10 coisas que você não sabia sobre Filhos da Esperança

domingo, novembro 12, 2017

Filhos da Esperança (2006) é uma perturbadora distopia que se passa em um futuro próximo, 2027, onde todas as mulheres ficaram estéreis. A última criança nasceu há 18 anos e uma crise mundial se estabeleceu. Mas surge uma esperança que será disputada por todos que quiserem ter poder nas mãos. Leis opressivas contra a imigração, por sua vez, podem impedir que um novo bebê possa nascer depois de tanto tempo.

10 coisas que você não sabia sobre Filhos da Esperança



Dirigido por Alfonso Cuarón, o longa custou 76 milhões de dólares, em uma produção conjunta de Reino Unido e Estados Unidos, mas teve um retorno baixo nas bilheterias, de 70 milhões. Ganhou status de filme cult de ficção científica logo depois. Foi, em geral, bem recebido pela crítica, além de receber elogios a respeito da fotografia, direção de arte, roteiro e suas cenas de ação. Ele também recebeu três indicações ao Oscar, em 2007: Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Edição.

10. Tem livro
O roteiro foi baseado no livro de P. D. James, "Children of Men", mas possui diferenças fundamentais. Por exemplo, no livro são os homens que param de produzir sêmen, mas no filme são as mulheres que ficaram inférteis. O motivo, porém, não é dito no filme.

9. Documentário
Cuarón disse em uma entrevista que não queria uma cara de filme para Filhos da Esperança, e mais que parecesse um documentário de algo que ocorreu em 2027. Por isso vemos as câmeras acompanhando de perto as ações dos atores.

8. Jornais
Há uma cena em que Clive Owen é levado para uma sala coberta de jornais por um bando de sequestradores. Cada folha de jornal foi criada especificamente para esta cena, com notícias fictícias daquele momento histórico e enredo. Não dá pra ler nada, mas são todas condizentes com o roteiro.

7. Salmos 90:3
O título do livro e do filme "Children of Men" (Filhos dos Homens) vem de um versículo do Salmo 90: "Tu reduzes o homem à destruição; e dizes: Tornai-vos, filhos dos homens." O título em português ficou melhor. Há vários paralelos religiosos no longa, como um bebê significando esperança e um novo começo para a humanidade, a figura de uma mãe solteira e protegida da perseguição.

6. Sir Michael Caine
Pela primeira vez em sua longa carreira, Caine interpretou um personagem que não apenas peidava na frente das pessoas como também fumava maconha. Seu personagem no filme é um premiado cartunista e é possível ver alguns deles em seu escritório, todos eles desenhados por Steve Bell, cartunista do jornal The Guardian.

5. Anti-imigração
Interessante apontar o modo como o filme lida com o sentimento anti-imigração. No longa, imigrantes são mantidos em campos paupérrimos, sem auxílio e as cidades se tornaram hostis a cidadãos vindos de outros lugares. Há uma violenta política deliberada contra os imigrantes e Cuarón quis mostrar os lugares insalubres a que os imigrantes são enviados como metáforas para prisões e campos atuais, como a prisão de Guantanamo e de Abu Graib.

4. Cuarón
O diretor foi trazido para o projeto da adaptação do livro em 2001, mas não começou a mexer nele até terminar Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Ele também não leu o livro de P.D. James para não influenciar na sua versão.

3. Parto
A cena do parto com Clare-Hope Ashitey e Clive Owen é uma das poucas cenas com efeitos gerados por computador. Cuarón desistiu de usar o bebê mecânico para a cena, então pernas cenográficas substituíram as pernas de Clare-Hope e o bebê foi gerado inteiramente com computação gráfica. (se não soubesse disso, jamais diria que o bebê era falso!)

2. 15 dias
A cena em que o personagem de Clive Owen procura o bebê e a mãe em um prédio que está sob ataque levou 15 dias para ser feita. Cada refilmagem - já que Cuarón usou um take só - levava 5 horas para ficar pronta.

1. Esperança
O filme passa uma mensagem bastante óbvia ao espectador: esperança. A própria jornada do herói do protagonista Theo (Clive Owen) que ruma ao sul para salvar a mãe e seu bebê é uma jornada que o leva do desespero com o qual vivia para encontrar a esperança. Cuarón queria que o final do filme significasse um novo começo, um começo com esperança.


Bora assistir?

Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

1 comentários

  1. Olá Lady, ainda não tinha ouvido falar sobre esse filme, mas gostei muito das curiosidades por trás dele.

    bjus

    Ari ♥
    www.devoltaaoretro.com.br

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes