Resenha dupla: Mayara & Annabelle, de Pablo Casado e Talles Rodrigues

sexta-feira, março 04, 2016

Recebi os volumes 1 e 2 das aventuras de Mayara e Annabelle direto dos autores. Fiquei muito feliz, pois os dois quadrinhos além de divertidos, têm duas heroínas irreverentes, se passa no Brasil, especialmente no nordeste e traz várias referências locais, gírias e conta com uma secretaria que controla atividades fora do comum. Sem muita verba e com poucos funcionários, como todo serviço público.





Volume I
Mayara trabalha na Secretaria de Controle de Atividades Fora do Comum em São Paulo. Depois de um episódio constrangedor, para não ser exonerada, ela acaba sendo transferida para o escritório do Ceará, algo que Mayara reclama muito, mas nada pode fazer para impedir.


No Ceará, está sua nova parceira Annabelle, uma maga, que admite que não há muita agitação em Fortaleza, tanto que só existe ela no escritório para lidar com todo o estado. Mayara, que está acostumada com a agitação da cidade grande, não consegue se aclimatar ao aparente marasmo da cidade. Mas há um motivo para isso, que nos é revelado posteriormente. As duas são muito diferentes uma da outra, com suas formas de se vestir, de falar, o que foi muito divertido e legal de ver.

Annabelle é baladeira, bissexual, curte festas e baciadas de caranguejo. Adora The Vampire Diaries e faz maratonas da série no escritório, já que as coisas andam bem calmas. Mayara é oriental, anda com uma katana para trabalhar, não gosta de roupas muito chiques e costuma ser bem menos expansiva que Annabelle. Superada a antipatia inicial, elas logo se tornam amigas e de cara combatem uma criatura sobrenatural no centro de Fortaleza.

A qualidade dos traços e o dinamismo dos quadros fazem a história passar muito rápido. Num estilo mangá, os quadros foram bem aproveitados, especialmente quando mudamos de São Paulo para Fortaleza. Gostaria até que isso tivesse usado mais vezes, pois dão um ar diferente e aproveita as características dos locais mostrados. Adorei ver bordões das redes sociais, da mídia e falas locais sendo utilizadas. Ver a fala das pessoas em Fortaleza enriqueceu muito a narrativa.



O ponto negativo foi a qualidade do papel. Nas primeiras páginas, a cola da brochura, aliada ao papel, quase rasgaram a primeira página quando virei para ler.

Pontos positivos
Protagonistas femininas
Bem humorado
Criativo
Pontos negativos
Acaba logo
Qualidade do papel


Volume II
No volume I sabemos que Mayara foi transferida porque acusou o sub-secretário da Secretaria de Controle de Atividades Fora do Comum de São Paulo de ser um demônio. As provas que ela tinha em mãos sumiram e seu mentor conseguiu transferi-la para Fortaleza para não precisar exonerá-la. Mas em Fortaleza o ritmo é outro, não tem tanto trabalho assim, mas há um ar de coronelismo no enredo que reflete bastante ainda muitas coisas que ocorrem nos dias de hoje com famílias poderosas. É aqui que ficamos sabendo sobre o Acordo.


O marasmo em Fortaleza é justificado. Quando as duas chegam um dia para trabalhar, encontram o secretário de Fortaleza lá dentro, que tem informações de eventos fora do comum acontecendo no interior. E que famílias poderosas da região estão envolvidas, as mesmas do tal Acordo. Ao chegar no local, o medo ronda as testemunhas e Mayara e Annabelle sentem que estão sob vigilância. Os problemas começam daí para frente.

Tem mais explicação sobre o que acontece neste volume do que no anterior, mas está bem contrabalançado com as cenas de ação. Esta edição foi financiada pelo Catarse e no final conta com os nomes dos apoiadores, além de um bônus que é a visão que várias quadrinistas nacionais têm de Mayara e Annabelle, como Ana Luísa Koehler e Brendda Lima. A qualidade do papel melhorou muito e os flashes do passado se destacam do restante dos quadros, você realmente é inserido no passado.



Pontos positivos
Protagonistas femininas
Bem humorado
Qualidade do papel
Pontos negativos
Acaba logo



Ficção e realidade
A ideia de uma secretaria do governo que investiga coisas fora do comum foi muito boa porque os dois volumes mostram como o funcionalismo público é: burocrático, com falta de verbas, com ócio e pouco reconhecimento da população, alguma atividade por baixo dos panos. O mais legal é que não é uma divisão ultra secreta do governo como pensei que seria inicialmente, mas sim uma divisão como qualquer outra pasta, o que indica que os eventos sobrenaturais são comuns e precisam ser investigados e corretamente mitigados para não ferir ninguém.

Não temos aqui a visão estereotipada de heroínas com origem divina, alienígenas ou ultra malhadas em collants decotados. Temos duas mulheres, funcionárias públicas, de ritmos e origens diferentes, mas que formam uma dupla imbatível para lidar com o sobrenatural. Os autores conseguiram passar a sensação de que trombaríamos com elas em uma esquina qualquer.

Mayara & Annabelle – Série em cinco edições
Autores: Pablo Casado (roteiro) e Talles Rodrigues (arte)
Editora: Fictícia
Páginas: 76 e 84
Lançamento: Dezembro de 2014
Onde comprar: os autores deixaram uma lista maneira com vários locais de venda

Avaliação do MS?
Vou aguardar com ansiedade os próximos volumes. O terceiro está previsto para esse ano. Quero acompanhar nossas heroínas pelos rincões do Ceará e quero descobrir mais sobre a vida das duas. A ação, os diálogos, os cenários no nordeste, as protagonistas, tudo isso valem muito à pena. Recomendo fortemente a leitura para todo fã de quadrinho. Quatro aliens e aguardando o volume 3!


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

1 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris