Resenha: Log#1525, de B. Demetrius

quinta-feira, junho 29, 2017

Log#1525 é uma ficção científica nacional, publicada pela editora Chiado, de Portugal. O autor me mandou um kit lindo e completo, incluindo um mapa da rota do nosso herói, marcador de página e postais. Nosso intrépido protagonista, o major, está numa grande enrascada em um planeta desolado e precisa usar o cérebro e a inteligência para sobreviver.



Este livro foi uma cortesia do autor.


O livro
Acompanhamos a ação do major através de seus logs de bordo. Cada capítulo é um log, todos numerados, onde ele expõe seus pensamentos e a rotina do cargueiro onde está servindo. Quando um problema acontece à bordo, o major tem implantado um sistema cibernético no cérebro, chamado Boris, que será praticamente um segundo personagem durante a leitura. É com ele que o major conversa na maior parte do tempo.


Tentando entender o que está havendo com a nave, o major acaba acordando em um planeta frio, escuro, hostil, tendo apenas a companhia de Boris. Ele acredita que ele e o restante da tripulação foram ejetados e pousaram neste planeta com pouca suavidade. Vendo-se nesta situação desesperadora para qualquer um, será preciso muita técnica e calma para canibalizar partes da nave auxiliar e tentar sobreviver no que parece ser o fim do mundo.

A solidão às vezes parece pregar peças no major e a gente chega a pensar que ele pirou mesmo. Em suas caminhadas, ele jura que está cercado por feras, mesmo que seu sistema cibernético nada aponte, enquanto ele encontra pistas do que houve com sua tripulação. Entre esses detalhes técnicos, que não são maçantes, sabemos alguns detalhes de sua vida, a saudade que sente de seu cão droid, seu treinamento. Mas eu queria mais detalhes. Nesse sentido, lembra Perdido em Marte, onde parece que o personagem não tem passado. Ele se vê às avessas com a tecnologia que funciona aqui e ali, mas falha vez por outra. Houve momentos em que ri alto com as peripécias do major, em especial quando ele fica bebaço e grava o log mesmo assim.

Ok, minha birra com o universo só cresce. Seja lá o que o rege. É um péssimo gestor e um carrasco sadista. Claro que não vou conseguir prosseguir. Andei por mais alguns metros e o vento é gélido.

Página 164

Para quem nunca leu ficção científica, ou não é muito chegado no gênero, não vai reconhecer as diversas referências a grandes clássicos feitas pelo autor. É fácil reconhecer Alien, Aliens, Alien 3 e até Alien 4, David Bowie e sua Space Odity, Perdido em Marte, Guerra do Velho e por aí vai. Demetrius, porém soube utilizar as referências sem parecer que as estava copiando. Eu queria mais explicações, mais dados do que me foi apresentado. Por exemplo, o autor menciona a estação Oort-Clarke-Amazonas algumas vezes, mas não nos mostra. Ficamos muito restritos às impressões do major, quando há todo um planeta que tentou ser terraformado. Um último capítulo resolveria o problema.

O que realmente me desagradou e acabou puxando a nota da resenha para baixo, foi a revisão. Não sei se a editora revisou o original do autor, porque encontrei erros grotescos que não deveriam ser publicados, como "polpar" no lugar de "poupar". Há vírgulas no lugar de pontos ou ponto algum, palavras a mais e estrangeirismos desnecessários, como marines ao invés de fuzileiros navais. Sério, isso queima o filme do autor, que não tem culpa de um livro não passar por revisão ao publicar um livro por editora.

Tirando isso, o livro está muito bonito, bem diagramado, uma boa escolha de fontes e bem organizado. É uma pena que houve tanto descuido na revisão.

Ficção e realidade
Uma coisa legal do livro é ele ser positivo. Adoro ler distopias, mas o ser humano - quando quer - é capaz de resolver problemas. Temos inteligência, capacidade e polegar opositor para fazer isso, então essa capacidade deveria refletir mais na literatura. Precisamos resgatar essa sensação de deslumbre com o universo, junto da vontade e inteligência, ambas voltadas ao bem comum.

Também precisamos de mais editoras lançando autoras e autores nacionais. Estamos à margem do mercado, pois ainda tem gente que acha que brasileiro não curte ficção científica. Muitas vezes as pessoas estão lendo FC sem nem saber, porque o livro é vendido como sendo qualquer outra coisa. Bora apoiar a galera que escreve, ler seus livros, compartilhar as ideias.

Pontos positivos
Boris
O major
Detalhado, sem ser chato
Pontos negativos

Falhas graves na revisão


Título: Log#1525
Autor: B. Demetrius
Editora: Chiado
Páginas: 286
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: pelo site da Chiado ou pela Livraria Cultura

Avaliação do MS?
Log#1525 é um bom livro, mas poderia ser muito melhor não fossem os detalhes que já expliquei acima. Acredito que seja uma importante adição para o cenário nacional de ficção científica e quem sabe numa segunda edição os problemas sejam sanados. Três aliens para o livro.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes