Resenha: Mythos, de Stephen Fry

Os mitos gregos estão ao nosso redor o tempo todo. Das missões Apollo, ao sabão Minerva, às futuras missões lunares do projeto Artemis, com Eros batendo suas asas apaixonantes por aí. Sempre curti os mitos gregos, mas ainda não tinha me deparado com um livro tão legal quanto este de Stephen Fry. Fãs de mitologia vão se jogar neste livro da mesma forma como eu me joguei!



Parceria Momentum Saga e
editora planeta


O livro
Os mitos sobre deuses, ninfas, titãs e suas brigas descomunais são contadas e recontadas desde tempos imemoriais. Expressões como Cavalo de Troia estão no dia a dia de muita gente, bem como Calcanhar de Aquiles. É inegável a intensa influência dos gregos na sociedade ocidental, em especial com sua mitologia e seus deuses ciumentos. Mas não é todo mundo que consegue pegar uma Ilíada ou uma Odisseia e ler. Há um estranhamento pela forma da narrativa, ainda mais para as audiências mais novas, quando se trata dos clássicos.

Resenha: Mythos, de Stephen Fry

É por isso que livros como Mythos são legais, pois a forma como ele reconta o mito grego de criação e as lambaças de seus deuses e titã é deliciosa. Até a pessoa menos avessa nos mitos e nomes vai se divertir, pois isso não é bem um livro, mas um bate papo entre o autor e seus leitores, praticamente uma mesa de bar. É justamente o jeito de narrar os mitos, ainda que peque na falta de profundidade, que faz do livro tão divertido.

Basta dizer que os gregos achavam que foi o Caos que, com um suspiro intenso, ou um grande encolher de ombros, ou um soluço, vômito ou tosse, começou a longa cadeia da criação que terminou com pelicanos e penicilina e sapotis e sapos, leões-marinhos, leões, mar, seres humanos e narcisos e assassinato e arte e amor e confusão e morte e loucura e biscoitos.

Página 15

Com essa linguagem acessível, Stephen começa narrando a origem do mundo pelo ponto de vista dos gregos e seguindo então para o nascimento dos deuses. Ao longo das explicações, Stephen traz curiosidades, origens de várias palavras, o que nos mostra o quão longe os mitos foram, além de notas de rodapé para ligações com a cultura pop ou explicações científicas para algum fenômeno. Neste começo, temos a criação do universo, culminando com Zeus libertando seus irmãos de seu pai e iniciando a terceira ordem da criação.

A narrativa é ágil e muito gostosa. Mesmo quando Stephen dá uma pisada no freio para detalhar melhor algum mito, ela não é maçante. Sempre vi a família divina grega como um grande Caso de Família, com fofocas, com tretas, com traições e Stephen eleva isso à enésima potência com a forma de contar e narrar os eventos. Os deuses são mais nossa imagem e semelhança do que o contrário pela quantidade de confusões causadas por eles. Se tivesse um Bib Brother no alto do monte Olimpo, a novelização dessa temporada caberia em Mythos.

Apaixonado desde criança pelos mitos gregos, Stephen admite que entre todos povos e lendas de outras culturas que estudou, as histórias gregas nunca o abandonaram por sua paixão, pelo humor, pela intensa riqueza de detalhes das narrativas e particularidade de cada figura mitológica. Se antes as pessoas eram ensinadas nas artes clássicas e eram introduzidas ao latim, ao grego, logo na infância, hoje não precisamos mais de todo o classicismo para apreciar uma boa leitura. Ainda que você conheça pouco ou quase nada de mitos gregos, Stephen vai te guiar pelas trilhas do mundo, até o monte Olimpo, até a ilha de Chipre, lar de Afrodite e vai te dar incríveis histórias de amor, intriga, inveja e guerra.

O livro em si está um primor. Além de ter capa dura macia, igual à capa gringa, o trabalho gráfico é primoroso, com estampas gregas, ilustrações abrindo os capítulos e a tipografia também imita letras gregas. Logo no começo temos um mapa, ainda que sem escala, do mundo grego e onde muitas ações acontecem, além de uma árvore genealógica dos deuses, desde aqueles da segunda ordem, como Gaia e Urano até os olímpicos, que começaram com Cronos e Reia. Todos os nomes que conhecemos estão aqui: Afrodite, Atena, Hefesto, Zeus, Hera, além dos muitos outros.

A tradução ficou na mão de Helena Londres e praticamente não há problemas nem com a tradução, nem com a revisão do livro. Alguns problemas pontuais como uma letra não batida, mas que não chegam a atrapalhar a leitura.

Assim como uma pérola é formada em torno de um grão de areia, assim também uma lenda é considerada como sendo construída em torno de um grão de verdade.

Página 359


Ficção e realidade
Stephen Fry explica que não era sua intenção reinventar os mitos, apenas contá-los e de uma maneira que fosse moderna, divertida, que conseguisse passar a mensagem original. E acho que ele conseguiu isso muito bem. A ideia é apenas avivá-los, mantê-los vivos para uma geração e para a seguinte poder recontá-los mais uma vez. Por mais que as histórias possam ser consideradas apenas ficção, que sejam construtos imaginativos e simbólicos, eles tinham sua função em sua época e hoje servem para nos mostrar a intensa criatividade e inventividade gregas. Mas mesmo sendo apenas ficção criada por gregos criativos, essas histórias são inválidas? A humanidade deve muito de sua sociedade à nossa capacidade de criar e contar histórias. E é por isso que os mitos ainda importam.

Stephen Fry

Stephen Fry é um ator, escritor, roteirista, apresentador de televisão, cineasta e comediante britânico. Trabalhou várias vezes com Hugh Laurie e Rowan Atkinson. Mythos é seu décimo livro.


Pontos positivos
Capa dura
Mitologia
Bem escrito e pesquisado
Pontos negativos

Pode ser lento em algumas partes


Título: Mythos
Título original: Mythos
Autor: Stephen Fry
Tradutora: Helena Londres
Editora: Planeta (selo Minotauro)
Ano: 2019
Páginas: 368
Onde comprar: Amazon


Avaliação do MS?
Se você, assim como eu, é fã de mitos gregos e histórias de amor e traição entre as divindades, se joga nessa leitura. Ela foi tão proveitosa e gostosa que agora quero sair indicando para todo mundo, fã de mitologia. De tudo o que eu já tinha lito sobre mitos gregos, este foi sem dúvida o mais divertido e bem escrito em muito tempo. Cinco aliens para o livro e uma forte indicação para você ler também!

MARAVILHOSO!

Θα σας δούμε αργότερα!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.

O mesmo vale para comentários:

- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.

A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.