Resenha: Os Eternos, Volume 1 - O Legado, de Amie Kaufman e Meagan Spooner

Esse livro tinha TUDO pra me ganhar. Quando li a sinopse fiquei bem empolgada. Contato alienígena, protagonista feminina, planetas inexplorados, transmissões interestelares misteriosas. Parecia que seria uma das melhores leituras do mês. Não foi.



Parceria Momentum Saga e
editora Morro Branco


O livro
A Terra recebe uma notícia com apreensão: a de que não estamos mais sozinhos no universo. Uma misteriosa transmissão é recebida e um trabalho acadêmico sem precedentes é montado para decifrar o conteúdo. Quando eles descobrem o que ela quer dizer, ficam espantados. Uma raça alienígena, os Eternos, extinta há 50 mil anos, está mandando instruções para a construção de um portal, alertando para seus erros e convidando aqueles dignos o suficiente para aprender com eles. E é claro que cobiça e ganância humanas entram em ação.

Resenha: Os Eternos, Volume 1 - O Legado, de Amie Kaufman e Meagan Spooner

O planeta Gaia guarda vários templos dos Eternos, que possuem tecnologias inacreditáveis, como a célula solar que salvou Los Angeles. A Terra vem passando por mudanças climáticas severas e poucos privilegiados têm acesso a comida, água potável, educação moradia. Muitos olhos estão virados para Gaia, inclusive de saqueadores. Saqueadores como Amelia, ou Mia, que precisa de qualquer coisa de valor que encontrar para ter a irmã mais nova de volta.

Assim que chega ao planeta, quando está correndo para o templo, ela conhece Jules, um acadêmico, nerd, especialista em Eternos. E o que eu mais temia que poderia acontecer acaba acontecendo: instalove. Ou seja, a química é imediata, tão imediata que dá no saco, tão imediata que fica irreal. Esses dois passam boa parte do tempo discutindo e querendo se pegar ao mesmo tempo e são tantos blocos de texto de desejo reprimido que eu fazia leitura dinâmica e pulava. Veja bem: eu não me importo com romance, mas ele tem que ser crível, tem que parecer verossímil, tem que ser bem construído e não dá para achar verossímil que dois adolescentes só pensem na pele, na boca e no cabelo um do outro quando tem tanta coisa em risco. Coisas que eles pontuam TODO O TEMPO. Foi uma atração imediata, pouco espontânea, que estragou boa parte do livro.

Por cerca de 3/4 do livro nada acontece. NA-DA. Eu me peguei pescando em alguns momentos, o livro caindo da minha mão. Ele finalmente dá uma guinada mais perto do final, tarde demais para salvar o restante. Os capítulos vão se alternando entre as visões de Jules e de Mia, o que cansou pela repetição de ideias e pensamentos e "meldels, que gato que ele é". Este é um livro que poderia ter trabalhado muito mais a questão da exploração científica, do contato alienígena, ao invés de ficar nos diálogos e pensamento internos dos personagens. E mesmo quando os momentos científicos acontecem, eles são mecânicos, mal inseridos na trama.

Não sou contra clichês, mas eles precisam ser bem trabalhados, e aqui não foram. Além de ser um grande Indiana Jones no espaço, onde você precisa andar por templos abandonados desarmando armadilhas, o amor instantâneo dos protagonistas foi um porre de aguentar. O didatismo das explicações, os imensos blocos de texto com ela pensando nele, ele pensando nela... Tudo isso foi chatíssimo. E o grande mistério dos Eternos, para quem já é alguém calejada na FC como eu, foi bem fácil de matar desde o começo. As autoras não se esforçam em manter qualquer suspense a respeito.

A edição da Morro Branco está bem bonita na parte gráfica, tanto capa, contra-capa e miolo, mas carece de uma melhor revisão. Há letras faltando em algumas palavras e em um determinado momento a tradução deveria ser "nave" e está "navio". Sei que a mesma palavra em inglês é usada para as duas coisas e por isso deve ter escapado.


Ficção e realidade
Um ponto bastante positivo do livro foi trazer a questão da ganância humana pela tecnologia alienígena. Se recebêssemos uma transmissão alien nos dando a chave para uma tecnologia e conhecimento inimagináveis, a corrida desenfreada pela obtenção de tais tecnologias começaria e não teria freios. É o que vemos no livro, gente fazendo o possível e o impossível para acabar a corrida antes dos competidores. Eles já viram o que uma única célula solar fez por Los Angeles. Quem sabe que outras maravilhas os tempos dos Eternos poderiam guardar?

Amie Kaufman e Meagan Spooner

Amie Kaufman é australiana e especializada em mediação de conflitos, profissão que exerceu por sete anos antes de tornar-se autora em tempo integral. Também tem diploma em história, literatura e direito. Meagan Spooner é americana e especializada em roteiros para teatro. Ela ama colocar um pouco de suas viagens aos sete continentes em suas obras.

Pontos positivos
Atual
Discussão sobre bioética

Pontos negativos
É chato
Arcos dos personagens
Discussões rasas

Título: Os Eternos, Volume 1 - O Legado
Título original em inglês: Unearthed
Série Unearthed
1. Os Eternos
2. Undying
Autoras: Amie Kaufman e Meagan Spooner
Tradutora Sofia Soter
Editora: Morro Branco
Páginas: 384
Ano de lançamento: 2019
Onde comprar: na Amazon


Avaliação do MS?
Uma pena. Eu comprei a ideia do livro, tentei entrar na onda, mas quando sentia que as autoras finalmente iam discutir alguma coisa, entrava o instalove de novo e lá se ia o momento certo. Já vi séries melhorarem nos livros seguintes, quero acreditar que ainda dê para salvar alguma coisa de Os Eternos. Três aliens para o livro.

É bom, mas...

Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.