Resenha: Mentes Sombrias, de Alexandra Bracken

sábado, janeiro 11, 2014

É impressão minha ou existe uma febre hoje em dia de sempre fazer livros em três? Mentes Sombrias é o primeiro livro da trilogia The Darkest Minds, de Alexandra Bracken. Uma estranha enfermidade ataca as crianças nos Estados Unidos e o jeito é tratá-las para que não façam mais mal a ninguém. Ou é o que a população pensa.




O livro
Ruby está algemada, ainda de pijamas, em um ônibus a caminho de um centro de tratamento. Ao menos é o que seus pais, que não sabem mais que são seus pais, pensam quando a entregaram nas mãos da polícia especial no dia do seu aniversário. Junto dela no ônibus estão mais crianças, pré-adolescentes, todos presos e assustados, sendo maltratados e agredidos pelos guardas Psi. Antes disso, Ruby já tinha visto os colegas morrerem na escola, simplesmente caindo mortos, acometidos por uma estranha doença. O país entra em crise, as pessoas se desesperam, bolsa de valores quebra, é uma situação sem precedentes.


A população infantil no país cai espantosamente e vários níveis dessa doença misteriosa foram identificados, Verde, Azul, Amarelo, Laranja e Vermelho. Quando Ruby chega a Thurmond, um dos piores e mais rígidos campos de reabilitação, ela consegue convencer o médico de que é uma Verde e assim permanece viva, enquanto os de níveis mais altos sumiam, sendo estudados, vivissecados e virados do avesso na tentativa de descobrir o que acontecia às crianças.

Mas chega um dia em que ela percebe que algo está errado. Provavelmente, estão prestes a descobrir que Ruby não é uma Verde coisa nenhuma e isso a coloca em risco. Uma médica, então, diz que pode ajudá-la. Junto de outro garoto que também enganou as pessoas no campo, eles são retirados, sorrateiramente e se veem livres, pela primeira vez, em seis anos. Ruby tem 16 anos agora, e sonha com o momento de rever a avó, que foi a única que não esqueceu dela. Ruby tem medo de tocar os outros e, sem querer, fazê-los esquecer que ela existe, como aconteceu com sua melhor amiga. Ela tem medo de tudo e de todos.

Eu terminei o livro sem saber direito como os níveis foram estabelecidos, o que cada nível faz especificamente e como que a enfermidade aconteceu. Espero que a autora explique isso no próximo livro, porque o leitor fica mesmo perdido no começo. Os personagens começam mal construídos, mas depois eles parecem ter mais profundidade, ficam mais bem elaborados. Mas como toda ou quase toda trilogia, nada se resolve no final deste livro.

Ficção e realidade
O que achei mais interessante foi como a situação das crianças praticamente acabou com o país. Jovens que conseguiram fugir dos campos ou ficaram escondidos com os pais formaram gangues e tribos, comunidades onde estavam seguros e podiam desenvolver suas habilidades em segurança, sem machucar ninguém. Mas nem todo mundo é bonzinho. É possível notar que, mesmo tão jovens, alguns são bem psicóticos e não se importam em fazer mal aos outros.

A capital do país ficou detonada, empresas fecharam, o governo precisou se mudar para Nova York e as pessoas vivem com medo das habilidades dos jovens. São comuns os cenários destruídos, casas abandonadas e crianças buscando comida em mercados abandonados, tentando fugir da Força Especial Psi ou de grupos terroristas que querem jovens poderosos para suas fileiras. Lembra muito os X-Men, quem ler vai perceber.

Pontos positivos
Ficção científica
Enredo interessante
Personagem feminina
Pontos negativos

Cenas longas demais
Livro se arrasta em várias partes

Título: Mentes Sombrias
Título original: The Darkest Minds
Autora: Alexandra Bracken
Ano: 2013
Editora: iD
Páginas: 576
Onde comprar: esgotado e fora de catálogo

Avaliação do MS?
Não posso dizer que o livro é sensacional. Ele peca em várias partes, mas como o enredo é interessante, procurarei ler a continuação para saber o que aconteceu com Ruby e seus amigos e se ela reencontrou a família. A situação do país e das crianças são bem descritas e um ambiente distópico foi bem construído. Pena que a autora falha em algumas cenas arrastadas demais. Três aliens para Mentes Sombrias.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris