Resenha: Crônicas de Morrighan, de Mary E. Pearson

sexta-feira, novembro 24, 2017

As Crônicas de Amor e Ódio é uma trilogia simplesmente apaixonante. Mary E. Pearson criou um universo rico, onde uma princesa não quer viver sob as ordens e os desejos dos outros, seja sua família, seja o homem que ama. Em um lugar em que reinos ainda brigam por terras e linhas em mapas, a princesa Lia é herdeira de uma longa tradição de Primeiras Filhas, e tudo começou com uma moça de uma lenda, que data ainda da fundações dos reinos: o nome dela é Morrighan. Quem era ela? Como que tudo começou? As lendas estão corretas? É isso o que Mary narra neste curto, mas lindo livro.



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro

(...) há algumas coisas que nunca saberemos sobre as pessoas que vieram antes de nós. Algumas histórias se perderam para sempre.

Página 4

Não sabemos exatamente o que aconteceu ao mundo de Morrighan, mas as pessoas vivem um dia após o outro, buscando segurança, abrigo e comida onde é possível. Alguma grande catástrofe aconteceu, de acordo com relatos das pessoas mais antigas, mas elas não gostam de falar muito a respeito. Existem dois grupos, basicamente, um inimigo do outro: os Remanescentes e os Abutres.

 Crônicas de Morrighan, de Mary E. Pearson

Morrighan é uma remanescente. Um dia, ela está encurralada, com medo, ainda criança, quando avista um menino abutre a observá-la. Quando perguntado se ele viu alguém, o garoto diz que não e dá às costas. Morrighan nunca entendeu porque o inimigo faria isso, deixá-la viver. Ela voltaria a vê-lo dois anos depois, tendo ensinado-o a pegar cormos. Ele a reconhece do penedo e fica com uma sacola cheia de comida com sua ajuda. É então que ela descobre o nome do menino tão selvagem: Jafir de Aldrid.

Existem duas espécies que sobrevivem: aqueles que perseveram e aqueles que são pedradores.

Página 18

O mundo de Jafir é muito mais violento e competitivo que o de Morrighan. Ele precisa aguentar as provocações do irmão, a rudeza do pai, a vida simples e difícil. Os Abutres saqueiam outras comunidades. Eles não contam histórias do Antes, não sonham com um lugar melhor, vivem apenas pelo saque e pela violência. Passariam-se mais quatro anos até que Morrighan e Jafir se reencontrassem. O grupo de Morrighan se instalou em um vale bastante seguro e em suas andanças ela encontrou umas ruínas repletas de livros.

Foi em uma dessas tardes preguiçosas que os dois se reencontraram. Desconfiado, arredio, bruto, Jafir tentou parecer assustador, mas Morrighan nem lhe deu atenção. Começaria então uma amizade sincera entre os dois, pessoas que deveriam se odiar. Jafir sabia que Morrighan era procurada, mas não sabia porque. Nem tinha intenção de entregá-la. Da amizade para o amor entre eles não demorou muito.

Os capítulos alternam entre a visão dos dois. Passamos a compreender qual é a família verdadeira de Morrighan e porque ela é procurada. Os reinos dos Remanescentes não existem, mas Venda é mencionada algumas vezes, então temos um panorama bem explicado sobre o que aconteceu naquela época, especialmente se você juntar com as descobertas de Lia no segundo livro, Heart of Betrayal. Em alguns momentos, me vi voltando aos livros da trilogia para ler Os Testemunhos de Gaudrel sobre o que os textos diziam e o que estava sendo explicado neste livro. É bem interessante fazer as comparações.

A narrativa tem o ritmo gostoso de Mary, personagens e cenas bem descritas. Há muitos sentimentos envolvidos aqui: perda, traição, amor, saudade, amargura, famílias separadas, pessoas perdidas. Se pensarmos em uma vida nômade como a que essas pessoas viviam e a luta pela comida de cada dia, todo tipo de medo e sentimento aflora nessas condições, porém aquele que pode até mesmo juntar inimigos é mesmo o amor entre eles.

A edição física trazida pela DarkSide é exclusiva dos leitores brasileiros, pois lá fora os leitores têm apenas a versão em ebook. O livro tem também uma introdução feite pela autora que, assim como nós, não conseguia deixar de pensar na vida da garotinha Morrighan e como que de sua existência surgiram os grandes reinos remanescentes. O livro está lindo, com brochura dourada e uma capa que é, provavelmente, uma das mais bonitas que a editora já fez. Encontrei um ou outro erro de digitação, como letras faltando, mas nada que possa atrapalhar a leitura.

Ficção e realidade
Logo no começo, Mary comenta sobre a decisão de escrever a história de Morrighan e ela fala algo muito pertinente: que não tem como sabermos tudo sobre as pessoas que se foram. Muitos relatos são repassados para frente, através dos séculos, através de lendas e histórias míticas, envolvendo as pessoas reais em uma bruma de mistério, em um longo e secular telefone sem fio.

Isso acontece na nossa história. Todo mundo lembra de Cleópatra como sendo uma mulher bela, ardilosa e sensual, quando Plutarco dizia que se ela entrasse em uma sala cheia de gente, ninguém repararia nela. Era uma mulher de grande inteligência, fluente em sete idiomas, estrategista e defensora de seu povo, mas a campanha de difamação de Otávio Augusto surte efeito até hoje.

Pontos positivos
Morrighan e Jafir
Bem escrito
Edição exclusiva para o Brasil
Pontos negativos

Acaba logo!
Violência

Título: Crônicas de Morrighan
Título em inglês: Morrighan: A Remnant Chronicles Novella
As Crônicas de Amor e Ódio
Autora: Mary E. Pearson
Tradutora: Ana Death Duarte
Editora: DarkSide
Ano: 2017
Páginas: 128
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Se você, assim como eu, se apaixonou pelas Crônicas de Amor e Ódio, então vai se apaixonar por esse aqui também. Essencial para entender grande parte dos eventos que ocorrem na trilogia, é também a história de uma moça que lutava pelo acreditava e que na tentativa de salvar um povo, liderou um grupo por terrenos inóspitos até chegar em segurança ao local que daria origem ao reino que leva seu nome. Toda a série é composta por mulheres fortes, que apoiam umas às outras e que lutam pelo o que querem. Cinco aliens para o livro e uma forte indicação para você ler também.


Paviamma!

Confie na força que você tem dentro de si.

Página 29

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes