Resenha: Arquivos Serial Killers, de Ilana Casoy

sábado, março 21, 2015

Os fãs de crimes em série se regojizam com os livros da Ilana Casoy. A autora é especialista nacional nesta temática e tem vários livros publicados. Dois de seus mais famosos livros foram relançados, recentemente, pela editora DarkSide e um box incrível. Sempre elogio o capricho da editora com suas obras e neste não foi diferente.





Eu já conhecia os livros, mas tinha lido apenas o Serial Killers Made in Brazil, que emprestei e a pessoa sumiu com ele. Pense no meu desespero? Então, quando vi o box com as novas edições, corri para comprar. Peguei uma boa promoção no Submarino e o box chegou em um dia. O box vem em uma caixa reforçada de papelão, bastante firme, diferente de algumas caixas por aí que parecem que vão desmontar a qualquer momento. Mas você pode comprar os livros separadamente se preferir.



Os livros

Serial Killers, Louco ou Cruel?
Os fãs de CSI e Lei e Ordem com certeza adorariam esse livro. Ilana nos apresenta ao mundo dos serial killers, nos dando definições sobre termos, sobre como se dá a motivação para um crime, como se investiga um assassino serial e quais são os métodos. Descobrimos como se monta um perfil de um criminoso, especialmente os seriais e como o FBI inicia os procedimentos de investigação caso suspeite que exista um assassino serial. Muitos mitos sobre eles são derrubados com as explicações do livro também.


Frequentemente, a vítima representa alguém na vida ou no passado do agressor, além do fato de o serial killer, na maioria das vezes, escolher como vítimas pessoas de sua própria etnia.

Além da parte teórica, o livro vem com perfis e história criminal de vários assassinos em série como Ted Bundy, Andrei Chikatilo, Jeffrey Dahmer, John Wayne Gacy, Ed Gein (que inspirou o livro Psicose, O Massacre da Serra Elétrica e O Silêncio dos Inocentes) e o Zodíaco. Temos fichas de suas vítimas confirmadas, os mistérios envolvendo alguns crimes e o que aconteceu com muitos deles, que em geral foram condenados à morte.

Modus operandi é o comportamento prático. É o que o criminoso faz de necessário para cometer o crime e é dinâmico, podendo mudar e melhorar conforme sua experiência.

Assinatura é o que o criminoso faz para se realizar psicologicamente, é produto de sua fantasia e é estática, não muda.

Gostaria que todas as editoras tivessem o capricho e a preocupação com os detalhes com seus livros que a editora DarkSide tem com os seus. Da capa, à impressão, da brochura ao marcador de livro, a obra é perfeita. Tão perfeita que não recomendo para pessoas sensíveis, pois ele contém fotos de alguns locais de crimes e até de algumas vítimas. Tem também algumas fotos dos assassinos já mortos e o nível de detalhes de alguns casos pode embrulhar o estômago dos mais sensíveis.

É aqui conheci uma das histórias mais bizarras, a de Albert Hamilton Fish, que sequestrava meninas, matava e as comia. Chegou a mandar uma carta para a mãe de uma delas para dizer que o lombo da filha era delicioso e que nunca tocou nas partes íntimas da menina. Masoquista confesso, ele tinha prazer em enfiar agulhas no períneo e chegou a causar um curto circuito na cadeira elétrica, em 1936, pois possuía 29 delas no corpo. Foram necessárias duas descargas elétricas para matá-lo.


Pontos positivos
Assassinos em série
Parte teórica
Livro bem acabado
Pontos negativos
Fotos dos locais de crime
Crimes detalhados

Serial Killers, Made in Brazil
Para quem achava que assassinos em série é coisa dos gringos, errou feio e errou rude. O Brasil tem alguns notórios assassinos, alguns já morreram, outros estão presos, outros foram soltos. Um dos pontos levantados pelo livro é que há um preconceito geral da polícia brasileira (ou puro despreparo mesmo) para lidar com crimes em série. A polícia demora para conectar uma coisa com a outra, mesmo que tenha assinaturas idênticas em vários crimes. Isso acaba levando ao criminoso a cometer mais e mais crimes, já que se sente confortável com a possibilidade de nunca ser identificado.


Algumas coisas existentes no primeiro livro retornam em Made in Brazil para ajudar a compreender como surgem estes criminosos, quais são suas motivações e história de vida. O prefácio foi escrito pelo promotor Roberto Tardelli. No final, temos laudos psiquiátricos e clínicos de vários dos criminosos mostrados no livro como Chico Picadinho, Marcelo Costa de Andrade (o Vampiro de Niterói) e Benedito Moreira de Carvalho (o Monstro de Guaianazes). Não duvido nada que existam outros assassinos em série agindo ou que agiram pelo país e que por despreparo da própria polícia continuaram agindo. Vimos a demora do caso do atirador de Goiás.

De novo, não recomendo a leitura para pessoas sensíveis. As fotos dos crimes de Chico Picadinho, por exemplo, estão no capítulo a ele destinado. Em vários momentos, a leitura sobre o Vampiro de Niterói foi bastante difícil, pois ele conta com detalhes o que fazia com os meninos que matava. E há mais detalhes horrendos em outros casos. Se você não se sente confortável com isso, por favor, não leia o livro. Mas se tiver coragem e curiosidade para tentar entender o que leva essas pessoas à cometerem tais barbaridades, achou o livro certo.


Pontos positivos
Assassinos em série
Crimes no Brasil
Livro bem acabado
Pontos negativos
Fotos dos locais de crime
Crimes detalhados

Ficção e realidade

Ilana Casoy é pesquisadora e escritora na área de violência e criminalidade. Em suas palestras, trata de assuntos relacionados à criminalidade e violência, com recurso de documentários de suas entrevistas com os assassinos. Lembro que quando li Made In Brazil pela primeira vez, ela comentou no final que passou mal depois da entrevista com o Monstro de Niterói. Passou alguns dias na cama, pois se sentia mal, tanto física quanto psicologicamente.

O impacto dos crimes violentos na vida das pessoas é difícil de medir, pois cada um reage de uma maneira, mas acho que não é preciso ser gênio para perceber que uma pessoa fica marcada para o resto da vida. Pode até mesmo nunca se recuperar de algo assim. Aos sobreviventes, quando existem, ficam as dúvidas e o alívio. Para as vítimas podemos apenas esperar que elas inspirem a polícia a evitar mais crimes horrendos como os que lemos com tamanha riqueza de detalhes nos livros acima.


Título: Arquivos Serial Killers (box com dois livros)
Autor: Ilana Casoy
Editora: DarkSide
Páginas: 355 (cada um)
Ano de lançamento: 2014
Onde comprar: Grandes livrarias (procure pelas promoções antes, os preços podem variar)


Avaliação do MS?
Pessoas sensíveis podem achar os livros profundamente perturbadores. Para mim é também uma curiosidade. Li porque queria tentar entender o que motiva um assassino serial, o que pode levá-lo a cometer crimes tão hediondos. Queria entender porque a maioria das vítimas é composta por mulheres, entender como alguém pode comer a carne de outro ser humano e sentir prazer por matar. Se você também tem esta curiosidade, eu recomendo fortemente esta leitura. Cinco aliens para o box.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris