Resenha: Estátuas de Sal, de André Cardinali

sexta-feira, outubro 05, 2012

Venho tentando ler mais ficção científica nacional, apesar de o cenário não ser tão favorável seja pela falta de mercado, seja pela falta de editoras dispostas a publicar nossos autores. É difícil tentar sobreviver de livros no país, sabemos disso. Mas ainda assim temos ótimos títulos, alguns por editoras alternativas, ou até por edições independentes. A dica de hoje é Estátuas de Sal, de André Cardinali.





O livro

Estátuas de Sal pode enganar em um primeiro momento. Mas com o passar das páginas torna-se um thriller muito intenso, com revelações o tempo todo. É um livro distópico, que mostra uma cidade de São Paulo destruída por um grande terremoto que fez com que as pessoas abandonassem a cidade às ruínas, murassem todo o seu perímetro e fossem morar nas cidades do entorno. São Paulo é uma zona morta, caindo aos pedaços por dez anos, uma sombra sinistra do que já existiu da grande cidade.

estátuas de sal

Uma jovem inicia uma busca misteriosa e arriscada por respostas a respeito da vida de seu pai e é levada a entrar na cidade abandonada e perigosa, sendo perseguida, com a saúde em risco e o tempo tendo visões estranhas. Parece ser uma obra de Deus a destruição da cidade, mas será que foi só isso? A destruição levou às pessoas a acreditarem em uma intervenção divina no terremoto por todo o pecado dos seus cidadãos e pegam duas pessoas como bodes expiatórios por tudo o que aconteceu, pessoas que eram usadas como exemplo de como não se comportar e essa é uma passagem paralela à da personagem principal.

As cenas descrevendo uma São Paulo em ruínas são inquietantes. É difícil imaginar que uma cidade deste tamanho esteja abandonada, vazia, caindo, após um evento considerado divino, obrigando as pessoas a se mudar. Foi um evento tão traumático que viver com a lembrança torna as pessoas entristecidas, com uma mancha cinza permanente no horizonte.

cidade destruída
Uma cidade destruída e abandonada.

Ficção e realidade

O território brasileiro, felizmente, não apresenta falhas geológicas ativas como a que vemos em outros países para gerar um terremoto da intensidade necessária para destruir a cidade como vemos em Estátuas de Sal. Mas em um caso de catástrofe intensa e de grandes proporções, as pessoas tendem a se mudar, abandonando suas casas, seja de maneira compulsória ou por livre escolha. Um exemplo disso é Chernobyl, que permanecerá abandonada por muito tempo após à destruição do reator em 1986.

O livro traz uma perspectiva sobre a luta humana em continuar vivendo após o desastre. Sempre temos a impressão que nos cenários distópicos tudo vai desaparecer, as redes de energia, água e telefonia também vão parar de funcionar, mas Estátuas de Sal mostra um mundo distópico onde as pessoas se reergueram depois da catástrofe e construíram suas casas e refizeram suas vidas em outros lugares. Essa é uma característica da raça humana e vemos com frequência como as pessoas passam pelas tragédias e depois se recuperam. Essa foi uma grande sacada do livro.


Pontos positivos
Bem escrito
Ótimas descrições
Ritmo intenso
Pontos negativos

Circunstâncias mal explicadas o deixam meio incompleto

Título: Estátuas de Sal
Autor: André Cardinali
N.º de páginas: 295
Editora: Novo Século
Onde comprar: grandes livrarias


Avaliação do MS?

Algumas circunstâncias no livro não me agradaram, como certas passagens que não foram explicadas suficientemente. No entanto, o livro é muito interessante, acredito que o autor escreva muito bem e que acertou no tema e no modo de narrar, que é intenso. Por isso, ele recebe quatro aliens. Um ótimo livro, vale mesmo à pena ser lido.



Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris