Dez coisas estranhas que voaram em um ônibus espacial e você não!

A NASA aposentou seus ônibus espaciais para economizar dinheiro, visto que está numa crise bem aguda. Assim, para suas futuras missões, ela usará de ajuda russa (mas dinheiro para manter tropas e fazer guerra no país dos outros, o país tem, né?). A lista abaixo mostra as coisas estranhas que já voaram no ônibus espacial em tantos anos de serviço. Algumas eu nem sabia que fizeram a viagem!


Dez coisas estranhas que voaram em um ônibus espacial





10. Buzz Lightyear
O protagonista de Toy Story realizou o sonho de ir ao espaço! Em maio de 2008 ele foi para a Estação Espacial Internacional à bordo do Discovery. Em setembro de 2009, ele voltou à Terra, novamente à bordo do Discovery. A ideia de levar o astronauta de brinquedo para o espaço foi uma parceria da NASA com a Disney, em uma tentativa de inspirar as crianças a gostar de ciência. Houve até vídeos gravados com Buzz no espaço.


9. O sabre de luz de Luke Skywalker
O sabre do heroi da saga Star Wars voou à bordo do ônibus espacial Discovery em 23 de outubro de 2007. O Discovery foi a órbita para levar um novo módulo de laboratório para a estação. O sabre é o original usado por Mark Hamill em O Retorno de Jedi. Os fãs não precisam ficar preocupados, pois o sabre voltou para a Terra a tempo das comemorações dos 30 anos da franquia de George Lucas. Ele aliás assistiu o lançamento do Discovery e recebeu o sabre de volta, são e salvo.


8. As cinzas de Gene Roddenberry
O criador da franquia de Star Trek faleceu em 1991 devido a uma parada cardiorrespiratória. De maneira a imortalizar o criador de uma das mais icônicas e conhecidas séries de ficção científica, parte de suas cinzas voaram no ônibus espacial Columbia, em 1992, onde o frasco orbitou a Terra 160 vezes antes de retornar à nave. Foi a primeira vez que restos humanos foram a órbita.


7. Refris
Em 1985, latas modificadas de Coca-Cola e Pepsi voaram no ônibus espacial Challenger. Originalmente, apenas a Coca-Cola estava programada para voar. As latas tinham um bocal diferente para que o refrigerante não saísse flutuando. O experimento, por sua vez, foi um fracasso. Os astronautas não curtiram a ideia de beber refri quente, já que não tinha geladeira dentro dos ônibus espaciais.


6. Peixinhos
O Columbia, em 1994, levou para a órbita do planeta quatro peixinhos japoneses chamados Oryzias latipes. O experimento visava entender a reprodução desses animais em microgravidade, analisando também a possibilidade de esses animais serem criados no espaço.


5. iPhones
Em 8 de julho de 2011, a última missão do ônibus espacial Atlantis levou para órbita dois iPhones. Eles não funcionam no espaço, sabemos disso, mas o dispositivo foi adaptado pela NASA para ser uma ferramenta espacial - tipo um tricorder - medindo a altitude da plataforma orbital e a curvatura da Terra. Em setembro do mesmo ano, eles retornaram ao planeta à bordo da Soyuz.


4. Uma colmeia
A quinta missão do Challenger, em 1984, levou ao espaço cinco astronautas e três mil abelhas. Os cientistas queriam descobrir como as abelhas se comportavam em microgravidade. Na verdade, as abelhas nem se importaram com a microgravidade e trabalharam na colmeia como se nada estivesse acontecendo.


3. Etiqueta de Jamestown
Jamestown foi o primeiro assentamento britânico fundado em caráter permanente no continente americano em 14 de maio de 1607, no atual estado americano de Virgínia. Em junho de 2007, uma etiqueta de mercadoria com destino a Jamestown voou à bordo do Atlantis rumo à Estação Espacial Internacional para honrar o legado dos primeiros colonos na América do Norte. A etiqueta fizera a travessia do Atlântico várias vezes e depois direto para o espaço. Ela retornou à Terra e está hoje em exposição em um museu da Virgínia. Na placa se lê "Yames Towne", Jamestown em inglês arcaico.


2. Lula bebê
A fim de estudar o comportamento de determinadas bactérias que habitam a pele das lulas, uma lula bebê foi enviada ao espaço à bordo do Endeavour, em sua última missão, em 16 de maio de 2011.


1. Esperma de ouriço do mar
Em uma tentativa de entender se a velocidade dos espermatozoides muda em microgravidade, o esperma de ouriço do mar foi levado à bordo do Atlantis para passar por experimentos. Pegava meio mal utilizar esperma humano, então preferiram usar o do ouriço. Descobriram que em microgravidade, os espermatozoides nadam mais rápido.

space shuttle


Até mais!


Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.