Resenha: Angola Janga, de Marcelo D'Salete

Angola Janga é uma obra de arte em formato de quadrinhos. Um quadrinho este que é necessário, que deve ser lido e indicado, trabalhado em escolas, sempre à mão para uma consulta. Aqui podemos conhecer mais sobre um episódio extremamente importante história brasileira: os últimos anos do famoso quilombo de Palmares.





O quadrinho
Fruto de 11 anos de pesquisa e trabalho, D'Salete nos fala sobre a história da Guerra dos Palmares, conflito que ocorreu no século XVII entre os escravizados e as forças coloniais portuguesas. O título Angola Janga, em bantu quimbundo, quer dizer "pequena Angola". Formado por vários mocambos, a capital chegou a ter 6 mil pessoas. Só para fins de comparação, Recife na mesma época tinha 8 mil. Ao todo, havia mais de 20 mil pessoas espalhadas pela Serra da Barriga, onde cultivavam mandioca, feijão, batata-doce, cana-de-açúcar, milho, além de criarem aves e porcos.

Resenha: Angola Janga, de Marcelo D'Salete


O Quilombo dos Palmares foi um dos principais do período colonial brasileiro. Aqui o autor desenha e narra a história de personagens negros importantes para Palmares como Zumbi, Antônio Soares, Ganga Zumba e Ganga Zona. Principal liderança do quilombo, Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695. Por volta de 1600, Palmares cresceu bastante, mas mesmo com as incursões na tentativa de destruir os mocambos, o fato de estarem espalhados pela serra foi providencial para derrotar os inimigos. Cada mocambo era separado uns dos outros por cerca de 30 km, sendo assim muito difícil atingir todos. O conflito entre portugueses e holandeses foi a chance de muitos escravizados fugirem para Palmares.

Havia muitas etnias diferentes em Palmares e o autor se preocupou em trazer essa herança que ainda reside em nossa língua com palavras de origem banto, quimbundo e umbundo. E havia divisões entre eles, em alguns momentos, como pessoas escolhendo ficar em Cucaú, um dos mocambos da serra ou ficar em Angola Janga. O quadrinho traz essa complexidade das relações entre os habitantes de Palmares, mostrando uma comunidade dinâmica e complexa, nos ensinando e educando sobre um período da história que pouca gente conhece.

De maneira geral, o quadrinho mostra as últimas décadas de Palmares, onde acompanhamos a resistência dos negros escravizados e quilombolas, os conflitos com os portugueses e a brutalidade da violência colonial da época. É possível ver personagens com o corpo marcado pelos maus tratos e pela tortura, é possível sentir a angústia de suas mentes por meio de suas expressões faciais. Um trabalho meticuloso, repleto de detalhes, com quadros repletos de informações.

Angola Janga

O nome pode até ser "pequena Angola", em alusão a um assentamento fora da nação original, mas a obra em si não tem nada de pequena. Em capa dura e papel branco, o quadrinho tem 432 páginas. Além da introdução do autor, há material de apoio no final, como mapas, glossário, textos e bibliografia. Achei o começo um pouco confuso e demorei para entrar na história pela forma como o autor pula de um evento para o outro, de um ano para o outro, mas é uma obra obrigatória e que tinha que estar na mochila de cada estudante do país. Senti falta de Dandara na história. Mesmo que o autor tenha se valido de muita liberdade criativa, ele poderia ter destacado a liderança e atividade feminina além de Acotirene.

Angola Janga



A mata é nossa melhor arma.

Página 93


Obra e realidade
Por mais de cem anos, Palmares foi como um reino africano dentro da América do Sul. É gritante saber que a maioria dos brasileiros desconhece essa história. Mas o próprio autor explica que esse desconhecimento é proposital. No Brasil pós-abolição, houve e ainda há todo um trabalho para apagar a cultura negra, para ressignificar o passado, para forçar uma história branca sobre um país que odeia suas origens. O Brasil não tolera o nazismo de playboys em podcasts, mas vê lojas de suvenires no aeroporto vendendo estátuas de negros escravizados e acorrentados sem qualquer problema. Um país que tolera um restaurante chamado Senzala.

Marcelo D'Salete


Marcelo D'Salete é um quadrinista, ilustrador e professor brasileiro. É mestre em história da arte pela Universidade de São Paulo. Entre outros prêmios, Angola Janga ganhou o Prêmio Jabuti, “Melhor história em quadrinhos” em 2017.

Pontos positivos
Traços
Bem escrito
Bem pesquisado
Pontos negativos
Começo confuso
Pode ser meio lento


Título: Angola Janga: uma história de Palmares
Autora: Marcelo D'Salete
Editora: Veneta
Ano: 2017
Páginas: 432
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
Não vou dizer que é uma leitura fácil, até porque acho que, pelo tema, nem deve ser. Ela tem que ser crua, direta. O andamento da leitura pode ser bem lento de vez em quando, o que pode incomodar quem queira uma leitura mais ágil. Mas não vejo isso como um grande problema. É um quadrinho incrível, muito bem pesquisado, muito bem trabalhado e que deve estar em qualquer estante. Quatro aliens e uma forte recomendação para você ler também!




Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.