Resenha: Fábulas do Tempo e da Eternidade, de Cristina Lasaitis

A ficção científica nacional é uma força contra a maré. Ela resiste e persiste entre os lançamentos de livros estrangeiros, é publicada e discutida em eventos e encontros literários, está nas plataformas de autopublicação e nas editoras de menor porte. Ser da FC é ser da resistência. Nesta coletânea de Cris Lasaitis temos o que de melhor a FC nacional tem a nos oferecer.



O livro
Fábulas do Tempo e da Eternidade se encontra em sua segunda edição. Misturando o fantástico e a ficção científica hard, temos 12 contos que discorrem sobre o tempo, ora com tons de ficção científica, ora com tons de fantasia, ora com ambos, mas muito bem dosados e alguns inclusive interligados.

Resenha: Fábulas do Tempo e da Eternidade, de Cristina Lasaitis

Virá o tempo em que as estrelas se apagarão, a matéria ruirá sob suas próprias forças e os buracos negros se diluirão no vácuo. As leis da física profetizam que, tal como cada um de nós, o universo que habitamos também terá o seu término.

Os contos são:

  • Além do invisível
  • As asas do inca
  • Nascidos das profundezas
  • Revés Alquímico
  • Assassinando o tempo
  • A outra metade
  • Viagem além do absoluto
  • De onde viemos, para onde vamos
  • Irmãos Siameses
  • Caçadores de anjos
  • Os parênteses da eternidade
  • Meia-noite

Cada conto tem uma apresentação que nos prepara para o que será lido e que foi super importante para absorver o clima e o ambiente de cada um. Praticamente todos os contos têm um final inquietante, surpreendente, alguns tristes, mas o tempo e o seu passar ao longo de nossas vidas nos trazem muitos sentimentos e cada conto parece trazer um pouco de cada um deles.

Alguns dos cenários apresentados são de uma ciência que ainda não experimentamos. Como por exemplo, os dois últimos seres viventes em um universo que está chegando ao seu fim, fazendo alusão ao fim do nosso universo conhecido daqui trilhões de anos. Melancólico, profundo, especial. Este conto faz lembrar O Restaurante no Fim do Universo, da série O Guia do Mochileiro das Galáxias e é o meu favorito.

A arte da capa e a arte interna tanto nos próprios contos quanto no índice mostram um cuidado especial e dedicação em tornar o livro atraente e gostoso de ler. Lasaitis tem uma narrativa leve, sem tropeços, falando do tempo e ao mesmo tempo de ciência experimental, fantasia, amor, a eternidade e todas as suas consequências. Não encontrei grandes problemas de revisão ou diagramação durante a leitura.


Ficção e realidade
Quem espera uma obra pura sobre o tempo e sobre a ciência do tempo pode se decepcionar com a obra por trazer as pitadas de fantasia que foram bem colocadas em todos os contos. De fato, o tempo é estudado e é especulado pelos teóricos e estudiosos e continuará sendo. Se ele é passível de contorno, de viagem ou de quebra, isso fica para a especulação e para os escritores de ficção científica, claro. Em um dos contos que mostra ciência experimental brasileira, é possível se comunicar pelo não-tempo com alguém do passado e/ou do futuro.

Temos também uma pitada de distopia quando uma nave encontra no deserto do Atacama alguns povos primitivos que não tinham como acessar toda a tecnologia ali guardada. Apesar de ser um recurso muito usado por autores e ser um temor presente na civilização, o modo como a autora usou o assunto não foi clichê e gerou uma boa estória.

Cristina Lasaitis

Cristina Lasaitis é uma escritora brasileira de ficção científica, pertencente à "terceira onda" do gênero no Brasil. Biomédica de formação

Pontos positivos
Bem escrito
Ótimo tema e análise
Leitura fácil, amigável
Pontos negativos

É curto!


Título: Fábulas do Tempo e da Eternidade
Autora: Cristina Lasaitis
Páginas: 206
Editora: Dandelion (minha edição é da Tarja)
Onde comprar: na Amazon


Avaliação do MS?
Espero que a autora lance mais livros de ficção científica, seja de contos, seja com um enredo mais denso. Não só o cenário nacional precisa como sua escrita é leve, embora em um conto ou outro a escrita peque, mas de modo geral é um livro ótimo, que mostra que para se ler ficção científica não é necessário ser cientista, basta gostar de ler e de viajar. Altamente recomendado. Cinco aliens para o livro.


Até mais!

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.