Resenha: Chronos - Viajantes do Tempo, de Rysa Walker

quarta-feira, dezembro 20, 2017

Eu queria ter amado esse livro, pois adoro viagens no tempo. E o fato de ter mulheres viajando no tempo é ainda mais legal. Toda a tecnologia envolvida e os paradoxos são bem desenvolvidos. Infelizmente o livro tem alguns problemas que acabaram com o prazer da leitura.



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro
Kate e sua mãe esperam sua avó em um restaurante. Ela parecia ansiosa para um encontro, apesar de sua mãe não parecer nem um pouco ansiosa em vê-la. Kate não sabe bem o que aconteceu entre elas para as duas se destratarem de tal maneira, mas sua avó parece ser uma senhora bem descolada, inteligente e que carrega um estranho medalhão que brilha num lindo tom de azul. E só Kate parece perceber o brilho.


Aliás, essa apresentação da avó de Kate, Katherine, já mostra a mulher forte que ela é. Mesmo estando doente, ela quer conviver mais com a filha e a neta. Mas a mãe de Kate é teimosa e relutante. Ela deixa a filha morar com Katherine por meio período para que as duas possam se conhecer melhor, mas não quer ter muita coisa a ver com o assunto. Senti que essa parte foi pouco explorada pela autora. A explicação que ela dá para o assunto mal resolvido das duas é insuficiente.

Uma das primeiras coisas que Katherine explica para Kate é sobre os terríveis "ataques de pânico e ansiedade" que sua neta tinha sofrido. Não eram simples crises que se resolvem com remédios, eram grandes mudanças na linha do tempo. Cada vez uma grande mudança ocorria na linha do tempo original, as pessoas que podiam viajar por ele sentiam isso de maneira física. Logo, ela revela seu maior segredo: Katherine é uma viajante do tempo. Ela veio do futuro, onde trabalhava como historiadora para uma empresa chamada Chronos. Isso era algo que eu queria ter visto mais, no entanto como este é o primeiro livro, acredito que precisava ser mais introdutório mesmo e espero que a autora traga mais informações e visões sobre a Chronos em próximas edições.

Kate tinha tudo para ser uma protagonista fantástica, algo que sua avó é. Infelizmente a protagonista perde a inteligência quando está perto de um garoto bonito. Um exemplo: ela percebe uma mudança na linha do tempo, uma grande. Quando chega na escola onde seu pai é professor, seu lugar está ocupado por um garoto (gato, óbvio) e na casa onde seu pai deveria morar, há uma professora. Ou seja, seus pais nunca se conheceram, sua mãe não existe e ela, por tabela, também não. Se ela retirar o medalhão do pescoço, Kate vai sumir dessa linha temporal. Uma situação de extremo risco para ela.

O que você faria em seu lugar? Voltaria para a casa de sua avó, que é um lugar seguro de qualquer mudança temporal pra pedir ajuda e pensar no que fazer em seguida ou vai procurar pelo seu pai, que não é seu pai, que não sabe quem você é, que nunca te viu, e diz "oi, pai, você não me conhece, mas sou sua filha"? No mínimo, o cara vai chamar a polícia. Mas é exatamente isso o que ela faz. Além de ficar pensando no beijo apaixonado que um rapaz (gato, óbvio) lhe deu no metrô antes de desaparecer na sua frente, ela vai confiar no garoto gato e loiro da escola, que ela acabou de conhecer, conta tudo pra ele sobre viagens no tempo e tudo mais... Olha. Isso CANSOU durante a leitura, mas cansou mesmo.

Você carrega uma imensa responsabilidade nas costas, tendo que ao menos tentar consertar a linha do tempo para poder existir. Tudo o que você pensaria na sua vida seria sua mãe, seu pai, sua vida normal que foi mudada para sempre, mas Kate não dispensa um só pensamento para a mãe, que nem existe mais. Kate só pensa nos garotos. Na pele dos garotos, no cheiro dos garotos, no olhar dos garotos, na boca dos garotos, se vai poder transar com o garoto. Ai, miga, não força a amizade? Foca na missão?

A autora conseguiu descrever lindamente os lugares e momentos históricos quando Kate precisa viajar no tempo. Você se sente nos lugares, consegue ver aquelas pessoas com clareza e a forma como se comportam e falam estão bem inseridos no contexto. Até mesmo suas roupas são bem descritas, é possível sentir o tremendo desconforto de usar sapatos de salto e espartilhos.

A edição da DarkSide é linda. Adorei a capa em roxo com o detalhe de uma ampulheta. A diagramação também está bem feita e encontrei alguns erros de digitação que não chegam a atrapalhar a leitura.

Ficção e realidade
Viagem no tempo é meio que um arroz e feijão da ficção científica. Toda franquia, de Star Trek, a Babylon 5, de Stargate a Dark Matter, já trabalhou com o assunto em algum momento, até várias vezes. E uma das coisas que sempre nos alertam a respeito é sobre os paradoxos. Qualquer alteração no passado, por menor que ela seja, pode alterar o presente para frente, nem sempre de maneira benéfica, como vemos em De Volta Para o Futuro.

Rysa Walker

Uma coisa legal que Rysa fez em Chronos foi mostrar uma linha do tempo que já tinha uma alteração: a igreja dos ciristas. Da primeira vez que você lê a respeito, acha o nome curioso, mas não liga muito. Depois, no entanto, percebe que isso está na vida de Kate devido a alterações na linha do tempo e é aí que percebemos que Kate e nós não estamos no mesmo tempo. Será que ela vai conseguir consertar tudo? E quem somos nós para definir qual é a linha do tempo?

Pontos positivos
Katherine
Viagem no tempo
Capa e diagramação
Pontos negativos
Kate
Os garotos


Título: Chronos - Viajantes do Tempo
Título original: Timebound
1. Timebound
2. Time's Edge
3. Time's Divide
Autora: Rysa Walker
Tradutora: Fernanda Lizardo
Editora: DarkSide
Ano: 2017
Páginas: 320
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Queria ter gostado da Kate, mas tudo o que fiz ao ler sobre sua jornada foi revirar os olhos a cada burrada feita. Tudo bem, ela tem só 15 anos, mas a autora precisava enfiar um triângulo amoroso tão ridículo quanto esse? Toda protagonista precisa da companhia de garotos para terem seus sentimentos divididos e explorados para seguirem em suas jornadas? Foi extremamente cansativo seguir com isso. Felizmente, a avó de Kate e toda a ciência em torno das viagens e os detalhes sobre a Chronos e seu funcionamento salvam o livro. Três aliens para o livro.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

Deixe seu comentário!

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes