10 coisas que você não sabia sobre TRON

domingo, outubro 15, 2017

TRON (1982) foi um filme que revolucionou uma década e se tornou um clássico da ficção científica, com seus efeitos arrojados e um enredo que se passa quase que integralmente dentro de um computador. Mas teve um sucesso bastante moderado para a época, com 17 milhões de dólares de orçamento e apenas 33 milhões de bilheteria.




A produção começou em 1976 pelo diretor e roteirista do longa, Steven Lisberger, devido ao seu fascínio pelo jogo Pong, um dos primeiros jogos de fliperama. Originalmente projetado para ser uma animação, Steven decidiu transformá-lo em um live action, mas o projeto foi rejeitado por diversos estúdios, até cair nas mãos da Disney.

10. De onde vem TRON?
Segundo Steven Lisberger, o nome veio de eleTRONic. Mas existe um comando na linguagem BASIC que se chama "TRace ON". Steven diz que só soube desse comando bem depois do lançamento do filme.

9. Oscar da Academia
O longa foi indicado nas categorias de Melhor Figurino e Melhor Som em 1983, mas curiosamente não recebeu indicação por Efeitos Especiais. Na época, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas achava que usar computadores para gerar efeitos especiais era "trapaça".

8. Jogo
O filme não foi o grande sucesso comercial que a Disney esperava, porém o jogo derivado que carregava o nome do filme excedeu às expectativas e acabou arrecadando em vendas mais do que o longa arrecadou em bilheterias.

7. Fliperama
Para inspirar os atores, o diretor colocou várias máquinas de fliperama pelo estúdio e os atores podiam se divertir nos intervalos. Diz-se que Jeff Bridges ficou viciado nos jogos e era difícil trazê-lo para os sets para filmar.

6. Novelização
O livro foi novelizado e lançado no mesmo ano por Brian Daley, Steven Lisberger e Bonnie MacBird. Brian Daley é um conhecido escritor de ficção científica e fantasia, tendo escrito uma trilogia sobre as aventuras de Han Solo. TRON Legacy também tem livro, escrito por Alice Alfonsi, além de uma graphic novel lançada pela Marvel Comics.

5. Animação
Apesar de muitas cenas terem efeitos gerados por computador, a tecnologia ainda não existia na época para cenas em que se combinava atores de verdade com os efeitos. Assim, gravações dos atores foram combinadas com animação feita a mão, além de horas na sala de edição para combinar as duas coisas. Todas as cenas de live action que aconteciam dentro do computador foram filmadas em preto e branco e colorizadas depois com fotos e um rotoscópio.

4. Animadores
Infelizmente, muitos animadores que trabalhavam para a Disney se recusaram a trabalhar no longa com medo que o uso de computadores para os efeitos se disseminasse e os deixasse sem emprego. E de fato, 22 anos depois do lançamento de TRON, a Disney fechou seu departamento de animação manual para favorecer a animação feita em computador. Para o longa, o computador top de linha na época para gerar alguns efeitos tinha 2MB de RAM e 330MB de HD.

3. Laser
O laser da ENCOM era verdadeiro e bem real. A cena foi gravada no Laboratório Nacional Lawrence Livermore na baia de testes de laser SHIVA. Ele foi usado para pesquisa sobre fusão nuclear no final dos anos 70 e tinha capacidade de atingir um alvo com 28 trilhões de watts de potência.

2. Apple III
O computador pessoal de Flynn, que ele usa para interagir com CLU e para hackear o mainframe da ENCOM era o Apple III, com tela monocromática.

1. CLU
Acreditava-se que o programa CLU, feito por Flynn, fosse um nome dado a uma antiga linguagem de programação. Mas em TRON Legacy sabe-se que CLU é um acrônimo para "Codified Likeness Utility". Sam comenta com o pai a respeito na primeira cena da continuação de TRON.


Você está pronta para a arena?

Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes