10 coisas que você não sabia sobre Os 12 Macacos

sábado, agosto 26, 2017

Um dos clássicos recentes da ficção científica, o bizarro filme Os 12 Macacos (1995) já virou série, exibida pelo canal SyFy. Um vírus mortal quase aniquila a raça humana e os sobreviventes são forçados a viver no subterrâneo. Eles então selecionam um prisioneiro, em 2035, para voltar no tempo e assim conseguir informações a respeito do vírus para ajudar a desenvolver uma cura.

10 coisas que você não sabia sobre Os 12 Macacos



Com 29 milhões, aproximadamente, de orçamento, o filme faturou mundialmente pouco mais de 168 milhões de dólares. Foi inspirado no curta La Jetée, de 1962, dirigido por Chris Marker, cujos direitos foram adquiridos pela Universal Pictures.

10. Bruce Willis
Bruce trabalhou praticamente de graça apenas por querer muito trabalhar com Terry Gilliam, tendo recebido parte do faturamento depois que o filme estreou. Além disso, o diretor Terry Gilliam deu ao ator uma lista de "clichês usados por Bruce Willis" para evitar usar no papel de Cole, em especial a "encarada com seus frios olhos azuis", bem típico do ator em diversos filmes.

9. Brad Pitt
O diretor temia que Brad Pitt não conseguiria fazer aquela fala nervosa e rápida de seu personagem, Jeffrey Goines (personagem que lhe rendeu um Globo de Ouro). O ator então começou a ter aulas como um fonoaudiólogo, mas no final a única coisa que funcionou foi deixar Pitt sem fumar durante as gravações. Sem a nicotina, ele começou a falar daquela forma com bastante facilidade. O ator também recebeu um salário bem baixo na época, mas quando o filme foi enfim lançado, Brad já era um ator das mais altas cifras, em especial depois de Entrevista Com o Vampiro (1994), Lendas da Paixão (1994) e Seven: Os Sete Crimes Capitais (1995).

8. Hospício
As cenas do interior do hospital psiquiátrico, onde Bruce Willis conhece o personagem de Brad Pritt, foram gravadas na Penitenciária Eastern State, uma instalação abandonada na Filadélfia. A penitenciária foi a estrutura pública mais cara já construída e é a mesma que manteve Al Capone, em 1929.

7. O Exército dos Doze Macacos
O exército que dá nome ao filme foi inspirado em uma passagem de O Mágico de Oz, de L. Frank Baum, na qual o Rei Nomo e Kiki Aru convencem doze macacos que se eles se tornassem soldados humanos em seu exército, eles teriam um suprimento infinito de comida.

6. Fator Hamster
Terry Gilliam é um notório perfeccionista. Na cena em que Bruce Willis se afoga em seu próprio sangue, é possível ver um hamster correndo em uma roda em primeiro plano. Uma cena curta, mas que levou um dia inteiro para ser gravada, já que o hamster em questão não queria colaborar. Pelo restante das filmagens, seu perfeccionismo ficou conhecido como Fator Hamster, que também aumentou e muito os custos do longa.

5. Elenco
Johnny Depp foi considerado para o papel de Jeffrey Goines, que acabou nas mãos de Brad Pitt. Para o papel de Cole, o diretor tinha cogitado Jeff Bridges, com quem trabalhou em O Pescador de Ilusões (1991), mas o estúdio queria alguém "mais famoso" para o protagonista e escolheu Bruce Willis. Curiosamente, Bruce tentou o papel em O Pescador de Ilusões (1991), mas perdeu para Jeff Bridges.

4. Coaching
Para se preparar para o papel de Jeffrey Goines, Brad Pitt recebeu orientações do psiquiatra Laszlo Gyulai, diretor da unidade de distúrbios bipolares da Faculdade de Medicina, da Universidade da Pensilvânia. O próprio psiquiatra disse, em uma entrevista, que muitos filmes mostram pacientes psiquiátricos como lunáticos, sendo que muitos pacientes com problemas mentais não são loucos, nem parecem histéricos, na verdade muitos possuem depressão e distúrbios de humor.

3. La Jetée
O roteiro de Os 12 Macacos foi baseado no curta La Jetée, mas Terry Gilliam nunca assistiu o curta francês antes de dirigir o longa. O diretor explicou que quando ele decide trabalhar em um projeto baseado em outra obra, nunca assiste ao material original, por medo de se sentir intimidado ou de sentir uma grande responsabilidade. Para dirigir o filme Brazil (1985), ele também não leu 1984, de George Orwell.

2. Arquitetura desconstrutivista
O cenário contém elementos da arquitetura desconstrutivista, como na cena em que Cole está preso em uma cadeira no alto de uma parede, sendo interrogado por uma esfera robótica. Essa é uma arquitetura que ganhou força no final dos anos 80, caracterizada pela fragmentação, por um desenho não-linear, formas não-retilíneas, com um caos controlado e uma imprevisibilidade dos formatos.

1. Mas rendeu processo
Lebbeus Woods, a quem a produção tentou homenagear com as referências à arquitetura desconstrutivista processou o diretor Terry Gilliam e o produtor Jeffrey Beecroft, além de todos os produtores e distribuidores do longa por uso indevido de suas obras. O processo durou anos e terminou após um acordo na casa dos seis dígitos.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

2 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes