Resenha: Astronauta Magnetar, de Danilo Beyruth

sábado, dezembro 28, 2013

Sim! A última resenha de 2013! Antes tarde do que mais tarde, ENFIM chegou a resenha do Astronauta Magnetar! AEW! Sei que demorei muito com ela, mas a realidade é que eu esqueci de resenhar logo depois que li - e isso foi no começo do ano. Magnetar foi a primeira da série de quatro graphic novels feita em homenagem aos personagens clássicos da Turma da Mônica. E preparem-se, vem mais seis delas por aí, inclusive do Penadinho!





A graphic novel
O Astronauta cresceu. Assim como nós, leitores vorazes de Turma da Mônica. O personagem espacial de Maurício de Souza foi criado em 1963, época da corrida espacial e da Guerra Fria. Mas as aventuras do Astronauta se mostraram sempre profundas, em especial com relação à sua solidão e a saudade de casa durante suas viagens. Com Magnetar, não foi diferente, ao contrário, esse sentimento foi ainda mais intenso.

Capa.

O Astronauta começa lembrando dos seus tempos de infância no sítio do avô, um homem simples, mas de grande sabedoria. Seu avô tinha a mesma inquietude do neto, de conhecer o que mais havia além do pasto do sítio. Seu neto foi nos confins do universo, ávido pela curiosidade e pela necessidade de descobrir novos mundos e mergulhar no desconhecido. Sua missão: coletar dados sobre aquele que é um dos mais fantásticos corpos celestes do universo, o Magnetar. Ele ocorre com a formação de uma estrela de nêutrons, um dos possíveis estágios finais de estrelas super gigantes.

Como a interferência causada pela estrela é muito grande, o Astronauta se vê sozinho assim que entra no raio de ação da estrela, sem poder se comunicar com ninguém. Ele então pousa em um asteroide, onde instala equipamentos para poder coletar informações sobre a estrela misteriosa. O computador da nave, porém, avisa que uma grande descarga de radiação está para acontecer e ele deve sair o mais rápido possível do caminho dela.


Porém, um grande pedaço de rocha atinge a nave que acaba inoperante, deixando o Astronauta sozinho para lidar com os consertos. Começa então uma sucessão de eventos rotineiros: comer, se exercitar, consertar a nave, dormir; comer, se exercitar, consertar a nave, dormir; comer, se exercitar, consertar a nave, dormir; comer, se exercitar, consertar a nave, dormir; comer, se exercitar, consertar a nave, dormir; até que ele começa a questionar sua sanidade.

Danilo conseguiu capturar com seus traços magníficos toda a solidão da experiência de se ver à deriva e sem ajuda. Você se sente no lugar do Astronauta, isolado, desesperado, alucinando. A explosão de cores e expressões usadas pelo autor dão movimento a cada quadro ricamente traçado. Vemos como o Astronauta começa sua aventura com uma certa arrogância e depois ele acaba sedendo à pressão da situação após os danos sofridos por sua nave.


Ficção e realidade
Só o fato de vermos um trabalho tão incrivelmente bem feito com um personagem da Turma da Mônica já é algo para sermos gratos pela ideia genial. Mas Danilo foi além disso. Ele fez uma profunda pesquisa em Astrofísica para trazer uma aventura precisa para os quadrinhos. É possível consultar um glossário no final da obra para tirar dúvidas sobre termos que muita gente desconhece. Além disso, temos menções honrosas à vários aventureiros e desbravadores das terras mais hostis de nosso planeta, bem como uma homenagem a Neil Armstrong.


Astronauta Magnetar é um tributo. Não apenas ao trabalho de Maurício de Souza, mas também aos seres humanos que fazem ciência todos os dias, a despeito das adversidades e dos problemas de financiamento. Também é um tributo aos fãs de longa data da turminha e que, assim como, cresceu com sua companhia.


Pontos positivos
Ficção científica
Arte fantástica
Aventura e solidão no espaço
Pontos negativos

Nenhum!

Título: Astronauta Magnetar
Autor: Danilo Beyruth
N.º de páginas: 82
Editora: Panini
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Quem torce o nariz para Turma da Mônica devia pensar melhor e ler não apenas o Magnetar, mas todas as graphic novels que forma produzidas nessa leva pela Graphic MSP. Ter a oportunidade de se aventurar com estes personagens em uma nova roupagem, em novos traços é impagável. Todos os artistas envolvidos estão de parabéns pela emoção colocada em cada traço, em cada enredo, em cada personagem homenageado. Indispensável, não pode faltar na estante de ninguém!

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris