Resenha: As Boas Damas, de Clara Madrigano

sexta-feira, dezembro 15, 2017

Vamos brincar de "E se"? E se Watson, o inseparável e intrépido companheiro de investigações de Sherlock Holmes tivesse tido uma filha? E se essa filha ficasse sob a tutela de Holmes e ambos fossem investigar um caso bizarro, onde uma mãe afirma ter matado seu próprio filho? Não precisa mais imaginar, pois Clara, cuja escrita muito me agrada, nos trouxe essa história e uma excelente protagonista.



O livro
Annabel Watson é filha do famoso doutor e parceiro de investigações de Sherlock Holmes. Holmes é seu tutor e já apresenta um certo cansaço, uma certa tristeza, em especial depois da morte de seu fiel amigo. É Annabel quem nos narra esses eventos, nos mostrando um pouco como é sua vida, uma adolescente vivendo com o grande Holmes, com seu sucesso e suas lembranças. Os dois não moram mais em Baker Street, o famoso endereço, e Annabel se recusa a se vestir e se portar como uma "dama da sociedade", apesar dos protestos da governanta.


Um dia, uma cliente procura por Holmes, Amelia Caplin. Ela diz que matou aquilo que se parecia com seu próprio filho. Todo mundo pensa que ela está louca, quem não pensaria, não é?, mas ela afirma que uma coisa e não seu filho, foi morta e ela era a culpada. Holmes manda a mulher embora, aborrecido, mas quando Amelia tenta o suicídio, ele é obrigado a ir para a cidade onde fica a mansão e a imensa propriedade da família.

É no contato com a população local que começamos a descobrir alguns segredos da família Caplin. Como seu incrível período de prosperidade e as imensas heras que crescem na propriedade, quase sem controle. Amelia continua insana e imprevisível e afirma categoricamente que seu filho não era seu fruto, era sim outra coisa, algo além da nossa compreensão.

A construção de mundo dada por Clara nessa poucas páginas é incrível. Não apenas Annabel é bem construída como a trama em si, que te engana em boa parte da leitura. E de repente, você é jogada em outra direção, e finalmente entende a outra parte do título do livro. Obviamente, não posso entregar os spoilers, mas quando li essa parte, foi bem legal fazer a associação. Há também alguns detalhes sobre o relacionamento de Watson e Holmes que foi simplesmente adorável e bem pensado por Clara. Não é fácil você tentar ser original em um enredo que tenha Sherlock Holmes, mas ela conseguiu.

O livro é curto demais, o que pode ter atrapalhado o andamento do enredo em alguns momentos. Gostaria que ele fosse maior, para trabalhar outros aspectos, mas no geral, a história tem começo, meio e fim e uma personagem bem construída, dona de si e uma dama que não segue os ditames de sua sociedade. A revisão, no entanto, precisa ser refeita, pois há erros bobos de ortografia e concordância que podem prejudicar a leitura. E vamos admirar essa capa lindíssima, vamos?

O ebook tem ilustrações entre os capítulos, inclusive de nossa intrépida protagonista e um certo ar de nostalgia, de um tempo perdido que Holmes anseia por viver novamente. Espero que Annabel possa retornar em alguma investigação bizarra e mágica como essa em breve.

Ficção e realidade
Apesar de já ter lido tanto Agatha Cristhie quanto Arthur Conan Doyle, enredos de investigação como esses não costumam me agradar. Até gosto mais da Agatha do que de Doyle, cujos enredos costumam me parecer óbvios demais. Por isso eu pensei que teria dificuldade com o livro da Clara. Quando notei que este não era um simples enredo de investigação e que envolvia algo mais fantástico, a história se iluminou.

Clara Madrigano

São poucos os autores que conseguem transitar entre estilos e sub-gêneros com propriedade. A peculiaridade de cada cenário pode se apresentar um desafio para alguns autores. Não é o caso de Clara, que consegue escrever fantasia, investigação criminal e ficção científica sem encontrar problemas em inserir personagens ou situações.

Pontos positivos
Annabel Watson
Personagens bem descritos
As Boas Damas
Pontos negativos
Erros de revisão
Acaba logo

Título: As Boas Damas
Autora: Clara Madrigano
Editora: Dame Blanche
Ano: 2017
Páginas: 120
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Uma pena que As Boas Damas acabe logo, pois eu queria ler mais aventuras de Annabel. Uma moça determinada, que sabe o que quer, que participa de uma investigação com o grande Holmes e que não tolera as limitações dadas às mulheres de seu tempo. Tudo isso em um enredo fantástico, repleto de magia e mistério. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você também ler.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

1 Comentário

  1. Acabei de ler. Muito bom! Não conhecia essa autora, então já deu pra eliminar dois irens do desafio 2018. Super recomendo.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes