Resenha: A Poção Secreta, de Amy Alward

Quando leio livros para jovens adultos ou juvenis, sempre fico pensando o quão bom seria ter essas leituras quando eu era adolescente. A quantidade incrível de mundos e personagens que encontrei é fantástica. É aí que a gente vê que as pessoas estão deixando esses livros de lado por preconceito. Seja por serem obras para adolescentes, seja por serem obras escritas por mulheres. No primeiro livro desta série, temos uma princesa que administrou uma poção de amor e acabou se apaixonando... por sim mesma.



Parceria Momentum Saga e
Editora Jangada


O livro
Este mundo de alquimistas lembra muito o nosso mundo, pois tem celulares, tablets, televisão, carros, mas também tem magia. É neste universo que mora Samantha Kemi, em uma família com longa tradição alquímica e que vê a fama da família na lama. A loja de poções está quase sempre vazia e a família ainda deixa os poucos clientes comprarem fiado. O motivo de tão pouco movimento? Uma empresa chamada Zoroaster criou poções feitas com ingredientes sintéticos, ao invés dos naturais e agora domina o mercado e as poções. Inclusive da família real.

Resenha: A Poção Secreta, de Amy Alward

Não foi sempre assim. A Loja de Poções Kemi foi um dia uma das boticas mais proeminentes de Kingstown. Mas ninguém precisa mais de boticas. Não quando tem megafarmácias, no centro da cidade, vendendo versões sintéticas das poções tradicionais pela metade do preço. Agora somos resquícios de um tempo que não volta mais. Relíquias.

Página 11

A família Kemi é pobre, mas bastante unida. Sam é aprendiz de seu avô e a única a ter o tom da alquimia, portanto treina com ele e cuida da loja quase que em tempo integral. Ela e sua melhor amiga, Anita, despejam simpatia e girl power pelas páginas e foi muito revigorante vê-las unidas por um bem comum, até mesmo quando Sam dá uma mancada horrível e pede perdão. A amizade supera as adversidades, ao invés de termos mulheres competindo entre si. Isso foi bem legal.

Sam se vê convocada para o palácio em uma tarde, pois a princesa e herdeira está com problemas. Primeiro eles dizem que ela foi envenenada, mas Sam junta as peças rapidamente ao ver o comportamento dela: a princesa Evelyn se apaixonou por si mesma e agora vive se olhando no espelho, tal como Narciso, apaixonada por quem ela vê no espelho, sem se dar conta que é ela mesma. Ela sorri para o espelho e pensa que o amor de sua vida lá do outro lado está sorrindo de volta. O problema é que poções do amor foram banidas do reino justamente porque elas meio escravizam as pessoas, assim não existem receitas para elas. Será preciso lançar uma Caçada Selvagem para que experientes alquimistas encontrem os ingredientes e consigam criar um antídoto.

Devo dizer que fazer a princesa se apaixonar por si mesma foi um excelente artifício da autora. O enredo poderia ter seguido obras semelhantes, com uma princesa enfeitiçando um príncipe e os dois vivendo felizes. A mensagem é bem óbvia: não se pode forçar ninguém a se apaixonar por você, nem a te amar. Você tem que se amar primeiro, de maneira genuína, isso é o mais importante.

Conforme Sam vai pensando nos ingredientes, ela lista o que cada um faz, até mesmo o chocolate, que tem várias indicações. Mesmo tendo uma paquerinha de Sam com um rapaz do colégio, a forma como o romance foi colocado não atrapalha a jornada de Sam e sua coletora super experiente e chutadora de bundas, Kirsty. Há também a diversidade de mundos criados pela autora, com um deles sendo obviamente a Índia, o outro talvez as florestas da África e Kingstown sendo bem parecida com uma Londres moderna. Senti falta de um mapa, pra variar.

O livro é meio repetitivo em alguns momentos, como o fato de Kemi gostar de um garoto, mas não quer admitir e o amor de Kemi por sua família, tanto que chegou uma hora em que eu pensei "Tá, garota, sua família é maneira, agora presta atenção na Caçada, faz favor?". Adorei como ela é unida e se apoia e a irmã mais nova de Sam tem um papel fundamental na história. Aliás, são as garotas que tocam o enredo em praticamente todas as cenas de ação e perigo, o que foi maravilhoso de ler.

A edição da Jangada segue as capas gringas em uma edição muito bonita e bem diagramada. Encontrei alguns problemas com a tradução ou revisão, uma ou outra palavra que poderia ter sido melhor traduzida aqui e ali. Já estou ansiosa para ler o segundo volume, pois recebi um kit lindinho e mágico da editora e estou adorando o enredo. Uma crítica é com relação à identificação da trilogia: para você saber a ordem correta tem que abrir os livros e procurar a informação. Uma, duas e três bolinhas na lombada, ou os números mesmo, já resolvia o problema.

Imagine nunca ter feito nada errado sua vida inteira. Como você lida com isso quando as coisas começam a desmoronar?

Página 252

Ficção e realidade
Poções do amor são vistas em muitos enredos de magia e bruxaria, até mesmo em Harry Potter. E os efeitos podem ser desastrosos. Vemos no filme Jovens Bruxas o modo como um dos adolescentes fica obcecado por uma das bruxas que jogou um feitiço nele e depois ela acaba se arrependendo. O problema da poção é tornar a pessoa uma escrava de um sentimento que não existe. Em Supernatural um nerd usou uma moeda encantada para fazer com que seu amor de longa data não correspondido o amasse "mais do que tudo" e ela quase mata Sam Winchester. A mensagem é óbvia: se o amor não for natural e espontâneo ele pode ser extremamente perigoso.

Amy Alward

Amy Alward, que também assina como Amy McCulloch, o que me confundiu, admito, nasceu no Reino Unido, estudou em Toronto e hoje mora em Londres, onde trabalha. Formou-se em Letras, com ênfase em Literatura Inglesa e Medieval. Antes de se tornar escritora em tempo integral, ela foi editora chefe da divisão de livros infantis da Penguin Random House.

Pontos positivos
Protagonista feminina
Alquimia e poções
Princesa Evelyn
Pontos negativos

Pode ser lento e repetitivo em algumas partes
Erros de revisão e tradução

Título: A Poção Secreta
Título original em inglês: The Potion Diaries
Série: Diário de uma garota alquimista
1. A Poção Secreta
2. A Poção Perdida
3. A Poção Mortal
Autora: Amy Alward
Tradutora: Denise de Carvalho Rocha
Editora: Jangada
Páginas: 368
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Fiquei com medo de achar o enredo bobo ou até infantil e me surpreendi; aliás adoro. Fico feliz quando termino um livro que parecia ser uma coisa e ele é outra ainda melhor. Você vai curtir caminhar com Sam e seguir em sua aventura para salvar a princesa. Personifique sua adolescente interior e se encante pela jornada delas. Quatro aliens para o livro e uma forte indicação para você ler também.


Até mais!

(...) às vezes, as reações corretas só acontecem depois que todos os ingredientes já estão na panela.

Página 350

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.