Resenha: Encontro com Rama, de Arthur C. Clarke

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Vergonhosamente admito: conheci Rama recentemente. Ok, faz mais tempo que isso, mas certamente é um tempo bem menor se comparado com o tempo em que leio e conheço a obra de Isaac Asimov. Depois que li O Fim da Infância, livro que não curti muito, demorei muito para ler qualquer outra coisa de Clarke. Li então Encontro com Rama na semana passada. Um clássico absoluto que merece ser lido.



Sim, eu sei que Rama é uma tetralogia. Eu sei disso, acredite. Tanto que já resenhei O Enigma de Rama aqui no blog. Parei a leitura de O Jardim de Rama porque estava muito chato.


O livro
Encontro com Rama gerou bastante especulação quando foi lançado. Depois do sucesso de 2001, surgiu uma certa cobrança em cima de Clarke sobre sua nova produção. Ele conta a história da chegada de uma misteriosa nave, confundida inicialmente com um asteroide, que foi chamada de Rama, uma divindade hindu, já que as mitologias grega e romana tinham esgotado nomenclaturas criativas. A Terra passou por muitas mudanças neste futuro próximo do livro. Um meteorito caiu no continente europeu e toda uma mudança global sucedeu o evento. Cinquenta anos depois, um misterioso corpo astronômico surge nos sensores, criados justamente para impedir novos impactos.


Rama é um mistério envolvente. Causando medo e pânico quando foi anunciado, pois ainda se pensava que seria um meteoro gigante e que aniquilaria toda a civilização, Rama na verdade se revela uma magnífica construção, sofisticada e alienígena, uma nave cilíndrica de uns 50 km de comprimento e 10 km de largura, cuja passagem pelo sistema solar deixa a humanidade intrigada e eufórica. É então que uma nave é designada para acoplar com Rama para quem sabe fazer contato com quem quer ou que quer que a esteja pilotando. A Endevour é então enviada para encontrar Rama antes que ele se aproxime demais do Sol e torne a estadia dos exploradores perigosa.

Os astronautas encontram uma estrutura sofisticada no interior de Rama, que é oco. Um mega ambiente, com clima e dinâmica próprias, lagos e mares congelados, estranhas construções semelhantes à cidades, um ar morto e parado, nenhum habitante e nenhuma entrada para qualquer construção da superfície no interior de Rama. O tempo é curto e os exploradores precisam correr para juntar todas as informações que puderem antes que Rama siga seu caminho pelo sistema solar.

Encontro com Rama
Entrando em Rama.

Ficção e realidade
Rama é similar a um Cilindro de O'Neill, uma estrutura já imaginada por pelo físico norte-americano Gerard O’Neill em 1976 como uma variação do Toroide de Stanford. Sua estrutura circular forma um grande cilindro giratório, onde em sua superfície pode-se construir habitações para alocar os viajantes. Este tipo de estrutura é muito usada na ficção científica e até em planos de uma viagem extrassolar (nave-mundo), pois poderia abrigar milhares de pessoas durante séculos até chegar ao seu destino em outro sistema estelar e outro planeta.

Em seu interior, um mar de coisas estranhas.

Muito se especula no livro que a estrutura de Rama deve ter sido construída por uma raça semelhante à humana. No entanto, nenhum alien reconhecível se depara com os exploradores, além de alguns autômatos. Algum propósito muito forte teria que existir para se construir uma estrutura de tal magnitude, capaz de viajar a milhares ou milhões de anos através do espaço, com um tamanho tão descomunal. Clarke é muito preciso quanto ao rigor científico da obra, porém ela mantém um ar fantástico e por vezes sombrio sobre a função e o destino de Rama.


Pontos positivos
Leitura rápida e prazerosa
Rigor científico clássico de Clarke
Muito bem escrito
Pontos negativos

O que é e a função de Rama ficam em aberto


Título:Encontro Com Rama
Título original: Rendezvous with Rama
1. Encontro com Rama
2. O Enigma de Rama
3. O Jardim de Rama
4. A Revelação de Rama
Autor: Arthur C. Clarke
Lançamento: 1973
Nº de páginas: 288
Editora: Aleph
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Se você já leu, releia. Se nunca leu (como eu nunca tinha lido), o que está esperando? Rama é um mistério cativante, uma obra-prima como 2001 e precisa estar sempre ao alcance para uma leitura de tempos em tempos. Cinco aliens para este clássico.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

2 comentários

  1. Saudações. Conheci seu blog ano passado, o que me rendeu horas de (boa) leitura graças às suas resenhas. Sobre Rama, gostaria de informar que é uma tetralogia, cujo primeiro título é Encontro com Rama, seguido por O Enigma de Rama, O Jardim de Rama e A Revelação de Rama. Para entender melhor a obra é preciso conhecer também as demais edições que a compõem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Desconhecido. Obrigada por ler o blog.

      Sim, eu sei que é uma tetralogia, tanto que já resenhei O Enigma de Rama aqui no blog. Parei em O Jardim de Rama porque estava chato pra KCT.

      Obrigada pelo comentário.

      Excluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris