10 coisas que você não sabia sobre Pandorum

sábado, outubro 07, 2017

Pandorum (2009) é um filme decente de terror espacial. Não é uma obra-prima da sétima arte, mas é um enredo com alguma coerência e cenas para fazer o expectador pular da cadeira em suas quase duas horas de duração. Ele conta a história da nave Elysium que devia chegar a um planeta semelhante à Terra, chamado Tanis, e por alguma razão sua missão foi interrompida. Uma estranha raça de criaturas ronda os corredores, comendo carne humana dos colonos em animação suspensa. Quando um membro da tripulação acorda, a ação começa.




Com um orçamento de 33 milhões de dólares, o longa foi muito mal na bilheteria, com somente 20 milhões. Ainda assim, tem uma pontuação alta em alguns portais de filmes da internet. Pandorum foi dirigido por Christian Alvart, diretor alemão, já que a produção foi feita em conjunto por Estados Unidos e Alemanha.

10. Que ano é hoje?
Sabemos que a viagem da nave Elysium era bem longa, mas quanto tempo realmente se passou? O tempo de viagem gravado nos bancos de dados da nave é 923 anos. Na Terra seria 8 de fevereiro de 3097. A nave então foi lançada em 2174.

9. Filme independente
O filme tinha apenas 200 mil dólares de orçamento e seria gravado com atores desconhecidos, em um moinho abandonado na Alemanha, mas Paul Anderson (Resident Evil entre outros) gostou da ideia e passou a bola para a produtora Impact Pictures, que se interessou pelo roteiro de Travis Milloy. Travis acreditava que o tom muito pesado da história jamais atrairia investidores para rodar o roteiro.

8. Ben Foster
Ben Foster era a primeira opção da produção para o papel principal e ele aceitou o convite na hora, porém quase desistiu com tantos atrasos na produção e no início das gravações. Na cena em que seu personagem come insetos vivos, não houve nenhum efeito especial. Ele comeu mesmo!

7. Elysium
O nome da nave significa "lugar ou estado de perfeita felicidade". Na mitologia grega, os heróis escolhidos pelos deuses eram transportados para Elysium, seu local de descanso nos confins da Terra. É uma interpretação da viagem feita até Tanis, o planeta tipo Terra considerado um paraíso para "os escolhidos".

6. Síndrome de Disfunção Orbital
Pandorum, supostamente, é o nome dado à Síndrome de Disfunção Orbital. É um quadro de surto psicótico que afeta capitães ou membros do comando de uma nave que estão convencidos de que sua missão essa condenada ao fracasso, sentimento esse imposto pela pressão de viver no espaço, levando à paranoia e sensação de perseguição. Esta condição non ecziste.

5. Alemanha
Parte do orçamento do filme foi captado junto aos órgãos federais e regionais alemães de apoio à cultura. Só o German Federal Film Fund cedeu 6 milhões de dólares para a produção. Ele foi gravado nos estúdios Babelsberg, em Potsdam, em agosto de 2008.

4. 1990
Travis Milloy começou a rascunhar o roteiro lá pelo começo dos anos 1990 e ele se passava em uma nave prisão chamada Pandorum, transportando centenas dos mais violentos prisioneiros da Terra para um outro planeta. Caçadores canibais correndo pela nave seriam resultado da degeneração dos prisioneiros para um estado primitivo. O personagem de Ben Foster seria um não prisioneiro.

3. Christian Alvart
A Impact Pictures escalou o diretor alemão Christian Alvart para o longa, que ficou espantado com as similaridades do filme com um roteiro seu, chamado No Where, onde quatro astronautas sofriam de amnésia. Com o apoio de Travis Milloy, eles fundiram os dois roteiros para criar Pandorum. A filha de Christian Alvart, Asia Luna Mohmand, é a criança canibal que aparece no gif lá no fim do post.

2. Evolução
Apesar de ser possível que o ser humano se transforme em um canibal em situações de extrema fome ou penúria (basta lembrar do acidente nos Andes), a evolução teria apenas 800 anos para criar uma raça humana tão diferente como a que vemos no longa, o que seria praticamente impossível de acontecer em uma nave que estava preparada para colonizar outro planeta, com sementes, embriões e animais em hibernação. Ou seja, com comida de sobra. Dos 60 mil colonos originais, somente 1213 chegaram a Tanis vivos.

1. Era para ser uma trilogia
A ideia original do roteirista era contar uma história em três atos, mas o péssimo desempenho do filme nas bilheterias enterrou qualquer sequência de vez.


Topa rever ou ver? Tem coragem?

Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes