Resenha: Bento, de André Vianco

sexta-feira, novembro 09, 2012

O livro de hoje não é bem uma ficção científica. Mas tem os elementos de uma e é um livro nacional, escrito por um dos autores mais importantes desta nova geração de escritores brazucas, puxando para o lado da ficção fantástica, que tem ganhado cada vez mais o público e mostrando todo o poder da nossa literatura. Ainda existe preconceito, admito que muitas obras nacionais não são boas de fato, mas não podemos colocar todos no mesmo balaio e baixar o padrão para todos.



O livro
O mundo inteiro foi dominado pelos vampiros. Até onde se sabe, afinal não existe meios de saber como andam os países quando a energia, as comunicações, tudo caiu. Mas no Brasil, a situação degringolou rápido e as pessoas se viram obrigadas a deixar as grandes cidades, como São Paulo, para viverem longe dos ninhos de vampiros, que vivem principalmente nos hospitais, para onde as pessoas foram levadas logo no início do fim.

Bento

Com comida à vontade, os vampiros dominam o que restou das grandes cidades. Na Noite Maldita, os humanos perceberam que não tinha mais o controle de suas vidas e tudo veio abaixo. Cães que antes tinham donos que os alimentavam, voltaram para seu estado selvagem e percorrem as ruas abandonadas. Enquanto isso, fora dos centros urbanos abandonados há trinta anos, as pessoas temem a noite e vivem com medo atrás de suas muralhas.

O livro foi lançado em 2003 e abriu a saga Vampiro-Rei: Bento; A Bruxa Tereza - Vampiro-Rei 1 e Cantarzo - Vampiro-Rei 2, além de um quarto livro, As Crônicas do Fim do Mundo - Noite Maldita, sem previsão de lançamento (até o fechamento do post). O autor abusa do coloquialismo, dos palavrões e da fala comum na obra, coisa bacana que sai daquela literatura asséptica que temos.


Ficção e realidade
É um exercício interessante, embora um tanto melancólico, imaginar a civilização terminada, abandonando os centros urbanos, fugindo de uma ameaça que não pode combater. A primeira vez que li Bento, essa visão de uma São Paulo entregue aos vampiros e à decadência foi muito impactante. As obras de Vianco, para quem mora em São Paulo, são muito visuais, pois os eventos, as batalhas, ocorrem nos nossos locais familiares de passagem e nisso, o autor tem crédito. O ambiente urbano abandonado é perigoso, pois a decadência de nossas construções é uma armadilha para os incautos.

cidade destruída


Pontos positivos
Distopia com fantasia
Ótimas ambientações
Ritmo intenso
Pontos negativos
Começo difícil
Excesso de descrições

Título: Bento
Autor: André Vianco
N.º de páginas: 517
Editora: Novo Século


Avaliação do MS?
O livro demora para empolgar. Vianco exagera nas palavras e nas frases curtas no início e pode chatear o leitor. Logo depois dessa parte, o livro empolga. Religiosidade, terror e sangue estão nas páginas seguintes, com uma distopia intensa cravada na cidade de São Paulo, o novo palco para as distopias nacionais. O livro merece quatro aliens pela ousadia do tema.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris