Resenha: Os Goonies, de James Khan

sexta-feira, agosto 23, 2013

Acho que Os Goonies é um daqueles poucos filmes que viram clássico, que dispensam apresentações, que pouca gente desconhece e que sempre quando passa na televisão a gente para e assiste. As crianças carismáticas, que estão sofrendo por terem que se mudar de onde estão e que partem em uma aventura para tentar salvar o lugar onde moram. Uma jornada pela amizade, um dos filmes mais legais produzidos por Spielberg e que foi relançado no formato livro.




O livro
Mikey está triste. Um campo de golfe de ricos está expandindo e para isso executou as hipotecas de várias casas nas Docas Goon. Por causa do nome, quem mora lá é chamado de Goon ou Goonies. Mikey sabe que seu grupo de amigos, Os Goonies, vai acabar se separando quando cada um se mudar e ele não quer isso, tampouco seu irmão mais velho, Brand, mesmo que ele não admita com frequência.

Capa.

Em uma tarde, os meninos sobem no sótão da casa de Mikey para mexer nas quinquilharias que lá ficaram desde que o museu dirigido pelo pai Brand e Mikey precisou de espaço para reformas. Mas desde então, o material ficou por lá e nunca mais voltou ao museu. As crianças brincam com as roupas de pirata, até que algo chama a atenção Mikey. Um velho mapa, com a moldura quebrada desponta da bagunça. Um mapa do tesouro.

Junto do mapa, havia um dobrão de ouro com a data 1532 gravada nele. Todo escrito em espanhol - mas felizmente Bocão sabe ler - e estava assinado por Willy Caolho, um famoso pirata da época, que possuía milhões em tesouros, mas que despertou a cobiça de muitos. O rei espanhol enviou navios atrás do pirata, que escondeu seu navio dentro de uma imensa caverna. Mas os homens do rei, com seus canhões, tamparam a entrada da caverna, trancando Willy, seu navio chamado Inferno e todos os seus homens lá dentro. Willy mandou então que seus homens cavassem durante anos passagens e fossos, com diversas armadilhas para proteger o tesouro de usurpadores.

Gordo, Dado, Mikey e Bocão - Os Goonies

Mikey então tem a ideia de encontrar o tesouro, pegar uma parte dele e salvar as casas das Docas Goon e assim não se separar dos amigos. Mas seu irmão mais velho Brand não vai deixar um bando de crianças sair. Eles então o prendem em casa, esvaziam os pneus de sua bicicleta e partem em busca do tesouro pirata. Quando chegam ao ponto no litoral, marcado no mapa com um X, eles descobrem que lá fica um restaurante que só abre no verão - eles estão no inverno - mas que estranhamente tem movimento. Só depois eles descobrem que são os famigerados irmãos Fratelli, foragidos da justiça, escondidos ali.

Começa então uma aventura intensa, repleta de armadilhas, sustos e paixões adolescentes entre os membros dos Goonies. O livro segue de maneira bem fiel o filme e complementa algumas partes que foram pouco abordadas ou explicadas na película, dando uma maior visão da vizinhança da garotada e de seus comportamentos. As cenas são bem descritas e a arte interna do livro ficou excelente. Um pouco mais da metade, ele perde um pouco do ritmo, mas segue até o final da maneira intensa que vemos no filme.



Ficção e realidade
Que criança nunca imaginou estar em uma grande aventura, repleta de mistérios e com um tesouro no final? Esta talvez seja uma das brincadeiras mais legais de uma infância. O que aconteceu no filme é que o mapa era verdadeiro, já você e eu brincamos com o que tínhamos à mão, não é mesmo? E isso não tirou o gosto da brincadeira, pois uma das grandes vantagens em ser criança é exercitar a imaginação e botá-la para funcionar na realidade.

A galera completa. Andy, Brand, Bocão, Mikey, Dado, Gordo e Stef.

Por causa de Os Goonies, campeão da Sessão da Tarde por anos, eu montava minhas tendas e cavernas no quarto, usando lençóis, barbantes e escondia tesouros ou fingia ser Willy Caolho. Minha mãe ficava doida com a transformação que eu fazia no recinto, mas era uma das coisas que eu mais gostava de fazer. O legal de Os Goonies é poder viajar na imaginação e na vida da garotada e perceber o quanto muitos de nós já perdeu por ficar muito adulto. Talvez por isso que tanta gente tenha execrado os nerds por tanto tempo, já que nós sempre estamos com nossos livros, jogos ou quadrinhos na mão, brincando, imaginando e se divertindo.


Pontos positivos
Uma caça divertida ao tesouro
Novelização de um ótimo filme
Uma história sobre amizade
Pontos negativos
Perde um pouco do ritmo perto do final
Escrita poderia ser mais intensa, ela peca em algumas partes

Título: Os Goonies
Autor: James Khan
N.º de páginas: 237
Editora: DarkSide
Onde comprar? Disponível nas grandes livrarias


Avaliação do MS?
Se você é como eu, uma fã de Os Goonies, precisa ler o livro e tê-lo na prateleira para sempre folhear e reler quando possível. Filme e livro se completam nesta gostosa aventura, que divertiu toda uma geração que sonhava com aventuras e em dominar seu destino, nem que fosse por algumas horas. Amigos ajudando uns aos outros, na esperança de manterem suas casas e sua amizade. Quatro monstrinhos para Os Goonies.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris