Resenha: A Melodia Feroz, de Victoria Schwab

sexta-feira, abril 27, 2018

Em um mundo violento em que magia e o sobrenatural se aproximam da vida mundana das pessoas, o que aconteceria se cada ato violento, assassinatos, chacinas, acabassem gerando seres bestiais? Consegue se imaginar vivendo em uma cidade dessas? Uma cidade dividida entre dois líderes, cada um com seu jeito de ver e governar o mundo? Essa é a premissa de A Melodia Feroz.



Este livro foi uma cortesia da Seguinte


O livro
Este é um futuro distópico, onde cidades e distritos se ergueram sobre o que antes eram os Estados Unidos. Mas cada ato de violência gera um monstro que passa a ser parte dos locais onde o ato aconteceu. Os Malchais se alimentam de sangue, os Corsais de carne e osso e os Sunais, os mais raros, alimentam-se das almas das pessoas. A mensagem do livro é direta e bem óbvia: violência gera violência. E mesmo sabendo disso, as pessoas continuam cometendo agressões, assassinatos, chacinas, gerando mais e mais monstros.

A Melodia Feroz de Victoria Schwab

Na Veracidade, território onde praticamente toda a ação acontece, dois grupos dividem a Cidade V. De um lado os aliados de Harker, o lado mais ganancioso e agressivo, enquanto do outro lado estão os Flynn, em busca de uma vida mais equilibrada, mais justa. São os filhos destas famílias, Kate Harker e August Flynn que conduzirão a narrativa.

Algo que curti muito no livro foi o fato de eles se tornarem amigos improváveis e não rolar uma paquerinha logo de cara. Não aguento mais livros em que os protagonistas só pensam em arrancar as roupas uns dos outros enquanto o mundo desaba lá fora. Na verdade, Kate quer impressionar o pai de qualquer forma e pode ser insuportável em alguns momentos. Temos, infelizmente, uma personagem cuja tragédia foi baseada na morte de outra mulher e fico pensando se na hora de escrever isso é automático, pois me parece que tem escritores que nem pensam nisso. Esse é um estereótipo irritantemente comum.

Quando alguém aperta um gatilho, dispara uma bomba, faz um ônibus cheio de turistas cair da ponte, o resultado não são apenas escombros ou cadáveres. Existe outra coisa. Algo mau. Uma consequência. Uma repercussão. Uma reação a todo o ódio, dor e morte.

Página 52

A narrativa da Victoria é muito boa, o livro passa rápido nas mãos. As cenas são tensas, são vívidas, inclusive os monstros. Mas para mim o enredo ficou óbvio no meio da leitura. Depois que Kate sofre um brutal ataque na escola, quase morrendo no processo, ficou fácil juntar as peças e saber quem tinha arquitetado tudo e quem mais poderia estar por trás. Victoria não se esforçou em esconder as pistas. Se foi de propósito ou não, não sei dizer, mas cheguei ao final pensando "bem, eu sabia que seria assim". Não chega a estragar a jornada ao lado dos protagonistas, que foram bem construídos, apenas deixou o final meio sem graça.

A edição da Seguinte está bem bonita, com o bônus do marcador de página na orelha da contracapa. Não encontrei grandes problemas de revisão e diagramação pela leitura.

Ficção e realidade
Foi interessante a autora mostrar o quanto a violência deixa marcas. Estamos em geral tão amortecidos pela violência diária nos telejornais, nos corpos cobertos nas calçadas, que acabamos vendo esse ato brutal como corriqueiro. Se a violência pudesse deixar marcas físicas na vida de uma sociedade, como deixando monstros nos lugares marcados pela violência, será que aprenderíamos alguma coisa com isso? Ou continuaríamos nos matando? Sabendo o que sabemos sobre a história da raça humana, podemos imaginar o que aconteceria.

Victoria Schwab

Pontos positivos
Violência gera violência
Kate e August
Distopia
Pontos negativos

É meio óbvio do meio pra frente


Título: A Melodia Feroz
Título original em inglês: This Savage Song
Série Monstros da Violência
1. A Melodia Feroz
2. O Dueto Sombrio
Autora: Victoria Schwab
Tradutor: Guilherme Miranda
Editora: Seguinte
Ano: 2017
Páginas: 380
Onde comprar: AmazonCompre A Melodia Feroz, de Victoria Schwab

Avaliação do MS?
Victoria entrega o que promete. Em mundo marcado pela violência, cada ato de agressão terá uma consequência, em especial em um mundo onde a impunidade reina. Foi uma forma criativa de levar o assunto para a literatura, tratando de um tema tão complicado, quanto é a violência urbana. Apenas a jornada poderia ter sido melhor trabalhada, com um pouco mais de suspense envolvendo os eventos na Cidade V,uma construção de mundo mais detalhada. Isso me deu uma certa desanimada para pegar o próximo volume. Três aliens para o livro.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

Deixe seu comentário!

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes