Resenha: Sonata em Punk Rock, Babi Dewet

Me arrependi de ter levado tanto tempo para ler esse livro. Não sou exatamente o público alvo, mas ainda assim foi uma leitura extremamente gostosa, com personagens bem escritos e várias discussões pertinentes pelas páginas de Sonata em Punk Rock. Não é difícil de se identificar com a protagonista e sua vida esforçada, recheada pela música.



Este livro foi uma cortesia da Editora Gutenberg


O livro

A vida é como uma orquestra: são necessários muitos instrumentos em harmonia para que a música toda faça sentido.

Página 11

A vida de Valentina, Tim como gosta de ser chamada, é a música. Morando no Rio de Janeiro, tendo enfrentado várias dificuldades na vida, um pai ausente e que abandonou a família, ela encontra refúgio na música. Se não está trabalhando num mercadinho para ajudar nas contas da casa, ela está com seu violão. Um de seus desejos é ser uma estrela de punk rock! A vida não é fácil, mas ela e a mãe, batalham e dão duro para não faltar nada.

Resenha: Sonata em Punk Rock, Babi Dewet

Acredito que muitos leitores já possam ter se identificado com a personagem logo no começo. Assim como Valentina, também cresci sem pai por perto e a vida sempre foi uma luta diária da minha mãe e eu. Diferente de Tim, meu refúgio era a literatura e a ficção científica, mas certamente me identifiquei com ela em vários momentos. Ela também não se importa com o que digam ou pensem dela, tem personalidade forte e sabe bem o que quer. Seu crescimento nessa jornada foi bastante significativo e você acompanha com gosto.

A vida toma uma guinada quando ela recebe uma bolsa para estudar na Academia Margareth Vilela, um dos conservatórios de música mais famosos e prestigiados do país. Com grande facilidade para a música, a academia acha que ela se dará muito bem lá. Tim e sua mãe nunca teriam condições de pagar pelos estudos ali, desta forma ela se vê obrigada a aceitar a ajuda do pai, que surge de repente em sua vida.

Tim reluta e fica balançada pela proposta. Mas o que uma garota de coturnos e cabelos platinados, voluntariosa e de personalidade forte, fã de punk rock, faria num conservatório refinado de gente rica? Essa indecisão lhe tortura até que ela decide embarcar nessa jornada, entrando para um lugar que respira música; talvez não seja tão ruim. Dividida entre as aulas e os colegas esnobes, ela precisa conviver com o nome do pai, que é um grande violinista brasileiro e precisa lidar com o sentimento de mandar o sujeito ir pastar. Ele abandona a família e reaparece do nada, quem ele pensa que é?

Com uma narrativa leve, jovial, muito gostosa de acompanhar, Babi nos mostra o mundo da música pela visão de Tim, como ela se sente deslocada no conservatório, como é sua relação com Kim, filho da diretora da academia e um sujeito difícil de lidar desde o começo. Confesso que enredos em que entrem romances entre dois personagens, quase como uma obrigação entre eles apenas por estarem ali, costumam me dar preguiça. Neste caso, Babi soube manejar o romance com a independência de Tim, e ele não chega exatamente a roubar seu protagonismo, apesar de ser um romance difícil de engolir. É só mais um detalhe na vida complicada dela. Alguns personagens em volta me parecem um pouco apagados quando comparados com a protagonista, não que chegue a incomodar, mas eu gostaria de um pouco mais de detalhes sobre eles.

Adorei a capa e só depois de começar a ler a descrição de Valentina e seus coturnos foi que reparei que a moça na capa também usa um par! A edição da Gutenberg está bem diagramada, com poucos erros de revisão ou digitação. E no final tem um bônus: uma trilha sonora com um QRcode para você ouvir, mas você pode ouvir aqui!


Ficção e realidade
Mulheres comandam 40% dos lares brasileiros e em mais de 42% destes lares, a mulher vive com os filhos, sem marido ou companheiro. Esta foi a minha realidade. Esta é a realidade de Valentina e de milhões de jovens por aí. Este talvez seja o aspecto mais impactante da obra de Babi e o que faz com que tanta gente se identifique com Tim e sua luta na Academia. Babi tratou dos temas com bastante tranquilidade, o que torna a obra excelente para se discutir diversos temas, até mesmo em sala de aula.


Babi Dewet é carioca, formada em Cinema, que começou escrevendo fan fictions. Já publicou a trilogia Sábado à Noite, é apresentadora de shows e eventos de cultura coreana e pop, e possui um canal no YouTube sobre KPop e livros, além de fazer parte da equipe de vídeos do DramaFever.

Às vezes, para assumir a regência de nossas vidas, precisamos trocar a partitura.

Página 281

Pontos positivos
Valentina
Punk rock
Discussões e dilmeas
Pontos negativos

Personagens secundários
Algumas partes podem ser lentas

Título: Sonata em Punk Rock
Série Cidade da Música
1. Sonata em Punk Rock
2. Alegro em Hip Hop
Autora: Babi Dewet
Editora: Gutenberg
Páginas: 304
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Uma jornada de crescimento, de autoconhecimento, de independência, de uma garota sonhadora e que tem a possibilidade de realizar seus sonhos. Sim, a vida foi dura, mas Valentina não deixou de sonhar, de querer um futuro melhor para ela e para a mãe. Admito que não tinha muitas expectativas, mas foi uma leitura muito boa. Adoro quando um livro me pega de surpresa. Quatro aliens para o livro e uma forte recomendação para você ler também.

MUITO BOM!

Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.