Dez empresas da ficção científica

quinta-feira, outubro 03, 2013

Se tem uma coisa que a ficção científica soube representar muito bem foi o capitalismo selvagem do mundo real. Temos empresas de todos os tipos em variados enredos, cada uma com seus produtos diferenciados e propósitos escusos, sempre pensando no lucro próprio. Selecionei dez delas que se tornaram personagens tão importantes quanto os protagonistas em vários enredos diferentes.



Leia também: As megacorporações - SciFi e realidade

10. Cybertronics - AI, Inteligência Artificial (2001)
Imagine ser possível criar um robô. Mas não um simples robô ou uma máquina qualquer. Imagine que você possa criar uma criança-robô, capaz de suprir o vazio sentimental em casais que não possam ter filhos ou cujos filhos estejam doentes ou morrendo. E imagine que você seja capaz também de criar um sentimento, capaz de programar o amor. Seria esta criança-robô apta para amar e também a odiar? Seria um sentimento algo passível de caber em zeros e uns?


9. BL - Wall-E (2008)
Acho que poucas empresas conseguiram retratar tão bem e com poucas palavras o que o excesso de consumo faz à civilização e aos recursos do planeta. A Buy'n'Large era tão poderosa que foi capaz de comprar um país inteiro. Podemos ver megalojas, mega letreiros, mega navios, satélites, tudo que estava à venda no planeta era da marca BL. Até mesmo nosso simpático robozinho Wall-E era propriedade da BL que embarcou o restante da raça humana em naves espaciais enquanto os robôs destralhavam o planeta.


8. Lunar Industries - Lunar (2009)
A base de Sarang na Lua tem como habitante Sam e o robô responsável por praticamente todas as funções de mineração e de suporte de vida, GERTY. Sam está animado para voltar para casa, já que seu terceiro ano de residência na Lua está acabando e ele mal vê a hora de sair de lá. Mas um acidente coloca tudo isso a perder e Sam descobre como funciona a lógica fria da Lunar Industries ao saber que ele nada mais é do que um clone.


7. US Robotics - Eu, Robô (2004)
A USR conseguiu colocar um robô em cada lar norte-americano e em 2035 eles estão em todos os lugares. Incapazes de machucar um ser humano, é o triunfo da empresa que visa colocar um robô mais moderno no mercado, mais independente, com maior capacidade de raciocínio e cuja distribuição está para começar quando o detetive Spooner entra em ação ao investigar a morte de um dos maiores cientistas da área de robótica. Um robô é seu primeiro suspeito.


6. RDA - Avatar (2009)
Nada como um minério raro e cuja exploração rende bilhões em lucros para justificar a exploração de um planeta-satélite como Pandora, aqui do ladinho, em Alfa Centauro. A RDA (Resources Development Administration), a única empresa privada do espaço do universo ficcional de Avatar, mantém todos os direitos sobre Pandora, além da perpetuidade de seu controle sobre tudo o que extrair de lá. Possui tecnologia avançada de navegação no espaço e de bioengenharia, onde criou o Programa Avatar para ter um maior contato com os nativos Na'vi.


5. InGen - Jurassik Park (1993)
A ideia da International Genetic Technologies, Inc. era genial: criar um parque temático com dinossauros de verdade que foram trazidos à vida por meio da engenharia genética. Um mosquito preso no âmbar forneceu o DNA primordial que depois foi completado com DNA anfíbio para gerar as diversas proles do parque. Mas colocar animais extintos, cujo comportamento é praticamente desconhecido, para serem atrações num parque não soa muito inteligente, certo?


4. OCP - Robocop (1987)
OCP
Omni Consumer Products segue mais ou menos a mesma linha da Weyland-Yutani, com contratos militares e pouca ou nenhuma preocupação com a vida humana ou o bem-estar social, especialmente se isso satisfizer seus propósitos. É mais um bom exemplo de empresa que entra nos lares das pessoas das mais diversas maneiras, inclusive colocando um de seus "produtos" para proteger e servir, fazer valer a ordem. Um produto deu defeito? Que pena, publicidade negativa. Só isso.


3. Cyberdyne Systems - O Exterminador do Futuro (1984)
Cyberdine Systems
Desconhecemos seus produtos, exceto a avançada engenharia reversa que ela conseguiu fazer nos restos esmagados do primeiro Exterminador. Vendo o quão avançado era aquele equipamento, a Cyberdyne viria a desenvolver aquilo que se tornaria a Skynet. Mas a linha do futuro foi pouco alterada, já que o governo americano acabou comprando as patentes da empresa para a produção em massa de equipamentos de guerra e de um novo sistema de defesa. Deu no que deu.


2. Umbrella Corporation - Resident Evil
Umbrella
Uma empresa que está em 9 entre 10 lares nos Estados Unidos não pode ser ruim, certo? É isso o que a Umbrella quer que todo mundo pense, quando na verdade ela conduz diversos experimentos com armas virais. Grande fabricante de farmacêuticos, armamentos, computadores e outras atividades clandestinas de pesquisa biológica. Para continuar sobrevivendo e lucrando, ela não vê nenhum problema em subornar autoridades ou em financiar políticos em suas candidaturas, deste que isso lhes seja favorável.


1. Weyland-Yutani - Alien, o Oitavo Passageiro (1979)
Weyland Yutani
Chamada apenas por Companhia em boa parte da franquia, a W-Y tem como lema "Construindo mundos melhores", tendo vários contratos com os militares, agindo especialmente em terraformação. Mas sabemos bem que quando se trata de desperdiçar a vida de civis e militares, ela não tem o menor escrúpulo. Na tentativa que pôr as mãos no alien, ela enviou mulheres e homens para a morte e fez Ripley sacrificar sua própria vida para impedir isso.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris