Afinal, o que é Ficção Científica?

sexta-feira, abril 22, 2011

Como o gênero não é exatamente conhecido e divulgado no Brasil, ele acaba mal compreendido quando é necessário defini-lo. Então por isso vamos ver hoje o que é de fato a FC ou SciFi, ver seus gêneros principais e temas mais trabalhados.





DEFINIÇÃO

O fato de a FC tratar de ciência e de tê-la como sua base provavelmente é o que afasta muitos leitores. Termos e leis da Física podem assustar a muitos que não eram exatamente os CDFs na escola. Então numa definição bem concisa ficção científica é:

Estilo literário que lida com a ciência, tanto real quanto imaginada, e seu impacto numa determinada sociedade. Desenvolveu-se a partir do século XIX em especial com os avanços da ciência moderna nas áreas da Física, Química, Informática, Geologia e Astronomia.

Muita gente separa os filmes e as séries de FC da literatura que deu origem ao gênero, e os classificam como obras fantásticas, bem no limiar da FC. Mas quem já acompanhou Jornada nas Estrelas provavelmente se lembrará de todas as explicações de física teórica que existiam nos episódios. Então, realmente, não vejo diferença. Em geral, ela é associada também à ficção fantástica e de terror. Nem sempre ela estará relacionada com o espaço e sua colonização, como por exemplo Frankenstein, de Mary Shelley ou O Médico e o Monstro, de Robert Louis Stevenson.

Se podemos de fato estabelecer um início para o gênero, ele começou com Júlio Verne e HG Wells. Mas foi em 1926 com a criação da revista Amazin Stories por Hugo Gernsback, que também cunhou o termo scientifiction (algo como cientificção) que o termo se solidificou e ganhou fama. Sendo vista como uma coisa de amadores, sensacionalista e exagerada, ela ganhou força com contos publicados por Isaac Asimov, Arthur C. Clark, Aldous Huxley e começou a ganhar críticas mais sérias, ganhando de vez o imaginário popular com o advento da Segunda Guerra Mundial, a corrida armamentista e as missões Apollo.

GÊNEROS

Existem cerca de 30 subgêneros relacionados ao universo SciFi e muita confusão sobre os tipos e as vertentes. Mas podemos dividir por temas e subtemas mais comuns, que acredito ser mais fácil de entender:

Hard SciFi - algo como FC pura, pois trata de uma ciência pura, fortemente baseada na ciência experimental. Caracteriza-se por ser detalhista e mais real. Alguns autores hoje trabalham com a Hard em estrelas de nêutrons, projetos imensos com tecnologia avançada mas plausível. Em geral, a condição humana não é o foco.

Soft SciFi- ao invés de focar na ciência pura e experimental, a Soft tem foco nas relações entre as pessoas, nos sentimentos e na interação entre elas, enquanto a ciência não tem tantos detalhes.

Social SciFi - foca na sociedade humana, nas complexidades de suas interações e menos em tecnologia, podendo acontecer na Terra ou fora dela.

Dentro destas três, encontramos estes sub-gêneros mais comuns:

Cyberpunk

Tem um visual noir, quase gótico, com histórias policiais, muitas delas centralizadas na Terra e não fora, trabalhando com humanos. Em geral as sociedades são altamente dependentes da tecnologia e a acoplam em seu corpo. Personagens marginalizados, no formato anti-herói são comuns, sendo um gênero quase que de protesto contra as sociedades utópicas do estilo Jornada nas Estrelas, uma espécie de contra cultura, com muito eletrônico, sujeira tecnológica e personagens moralmente ambíguos. O melhor exemplo deste gênero é Neuromancer, de William Gibson.

Por conta do cyberpunk, surgiram outros sub-gêneros derivados:

  • Biopunk, onde existe toda uma biologia sintética, baseada em genética e transgenômica; diferente do cyberpunk em que eles alteram seus corpos com a tecnologia da informação, os biopunks alteram pela mutação genética.
  • Steampunk, uma FC no passado, com tecnologia baseada em máquinas a vapor, visual vitoriano, noir e romântico, como se voltasse às raízes de Mary Shelley e Júlio Verne.
  • Dieselpunk, uma FC no passado próximo, baseado em tecnologias movidas a combustível, como o diesel. Seu visual é, especialmente, baseado no período entre grandes guerras mundiais.
  • Pós-cyberpunk, surgido nas últimas duas décadas, onde a diferença é que os personagens são pró sociedade e não seus párias.


Distopia

É o contrário das utopias, aquelas sociedades perfeitas e sem desigualdade. Um FC distópica tem como principais características o totalitarismo, ditaduras, perseguições políticas, um controle excessivo da máquina estatal sobre a sociedade. Elas são muito próximas da sociedade atual e agem como uma ferramenta de crítica ao estilo vigente de controle da mídia e do consumo.

Pulp Fictions

É uma FC feita em revistas cujo papel é de baixa qualidade (de polpa de celulose, por isso pulp). São tidas com entretenimento rápido, divertidas, algumas absurdas, ou de qualidade duvidosa. Foram as precursoras das séries de televisão, visto que foram a principal diversão dos jovens nos anos 40 e 50. Com o aumento nos custos na produção de papel, este tipo de FC quase desapareceu, mas sobreviveu nas histórias em quadrinho atuais e em edições de menor formato.

Space Opera

São as novelas espaciais. Este gênero enfatiza a aventura romântica, cenários exóticos e personagens épicos, muitas vezes recheados de personagens sensuais e alienígenas. Em geral, se situam em planetas distantes, mas o início foi marcado por paisagens exóticas na Terra, como na África, com um estilo de Velho Oeste. É comum neste gênero as leis da física serem ignoradas ou quebradas, recheadas de ação e combates. Ela enfatiza principalmente as viagens espaciais, como Stargate Universe, e pode ser confundida muitas vezes com o romance planetário, que por sua vez se concentra em um planeta específico ou que contenham civilizações esquecidas.

Apocalíptica e pós-apocalíptica FC

Aqui existem dois tipos. A Apocalíptica se concentra no fim da civilização por motivos diversos (pandemia, impactos de meteoros, catástrofe nuclear ou cibernética, desastre ecológico ou algum outro tipo de evento). E por motivos óbvios, o pós-apocalíptico é o que acontece com a sociedade depois da catástrofe e como ela vai se reconstruir, focando nos personagens, no impacto da destruição sobre os sobreviventes. Às vezes há uma fusão deste gênero com as Distopias e ficaram populares com o clima gerado pela Segunda Guerra.

Dying Earth

Terra agonizante numa tradução livre, algo como fim da Terra numa tradução menos precisa, pois envolve o fim do planeta, em geral num futuro muito distante, onde não há mais esperança em geral porque as leis da Física foram quebradas ou algum evento altamente catastrófico, como a explosão do sol não pode ser evitada. É um dos tipos mais antigos de FC, explorando a relação entre as pessoas e os sentimentos contraditórios causados pelo evento iminente.

FC Mundana

É um gênero recente, citado pela primeira vez em 2002 por um movimento de escritores. O enredo se passa na Terra ou perto dela, sendo baseadas na ciência vigente no momento em que foram escritas. Características comuns na FC como viagens espaciais, colonização de planetas, alienígenas, guerras espaciais e etc., não são exploradas neste sub-gênero. A websérie Pioneer One se encaixa neste estilo.

Viagens no tempo

Um gênero já antigo e cristalizado na FC, podendo ser encontrado no início das obras, em especial com HG Wells e com Charles Dickens. Gira em torno do conceito de que é possível viajar entre pontos diferentes do tempo e espaço, enviar pessoas e objetos, alterando assim o passado e consequentemente o futuro. Em geral possui algum dispositivo de viagem no tempo, uma máquina, e pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal.

FC Militar

Sub-gênero onde os principais personagens são militares ou existe uma guerra de grandes proporções acontecendo no espaço ou em planetas que não sejam a Terra, bem longe dela normalmente. É bastante semelhante aos ambientes das grandes guerras humanas, onde países são substituídos por planetas inteiros e os cenários são grandiosos, com imensas naves e bombardeios. O senso do dever, a honra das patentes, a defesa da pátria são comuns. Um exemplo deste gênero é o jogo para PC Starcraft.

Superheróis

Este é um sub-gênero muito comum e que teve sua origem nos quadrinhos e nos pulp fictions. Um ser, em geral de outro planeta, tem como objetivo proteger o público e a raça humana. Alguns são terrenos e foram modificados genética ou fisicamente, como o Homem-Aranha e o Wolverine. Podem ter ou não superpoderes, como o Batman, mas se apóiam na ciência e na tecnologia para cumprir seu dever, combater o crime e manter a ordem, em geral tendo inimigos tão poderosos quanto eles. Possuem roupas e equipamentos customizados, um quartel general, uma história trágica no passado, uma fraqueza que pode ser explorada e uma namorada, viva ou não, que não entende sua condição.

Alienígenas e mundos aliens

Também chamado de exobiologia, lida com ambientes extraterrestres, com seres inteligentes ou não, tendo contato com humanos para o bem ou para o mal, vindo ou não à Terra ou humanos encontrando-os em missões e viagens pelo espaço profundo. É possível encontrar o sub-gênero relacionado a outros. Ganhou importância com os eventos dos OVNIs e do Caso Roswell, no Novo México, EUA, em 1947.

Colonização

É muito comum vermos enredos, como Defiance, onde a Terra é colonizada ou ocupada por aliens. Mas este sub-gênero fala de missões de colonização humanas para outros mundos, que relatam as dificuldades de se ocupar novos locais. Vários motivos levam à colonização como problemas ambientais, aquisição de recursos, ameaças de extinção, pura exploração e descoberta científica.

Cli-fi

Este é um sub-gênero recente. Ele surgiu decorrente das mudanças climáticas globais, enfatizando aquelas que seriam supostamente causadas pela ação antropogênica, ou seja, pela ação humana. Os autores costumam situar seus enredos no presente e no futuro, mas também existem enredos desenvolvidos no passado, entrelaçados com o Steampunk. Também existem aqueles que questionam se estas mudanças estão acontecendo de fato ou não.

Afrofuturismo

Outro sub-gênero recente, que combina elementos de ficção científica, ficção história, fantasia, afrocentricidade e realismo mágico com as cosmologias não-ocidentais, de uma maneira a criticar os dilemas atuais das pessoas de cor. É também uma maneir ade revisar, interrogar e reexaminar os eventos históricos importantes do passado, como a Diáspora Negra. Um bom exemplo de autora afrofuturista foi Octavia Butler.

FC Feminista

Como a ficção científica é um gênero majoritariamente criado por homens para um público também masculino, surgiu nos Estados Unidos uma vertente encabeçada por mulheres como Octavia Butler, Ursula K. Leguin, que pretendia quebrar essa hegemonia e tratar da FC por uma perspectiva feminina. Infelizmente, isso também abriu a oportunidade para que obras misândricas surgissem, ou seja, aquelas que subjugavam o gênero masculino, subvertendo o sentido moderno de feminismo que é o fim do machismo e do sistema patriarcal.

Espero que esta pequena compilação consiga separar o joio do trigo e assim aumentar a compreensão sobre a FC.

alien

Até mais, tripulante!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris