6 regras para a sua construção de mundo na ficção especulativa

Uma das coisas que mais preocupam alguém que escreve ficção especulativa (ficção científica, fantasia e terror) é sobre a construção de mundos de suas histórias. Às vezes é possível sentar e esboçar todo o universo, mas muita coisa é criada enquanto a escrita é desenvolvida. Resolvi elaborar um guia básico sobre os aspectos mais importantes sobre a construção de mundos na ficção.

6 regras para a sua construção de mundo na ficção especulativa


Pelo meu tempo de escrita e muitas páginas jogadas no lixo ao longo dessa estrada, eu sei que construir novos universos é uma tarefa que pode ser ingrata. Não tem nenhuma fórmula mágica aqui, é apenas prática, tempo e atenção aos detalhes, além do cuidado de não estereotipar e ofender ninguém. Existem algumas coisas que é preciso prestar atenção na hora de construir seus mundos.


Tempo
A primeira coisa a se pensar sobre o seu mundo novo é em que momento do tempo ele se encontra, em qual época. É no passado, no futuro, no presente, mas em uma realidade alternativa? Dependendo da época em que sua história ocorrer, se ela se passar na Terra, por exemplo, mudanças climáticas podem ter se estabelecido. Se ela se passar em outro planeta você tem ainda mais liberdade para criar continentes e estabelecer o clima que quiser.

Em realidades alternativas você deve pensar também como as nações evoluiriam com o tempo. Ou pensar em como o mundo seria sem a Segunda Guerra Mundial. Em todo caso, você vai precisar fazer alguma pesquisa. Pesquisa é o trabalho básico de todo mundo que escreve. Também não tenha pressa na hora de construir este mundo. Quanto mais rico ele for, mais interessante será. E mais informações você precisará.


Espécies
Seu enredo terá apenas seres humanos? Ou terá fadas, gnomos, alienígenas, trolls? Você tem que tomar muito cuidado com espécies porque elas já foram muito trabalhadas por outros autores e você pode acabar caindo na imitação. Principalmente em fantasia, muita gente ainda acha que precisa imitaar Tolkien. Não vejo problema se você só quiser treinar a escrita, mas quando for para valer, se sua história só imita um grande autor, você nunca fará nada que chame a atenção de alguém. É só mais do mesmo.

Você está falando de um futuro onde a raça humana conquistou o espaço? Tem alienígenas? Como eles são? Qual seu planeta de origem? Humanos e aliens convivem numa boa? Não se limite à forma humanoide, tente outras configurações. Leia sobre a vida baseada em silício ou inove, crie vida direto da matéria escura.


Sistema de governo
Este é um aspecto importante nos enredos e, dependendo do tipo de história, é o motor que a empurra para frente. As maquinações política são muito importantes e podem se tornar pontos de interesse e reviravoltas. A forma como a soviedade se organiza também é em volta de uma forma de governo. Monarquia, parlamentarismo, ditadura, república, cada sistema tem suas regras e você precisa conhecê-las antes de escrever.

Além da escolha de um sistema de governo, você deve pensar em qual é o impacto dele na vida de seus personagens. Eles estão se rebelando contra o governo? Um deles faz parte do governo de alguma forma? A estrutura governamental é corrupta e vem sendo influenciada pelos vilões?


Religião e crenças
Nem sempre um mundo precisa de uma religião organizada, mas ele pode ter um sistema de crenças básicas. Se o seu mundo tem uma religião, como ela se expressa? Politeísta? Monoteísta? São várias as religiões? Elas podem estar em conflito? Na nossa própria história nós temos inúmeros conflitos religiosos e você pode estudar tais conflitos para se inspirar.

Se não existe religião, houve alguma no passado? Se não há religião, essa sociedade crê em algo específico? Essa crença é fundamental para o bom andamento da trama ou é só uma característica inerente de um determinado personagem.


Economia
Economia no seu enredo não é só a existência de dinheiro. O seu mundo funciona com um sistema monetário ou as pessoas realizam trocas? Existe um problema com a falsificação? As transações são eletrônicas ou são feitas em espécie? Lembre-se que a economia também envolve o poder de compra das pessoas e isso as enquadra em classes específicas, como classe média, classe alta. Essas classes têm conflito entre si?

O seu mundo ainda tem escravidão? Seus trabalhadores são explorados? Quais são os conflitos que essas relações de trabalho desiguais podem trazer para seus personagens?


Tecnologia e magia
Nem sempre é preciso explicar uma tecnologia ou uma magia para que seu mundo funcione, mas você deve saber como ela funciona. A magia, por exemplo, há limitações para o que ela pode fazer? Quem detém o poder mágico no seu mundo? Há conflitos entre essas pessoas? A magia pode acabar definindo a classe social das pessoas que vivem neste mundo?

No caso da tecnologia não é muito diferente. A posse ou não de uma determinada tecnologia avançada pode servir de fio condutor e até de conflitos para o seu enredo. Você não tem que, necessariamente, explicar como um motor de dobra funciona, mas pode usar a presença dele ou não em uma nave para criar um conflito entre seus personagens.

Outro ponto importante: tecnologia e magia não são mutuamente excludentes. Experimente ter os dois na sua história.

É muito importante lembrar que na ficção especulativa nós detemos total poder sobre o mundo que criamos e os personagens que estão nele. Não se prende às convenções sociais. Pense em formas diferentes de viver e de se trabalhar. Extrapole as dificuldades da nossa realidade em um mundo alternativo e encontre soluções para elas. Com pesquisa, inspiração e imaginação você vai conseguir criar algo autêntico e divertido!


Até mais!

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.