Como ficam as crianças no apocalipse?

Gosto muito de The Walking Dead (pelo menos até o momento em que eles encontram Negan). Essa não é uma série sobre zumbis, é uma série sobre sobrevivência e de como eventos traumáticos afetam as pessoas. Vemos isso ao longo das temporadas como que pessoas que nunca tiveram voz ou força se tornam protagonistas de suas próprias vidas. A forma como as dinâmicas sociais mudam completamente permite que as pessoas descubram características que nunca pensaram ter.

Mas nem tudo é para o bem, há pessoas que adotam o lado da perversidade extrema, que não veem problema em matar e mutilar em nome de um "bem maior". E as populações mais vulneráveis em situações de catástrofe são aquelas com menor capacidade de se defender, como idosos e crianças.

Como ficam as crianças no apocalipse?



Enquanto algumas crianças cresceram de forma a tentar manter um caráter, como Carl, outras crianças não conseguiam encarar o apocalipse do jeito que ele era. É o caso das irmãs, Lizzie e Mika. O melhor episódio de TWD é justamente aquele em que as irmãs morrem e Carol e Tyrese precisam lidar com o fato de que as duas meninas morreram. É um episódio que fala muito sobre nossa humanidade e a perda dela, de como nossos valores, que parecem inabaláveis, podem sumir ou se transformar de uma hora para outra quando as condições ao seu redor mudam.

Lizzie não era uma psicopata - os cérebros das crianças estão em desenvolvimento e suas personalidades ainda estão se formando. O diagnóstico de uma psicopatia só pode ser feito em pessoas acima de 18 anos. No caso das crianças se fala em transtorno de conduta. Existem casos famosos de crianças que planejaram assassinatos e agiram com extrema crueldade, mas não há como puni-las pelo sistema de justiça. Elas precisam de tratamento psiquiátrico, muitas vezes pelo resto da vida, enquanto um adulto psicopata diagnosticado precisa de vigilância constante e nos casos extremos ser afastado do convívio da sociedade.

Quando assistimos a uma série como TWD, que tem tempo para desenvolver a psique de seus personagens, diferente de um filme, podemos ver um cenário que mostra o que pode acontecer com a sociedade em um evento catastrófico. Os zumbis são só uma desculpa, pode ser qualquer coisa, um meteoro, vulcanismo intenso, mudanças bioquímicas nos oceanos, um pulso eletromagnético que derruba a eletricidade no mundo inteiro. Nossa sociedade é frágil a ponto de ruir rapidamente e de maneira irreversível. Como ficam as populações vulneráveis neste cenário?

No caso de Lizzie, é bem provável que ela já fosse uma criança com problemas antes dos zumbis, pois vemos como ela precisa ser consolada em determinados momentos. Não quer dizer que ela se tornaria uma psicopata na vida adulta, ela apenas não conseguia lidar com o apocalipse e via os zumbis como seres incompreendidos. Crianças, especialmente as pequenas, têm dificuldades de expressar o que querem e podem explodir, ter crises de fúria, chorar, o que muita gente confunde com "birra". Agora imagine como ficaria a cabeça das crianças estando em um mundo onde os mortos caminham?

Qualquer evento que leve ao fim de uma civilização seria extremamente traumático para Lizzie ou para qualquer criança. Se os adultos já têm dificuldades de se adaptar a crises e situações traumáticas, consegue imaginar como seria para uma criança? Fico pensando o que seria de mim numa situação dessas. Como eu poderia abandonar meus gatos e seguir pelas estradas em busca de água e comida? E minha coluna, como fica? Preciso de medicação de uso contínuo, minha mãe também. Até quando saquear as farmácias funcionaria?

Sei que a maioria das pessoas evita pensar no fim do mundo, talvez por achar que ele não vai acabar, talvez por achar que não sobreviveria a ele. Os membros mais vulneráveis de nossa sociedade seriam os primeiros afetados em situações extremas, inclusive os animais domésticos. E mesmo aqueles que acham que jamais matariam e roubariam para sobreviver seriam capazes de ações execráveis quando as circunstâncias mudassem drasticamente. Eu nunca precisei matar para comer, será que eu poderia fazer isso caso estivesse definhando de fome?

Antes de morrer, Lori pede que Carl seja bom. Ela sabia que aquele mundo poderia mudar seu filho para sempre e queria que ele não se desviasse do bom caminho. Quando foi que perdemos Lizzie? Quando foi que tantas crianças se perderam para o mal e a perversidade de um mundo que elas não compreendem? Não precisamos ir muito longe, perdemos crianças todos os dias nos pequenos apocalipses que acontecem por toda parte, como nos morros das periferias pobres dominados por traficantes e milicianos, a comunidades pobres e isoladas aliciadas por terroristas. As crianças ainda podem ser salvas. O mundo não precisa acabar para ninguém se aqueles que possuem o poder assumirem a responsabilidade.

Até mais!

Leia também:
Se preparando para o apocalipse zumbi - Centro de Controle de Doenças - EUA

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

1 Comentário

  1. Muito boa indagaçao no texto. Eu vi nao ha muito tempo esse episodio, e realmente foi perturbador. Essas historias servem para alertar a humanidade da fragilidade do teia social, moral e mesmo tecnologica que nos apoiamos, e que um evento catastrofico pode empurrar a humanidade para limites e além, os quais a maioria nao conseguiria enfrentar. é Darwinismo puro. Que a gente aprenda algo!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.