passar por HBO, Star Wars filmes são tão inteligente que nunca me canso de vê-los novamente e novamente. Não é nada de novo para dizer que star wars filmes são o melhor na história do cinema, graças às pessoas envolvidas tornar possível uma nova entrega. Tenha um bom dia e que a força esteja com você!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris