Resenha: A história de Greta, de Valentina Camerini

Esta é uma biografia não oficial de Greta Thunberg, a adolescente sueca que se tornou símbolo da juventude que luta pelo clima e que cobra as autoridades por mudanças significativas em suas políticas. É um livro pequeno, mas bem gostosinho de ler e um excelente recurso para se usar em sala de aula para mostrar que ninguém é pequeno demais para fazer a diferença e ainda falar das mudanças climáticas.




Este livro foi uma cortesia da Editora Sextante


O livro
Era uma manhã de agosto de 2018 em Estocolmo, na Suécia, quando Greta decidiu tomar uma atitude a respeito do descaso das autoridades com o clima. Fez suas tranças, vestiu um casaco e saiu de casa onde morava com os pais carregando uma placa onde se lia: Skolstrejk för klimatet (greve escolar pelo clima). Junto levava também alguns folhetos, com dados e fatos relevantes a respeito da mudança climática global.

Resenha: A história de Greta, de Valentina Camerini

Ao invés de estar na escola, Greta pegou sua bicicleta e pedalou até a sede do parlamento sueco, o Riksdag e lá ficou com sua placa, distribuindo os panfletos para quem quisesse, completamente sozinha. No dia seguinte, Greta fez a mesma coisa. Voltou ao parlamento, colocou sua placa, distribuiu panfletos. Mas aquele dia algo diferente aconteceu. As pessoas começaram a parar e a ouvir e ler o que Greta sabia a respeito das mudanças climáticas. No terceiro dia ela não estava mais sozinha, já havia um grupinho com ela. No sexto dia, as redes sociais se tornaram os veículos para a disseminação do protesto de Greta.

Quando já havia gente demais na frente do Riksdag, elas foram para uma praça perto dali e o mundo começou a ficar curioso a respeito dessa menina que sozinha iniciou um movimento pelo clima. Uma matéria no The Guardian foi o estopim para um movimento global começar. A Suécia é um dos poucos países a levar mais a sério a questão ambiental. Foi o primeiro no Ocidente a promulgar uma lei para diminuir as emissões de gases do efeito estufa, querendo reduzir a zero emissões em 2045. Mas Greta sabe que ações mais enérgicas são necessárias, não dá mais para esperar, o clima já está alterado e os cientistas estão alertando há anos. Por que ninguém agiu?

Antes do protesto de Greta, outros alunos ao redor do mundo já tinham feito suas manifestações. Greta não é a única jovem a lutar pelo clima, mas ela acabou se tornando a face destes jovens e uma porta-voz. E logicamente que ao atrair a atenção do mundo, ela atraiu também o olhar dos odiadores, dos machistas, dos negacionistas do clima, dos ignorantes de plantão, que a ameaçaram, ofenderam e ridicularizaram seu autismo e sua militância. Nada disso a impediu de falar nas Nações Unidas e de peitar os políticos engravatados.

Os adultos ficam dizendo que precisam dar esperanças aos jovens. Eu não quero esperança, quero que os senhores entrem em pânico, que entrem em ação. Quero que se comportem como se estivessem no meio de uma crise, porque é disso que estamos falando.

Página 85

O livro é bem curtinho, mas deliciosamente escrito e ilustrado. A leitura é muito rápida e justamente por seu tamanho e pelas ilustrações, além da escrita fluída e gostosa de acompanhar, que é um ótimo livro para trabalhar com a garotada na escola. Tanto no fundamental quando no médio (como introdução ao tema) o livro pode ser discutido e pode gerar trabalhos escolares, quem sabe até fomentar um movimento nas escolas pelo clima?

Termos são explicados de maneira bem didática no final como COP24, efeito estufa, pegada de carbono e no corpo do texto, inclusive o fato de Greta ser Asperger e como ela lida com informações de uma maneira diferente de pessoas não-autistas. Temos uma cronologia no final de como a poluição do planeta começou a crescer com na era moderna chegando até os dias de hoje. E há também algumas ações que nós podemos tomar para também minimizar o impacto de nossas atividades.

A autora poderia, pelo menos, não ter usado mais "homem" como sinônimo de humanidade, já que é um termo excludente e que deveria ter caído em desuso há muito tempo. Temos uma garota como porta-voz da juventude e ainda usam "homem" para abranger a todas nós. A tradução ficou por conta de Aline Leal e está ótima. Apenas peço que a Sextante coloque nas lojas online o nome da tradutora e da ilustradora junto ao nome da autora.


Ficção e realidade
Algumas pessoas ainda olham torto para quem milita pelo clima. São chamados de "ecochatos", que é tudo alarmismo, que nem é para tudo isso. Mas as chuvas frequentes nas regiões metropolitanas, os incêndios destruidores na Austrália, na Califórnia, o aumento dos níveis dos mares, o arrefecimento dos furacões e tufões, são discutidos há décadas. O que Greta questiona, e com bastante razão, é por que ninguém agiu quando ainda havia tempo? E por que esse questionamento incomoda tanto os políticos? Será que é por saberem que eles estão pouco ligando para o clima?

Infelizmente a tendência é apenas piorar. Ainda que hoje o mundo inteiro passasse por uma incrível mudança e parasse de emitir gases, de despejar lixo indiscriminadamente, que começasse a de fato cuidar do planeta como se deve, as mudanças já se estabeleceram e teríamos que arcar com as consequências. Mas sabemos que os políticos não vão agir a tempo, eles vão defender seus interesses e das grandes empresas, dos bilionários, dos donos do poder. Então o jeito é nos preparar para sobreviver da melhor maneira possível e fazer a nossa parte.

Valentina Camerini

Valentina Camerini nasceu em Milão. É autora de livros infantis, tendo trabalhado anteriormente na divisão de quadrinhos da Disney. Veronica Carratello é uma ilustradora e quadrinista italiana, que trabalha principalmente com literatura infantil.


Pontos positivos
Ilustrado
Bem escrito
Leitura fácil
Pontos negativos
Biografia não oficial
Homem
Muito curto!

Título: A história de Greta
Título original em italiano: La storia de Greta
Autora: Valentina Camerini
Ilustradora: Veronica Carratello
Tradutora: Aline Leal
Editora: Sextante
Ano: 2019
Páginas: 128
Onde comprar: na Amazon!


Avaliação do MS?
Foi uma leitura muito gostosa de se fazer. Foi bastante rápida e acho até que poderia ter sido mais encorpada. Para quem quer conhecer mais sobre o movimento dos jovens que lutam pelo planeta, é um bom começo. E quem quiser entender como que Greta se envolveu com a questão ambiental, é um ótimo pontapé inicial. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também!


Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.