Resenha: Amityville, de Jay Anson

quarta-feira, fevereiro 08, 2017

Admito. Sou extremamente patife para filmes de terror. O livro de terror é mais fácil de digerir, já o filme de terror, até aquele que a galera disse que é péssimo e mal feito me deixa impressionada, nem durmo de direito. E devo dizer que Amityville foi um destes livros que me impressionou (o filme eu me recuso a ver em nome das minhas noites de sono). Mesmo alegando ser baseado em fatos reais - e não é - o livro dá seus sustos.

Este é mais um livro do Desafio Literário!



Parceria Momentum Saga e
editora DarkSide


O livro
A família Lutz se muda para o número 112 da Ocean Avenue, uma mansão situada em Amityville, Nova York. Os Lutz procuraram muito por um lugar sossegado e tranquilo, uma casa grande para as crianças e para os negócios e achou que tinha encontrado o paraíso. Eles sabiam do histórico da casa, claro. O terreno tinha sido utilizado como um isolamento para doentes e loucos e a casa fora palco de uma famosa chacina encenada por Ronald DeFeo Jr., que matou 6 membros da sua família: seus pais, Ronald e Louise DeFeo e seus 4 irmãos, John, Mark, Allison e Dawn, todos sendo mortos com uma mesma arma e encontrados na mesma posição. Defeo Jr. foi condenado a 6 penas de 25 anos cada e, ao que parece, está vivo e detido em uma penitenciária nos EUA. O assassino alegou cometeu os crimes foi uma influência de fatores sobrenaturais que rondavam a casa.


É uma casa de 3 andares, com piscina, casa de barcos e aparência bem provinciana. Eles gastaram quase todas as economias na compra, mas estão felizes mesmo assim. No entanto, em menos de 30 dias, a família vai sair correndo pela porta da frente, deixando tudo lá dentro, sem mais voltar. Temos a visão da família amorosa e unida, que sofre com os eventos sobrenaturais dentro da casa e do Padre Mancuso, que vai benzer o local no dia da mudança e depois se vê preso em um verdadeiro inferno pessoal devido aos acontecimentos estranhos na residência.

Os problemas começam logo após a chegada dos Lutz. Mudanças extremas de comportamento entre os membros da família, mudanças na temperatura dos ambientes, que mesmo com a lareira a toda, não esquentava de jeito nenhum os aposentos. O cachorro da família que, muitas vezes, dormia profundamente durante os eventos e parecia indiferente. O cheio de podridão que vinha de um dos quartos, onde ninguém conseguia entrar, os ruídos, as vozes. Enfim, todos os clichês de um bom enredo de terror estão aqui e foram eles, além da alegação de ser uma história verídica, que o fizeram ser um grande sucesso.

Apesar de ter achado o livro chato em algumas partes, em que algumas cenas parecem muito forçadas para que você acredite que tudo aquilo é verdade, ou muito longas e confusas, eu sou extremamente impressionável, portanto achei algumas delas bem assustadoras. Por outro lado, o livro tem seus problemas, como o amigo imaginário da filha caçula, onde só vão relacionar isso com os eventos na casa bem depois. É mais que um clichê óbvio de ver uma menina tendo contato com seres sobrenaturais em enredos de terror.

Outro problema. A casa imensa, com casa de barcos e tudo mais está à venda por uma bagatela? Tem coisa errada, não tem? Ninguém suspeitou? Os Lutz a compraram mesmo assim. Fica aquela impressão de que os descrentes, pois os Lutz afirmaram que não se importavam com o mito do lugar, finalmente acreditaram que o capiroto existe, já que não levaram à sério as advertências e pagaram por isso. Isso foi um pouco demais para mim, junto da insistência na introdução de que tudo aquilo é verdade. É uma excelente história de terror, não precisava ficar martelando isso o tempo todo.

A edição da DarkSide está linda e perturbadora. Ela veio com uma chave para abrir a porta da casa! Capa dura, com uma arte sangrenta. Por dentro, um mapa da propriedade, com uma introdução que nos apresenta ao panorama da casa e o assassinato cometido por DeFeo. É um livro pequeno, dá para ler em um dia. Poucos erros de digitação e a tradução está boa, bem parecida com a edição que li da Ed. Abril, uns anos atrás.



Ficção e realidade
Não sei... mesmo com uma casa tão barata, com o histórico dela e com os avisos dados pelos outros, você ainda compraria a propriedade? Mesmo os mais céticos poderiam não se sentir bem de estar em um lugar com tantas mortes no terreno e que está ligada à um crime. Eu mesma evitaria um lugar desses pela herança macabra deixada pelos assassinatos. O livro narra a história da família de maneira bem crua e direta, com sustos e várias situações bizarras, mas que eu duvido muito que tenham acontecido de fato. Parece até que a casa está à venda pela bagatela de 1,15 milhões de dólares. Topas?

Sobre o lance de ser uma história baseada em fatos reais, quanto mais o autor atesta enfaticamente que o livro é baseado em fatos e pessoas que realmente existiram, mais desconfie. Vide Operação Cavalo de Troia. Dan Brown conseguiu passar como verídico sem apelar para isso com bem menos esforço do que Benitez. Existem vários furos na história dos Lutz e até do assassino DeFeo, já que dizem que foi orientação do advogado para tentar aliviar a pena e criar uma mística sobre o lugar que poderia atenuar a impressão ruim sobre os crimes.

Pontos positivos
Terror e suspense
Assombração
Não leia de noite
Pontos negativos
Personagens podem ser meio toscos
Diálogos podem ser longos
Muitos clichês óbvios

Título: Amityville
Título original: The Amityville Horror
Autor: Jay Anson
Tradutor: Eduardo Alves
Editora: DarkSide
Páginas: 191
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Mesmo com os pontos negativos, mesmo com os clichês - o que seria do terror sem eles, não é mesmo? - Amityville virou um clássico por assustar e por contar uma história com tamanha veracidade que você pensa que tudo aquilo é verdade. Recomendo a leitura para os fãs de terror ou para os que queiram uma leitura mais tranquila, menos rebuscada, com uma narrativa mais direta e acessível. Quatro aliens para a história dos Lutz e uma recomendação para você ler também.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

2 comentários

  1. AcheI interessante '-' estava a procura de livros e esse me pareceu bom !!!! Encontrei seu blog agora é já gostei

    ResponderExcluir
  2. Outro livro que li no século passado na antiga coleção grandes sucessos da abril. Era bastante novo a leitura do livro me deixou apavorado a ponto de esconde-lo no canto mais escuro da estante. Vi o filme mas este não me botou nenhum medo.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Curta no Facebook

Viajantes