A misoginia contra personagens da ficção

terça-feira, março 08, 2016

As redes sociais e a internet extrapolaram e expandiram esse fenômeno. Existem verdadeiras tropas de misóginos prontos para disparar comentários depreciativos em notícias e imagens que contenham personagens da ficção ou onde se problematize alguma coisa na ficção. Há também quem reclame, dizendo que isso é inútil. Não, não é inútil.

Lori Grimes



Assim que The Walking Dead estreou, uma personagem entre todas passou a ser odiada. Chamada de puta, vagabunda, rameira, vaca, entre outros nomes poucos lisonjeiros, tudo o que Lori Grimes fazia desagradava ao público. Shane, agressivo, psicótico, que quase estuprou Lori e quase matou o melhor amigo, era idolatrado. Lori, que estava sozinha, em um mundo perigoso para uma mulher e em ruínas, casada muito jovem e dona de casa com poucas habilidades para sobreviver, acabou encontrando no melhor amigo do marido uma maneira de perseverar.

Quando Rick voltou vivo, todo o ódio e misoginia de fãs histéricos acabou sobre ela. Eram memes e montagens de Lori zumbi e todo o tipo de piada de mau gosto, acusando Rick de ser corno, de Judith não ser sua filha e por aí vai. A atriz, Sarah Wayne Callies, estreou há pouco tempo em Colony e ainda existem memes depreciativos porque sua personagem trabalha para a resistência que quer expulsar os visitantes do planeta. Novamente, memes de que ela seria traidora e xingamentos.

A estreia do trailer do novo Caça-Fantasmas, com um time todo composto por mulheres, despertou o furor da turba odiadora de mulheres. A desculpa é que "um clássico é um clássico", como postou o Omelete no Facebook. Sei. Se fosse um Dudebusters, com homens, não haveria tal comparação. Assim como não houve essa histeria coletiva de quem se diz fã com Robocop ou com Star Trek 2009. Mas quando reclamamos da falta de Rey nos brinquedos oficiais de Star Wars, fomos as exageradas, mimizentas e etc..

Caça-Fantasmas

Reclamaram que as atrizes eram "feias", reclamaram que duas são gordas, que mulher não sabe fazer humor, que estragaram um clássico, que a infância foi destruída. Isso não passa de reclamação de gente mimada, que acha que a cultura pop deve atender a todos os seus desejos. Os dois filmes anteriores de Caça-Fantasmas - surpresa! - não foram banidos, queimados, destruídos ou abduzidos. Eles tampouco foram jogados no lixo. Se você acha que esse Caça-Fantasmas não será legal para você, fique à vontade para assistir os filmes antigos, eles ainda estão disponíveis e permanecerão assim.

A misoginia e o preconceito contra personagens de ficção é um retrato de como a sociedade trata e considera as mulheres e, por sua vez, minorias. O beijo de um casal gay em The Walking Dead deixou uma audiência furiosa, mas tiros na cabeça e corpos humanos sendo despedaçados, isso tá de boa. Enquanto a violência é vangloriada e incentivada no público, cenas de amor ou cenas que contenham personagens e atores que venham de grupos minoritários, de repente, é uma ofensa.

Quando sentamos e absorvemos a cultura pop e nerdices em geral, nossa esperança é nos identificar com as personagens, com os enredos, é poder suspender a descrença para viajar com a ficção, seja livros, filmes, séries de TV, jogos e quadrinhos. Se essas personagens são apenas um objeto, apenas uma decoração, ou se estão lá apenas para fortalecer a jornada do herói, morrendo, apanhando ou sendo estuprada, isso não nos representa.

A Rebeca Puig, lá do Collant Sem Decote, nossa sócia-torcedora aqui no Saga, postou na noite da entrega do Oscar uma reflexão interessante. Enquanto todos os personagens masculinos eram independentes, as femininas eram atreladas ou ao papel de mãe, ou a um homem. Não havia astronautas ou gênias da computação entre as personagens femininas. Assim como entre as mulheres negras ganhadoras de Oscar os papéis premiados estão divididos entre escravas e mães abusivas. E claro, os comentários de que não passava de mimimi começaram.

Você pode gostar de alguma coisa e ainda enxergar os problemas dela. Quando fazemos uma problematização sobre algo, sobre uma cena de estupro, sobre a falta de brinquedos, sobre os estereótipos negativos, não se está desmerecendo a produção. Você não precisa deixar de ver Game of Thrones, ou Star Wars, ou Caça-Fantasmas. Mas precisa rever seus preconceitos e privilégios se acha que essa reflexões são apenas mimimis de gente desocupada. Precisa estar ciente desses problemas, precisa saber porque reclamamos e qual é a importância de ter personagens femininas na liderança.

Rey

A misoginia mata mulheres e a misoginia contra personagens da ficção é só um reflexo do que acontece aqui no mundo real. O cara que acha que Lori Grimes devia morrer provavelmente não lava uma louça, porque acha que isso é tarefa da mulher, da mãe, da irmã, da namorada. Por fazer críticas à misoginia nos videogames, Anita Sarkeesian foi perseguida, ameaçada de morte e estupro e teve seus dados pessoais publicados na internet. Isso é misoginia, o ódio contra as mulheres, na sua forma mais pura. E precisa ter um fim.

As mudanças vêm acontecendo. São pontuais, são demoradas, mas estão acontecendo. O público reage de forma direta hoje quando algo acontece na ficção. Temos as redes sociais que nos possibilita mobilizar e compartilhar nossa indignação contra esses comportamentos abusivos. A arte reflete nossos modos de vida e se a misoginia precisa acabar aqui, tem que acabar na ficção também. E essa discussão é tão importante quanto discutir os estupros que acometem mulheres, seja aqui, seja na Alemanha, seja no Iêmen. Não existe hierarquia de desgraça. E quem faz isso para deslegitimar nossos textos, blogs e portais realmente não se importa com estupro algum.

Até mais.



Leia mais:
Problematizando a ficção
O Caso de Lori Grimes - Blogueiras Feministas
25 THINGS TO KNOW ABOUT SEXISM & MISOGYNY IN WRITING & PUBLISHING

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

7 comentários

  1. Achei o texto maravilhoso e verdadeiro. Acho que esse novo caça fantasma vai ser beeeeeem melhor que o 2. Mas eu fui histérico sozinho contra Star Trek 2009 e o novo Robocop. Principalmente por que toda a inclusão que star Trek teve foi jogada no mato.E isso não invalida nenhuma palavra do seu texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Star Trek 2009 e em diante têm apenas um ponto positivo: atraíram um público novo pra franquia que estava no ostracismo. E só tbm. =S

      Obrigada pelo comentário. =D

      Excluir
  2. Descreveu o que penso a respeito da história da Lori! Poxa vida, ela achava que o marido estava morto. Não houve traição, caramba. Fosse o inverso, ninguém iria fazer montagens com o rosto de Rick, chamar Lori de "corna", pelo contrário, legiões de pessoas iriam às redes sociais dizendo que ela deveria aceitá-lo de volta, afinal ele achava que ela estava morta. Este é o ponto.
    E se há gente reclamando sobre representação de estereótipos femininos, é porque eles realmente existem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse comportamento com a Lori foi o que melhor demonstrou a forma com que mulheres que não seguem a "cartilha" são tratadas. E até aquelas que seguem, cedo ou tarde, farão algo que vai desagradar os machistinhas. Você falou tudo, se fosse o contrário, o Rick não seria o putinho vagabundo.

      Excluir
  3. Acho uma pena esse trailer do novo Caça-Fantasmas ter sido tão mal recebido. Concordo que ele não ficou muito bom. Não curti os efeitos especiais, achei que ele falou demais da trama e concordo com as críticas sobre ele ser um pouco racista e estereotipado com negros (três cientistas brancas, uma "malandra" negra que sabe tudo das ruas).

    Mas ainda estou com esperança de que pode ser um filme bom. Estava entre os filmes que eu mais queria ver esse ano e era ida certa ao cinema. Agora vou esperar os outros trailers e talvez os primeiros reviews. Espero muito que ele seja bom.

    ResponderExcluir
  4. Perdoe se meu comentário não acrescenta nada, mas: amo esse post! Queria imprimir e colocar na porta da minha escola!

    ResponderExcluir
  5. Otimo post. Publiquei o link na minha pagina no Facebook. https://www.facebook.com/livrogravidade/?ref=bookmarks

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris