Pular para conteúdo Pular para navegação

Viagens interestelares: animação suspensa

Alguns cientistas pelo mundo estão imaginando maneiras de enviar uma tripulação não só para Marte como também para fora do sistema solar. Um projeto audacioso, admito, e não sei se ele estará operacional em 2100, que é a previsão inicial. Uma das ideias para mandar um voo tripulado até Alfa Centauro, nosso primeiro alvo por ser o mais "próximo", é também um recurso muito usado na ficção científica: a animação suspensa.




A animação suspensa ou hibernação, ou estase (como algumas franquias de scifi utilizam) consiste em desacelerar os processos do corpo, diminuindo-os a um estado de quase morte, através de meios externos, em que os sinais vitais e todo o metabolismo só podem ser monitorados por meios artificiais. Batimentos cardíacos, ondas cerebrais, processos digestivos, ficam tão desacelerados, que a pessoa parece morta ou profundamente adormecida.

Ripley na hiperbárica
Cena clássica de Alien (1979) com Ripley na hiperbárica.

É um processo diferente da criogenia, que conserva embriões para fertilização, assim como esperma e óvulos, além de também ser usada por indivíduos que pretendem voltar à vida no futuro e permitem que seu corpo já morto seja conservado em grandes tanques de nitrogênio líquido. A animação suspensa reduziria os custos com suporte de vida na nave, preservando a vida e o conforto dos tripulantes enquanto viajam. Periodicamente pessoas seriam acordadas para verificar as funções da nave ou poderia-se usar robôs e androides, como foi o caso do filme Prometheus (2012), com o androide David (Michael Fassbender).

Uma das maneiras de conservar o tripulante em animação suspensa seria o frio. A hipotermia é utilizada ainda hoje em alguma cirurgias cardíacas abertas para preservar o metabolismo do paciente ao invés de utilizar a famosa máquina coração-pulmão. No entanto, períodos prolongados de exposição ao frio causam sérios danos aos tecidos quando a água presente nas células congela, se expande e danifica a parede celular.

Tripulantes da nave Louis and Clark, do filme O Enigma do Horizonte, preservados na água.

A hibernação ou animação suspensa não é um recurso nativo dos grandes mamíferos, com exceção possivelmente dos ursos. Justamente por não ser natural que induzir esta condição tem sido complicada. Um dos maiores exemplos são os cães zumbis, resultado de um experimento do Safar Center for Resuscitation Research da Universidade de Pittsburgh, em 2005 onde cães tiveram seu sangue drenado do corpo e uma solução fria foi injetada em suas veias. Quando foram trazidos de volta com a injeção do sangue em seus sistemas novamente e seus corações voltaram a bater com um choque elétrico, os cães voltaram a vida. No entanto, alguns dos cães apresentaram danos graves nos nervos, na coordenação motora, retardo mental e comportamento zumbi. Os russos fizeram experimentos semelhantes durante a Guerra Fria.

Além de ser um processo complicado para se aplicar no espaço, o que fazer com os danos que acometessem os tripulantes? Na Terra, se a técnica de animação suspensa fosse aperfeiçoada poderíamos tratar pacientes em estado grave, prolongando suas vidas até achar uma solução e até retardando sua doença. Mas no espaço, longe dos recursos de grandes hospitais e médicos, o que fazer?

O crio sono de Avatar
O crio sono de Avatar. 

Hibernação usando compostos químicos foi utilizada em camundongos através da inalação de sulfeto de hidrogênio e posterior hipotermia. Quando o sulfeto foi suspenso, os camundongos voltaram à vida. No entanto, projetos semelhantes em animais maiores demonstram que a animação suspensa pode ser inviável. E com isso, um voo tripulado seria também.

Mesmo que o frio seja hoje utilizado para ajudar pacientes, pois a Food and Drugs Administration dos Estados Unidos aprova essa técnica, ela não pode ser permanente. Se numa viagem de cinco anos um tripulante for mantido congelado, que tipos de danos aos tecidos ele vai desenvolver? Como será feito o processo de trazer o paciente ao metabolismo normal? E se não puder ser trazido? Ou seja, a tecnologia precisa melhorar muito para aperfeiçoar essa técnica que para mim parece ser a que melhor se adapta aos voos longos. Cabe ao futuro e aos cientistas agora.

Na ficção científica
Alguns filmes e séries de televisão que abordam as viagens espaciais com animação suspensa dos tripulantes ou para tratamento médico (se lembrar de mais alguma, pode comentar):

  • Avatar
  • 2001 Uma odisseia no espaço
  • Cargo (filme alemão de 2009)
  • Aliens (toda a franquia)
  • O Enigma do Horizonte
  • Stargate
  • Jornada nas Estrelas
  • Babylon 5

E você, o que acha do processo de animação suspensa? Até mais!
Editar o post
Comentários
Momentum Saga © 2010-2014 | Designed by Marta Preuss | Modified by Sybylla | Proudly powered by Blogger