Resenha: Extraordinárias, mulheres que revolucionaram o Brasil, de Aryane Cararo e Duda Porto de Souza

Eu cresci conhecendo os nomes dos grandes sujeitos da história na escola. Onde estavam as mulheres? Será que elas não existiam? Claro que existiam, mas seus nomes foram esquecidos, ocultados, seus feitos diminuídos. Se pelo mundo isso acontece, no Brasil não é diferente. É por isso que este livro é tão importante, pois resgata algumas das mulheres mais importantes de nosso país.



O livro
O livro foi feito de mulheres para mulheres. Extraordinárias é uma homenagem e também o pagamento de uma dívida histórica com muitas mulheres, como Madalena Caramuru e Dandara. Seus feitos foram muitas vezes diminuídos ou relativizados, até mesmo esquecidos e apagados completamente. De Madalena Caramuru, por exemplo, temos escassos e fragmentados dados. O livro reúne mulheres cuja vivência foi marcada pela coragem de transgredir as regras quando era necessário, até mesmo subvertê-las a seu favor.

Resenha: Extraordinárias, mulheres que revolucionaram o Brasil, de Aryane Cararo e Duda Porto de Souza

A escolha das homenageadas privilegiou as diferentes áreas de atuação, que vão desde a educação, a luta pelos direitos humanos, medicina, direito ao voto, luta contra a escravidão e ciência. Não são todas as mulheres brasileiras, obviamente, mas é um início de um movimento que vem trazendo cada vez mais livros deste tipo, atingindo meninas e mulheres, mostrando que elas têm tanto direito ao mundo quanto qualquer um.

Como crescer e ocupar lugares de destaque sem exemplos? Não podemos ser aquilo que não conhecemos ou que não existe. É preciso ter o exemplo, é preciso saber deles e conhecê-los, estudá-los. Por isso tantos nomes são resgatados e seus nomes são colocados nos lugares que lhe são de direito. As brasileiras também precisam deste destaque.

Anita Garibaldi e Dandara
Anita Garibaldi e Dandara

Se várias gerações crescem sem saber quem são as mulheres que fizeram nossa história, que lugar no país e no mundo somos preparadas para ocupar? É urgente falar, conhecer, ilustrar e dar espaço para essas brasileiras que deixaram sua marca e se tornaram um divisor de águas em suas áreas.

Página 9

Cada homenageada tem uma linda ilustração feita por artistas brasileiras e dados corroborados com cientistas e livros, além de um panorama histórico quando necessário para contextualizar a pessoa e seus feitos. São pernambucanas, baianas, paulistas, mulheres de cima a baixo do Brasil. Alguns nomes são já conhecidos do público, como Chiquinha Gonzaga, que foi tema de uma série de televisão, Zuzu Angel que foi tema de filme e Maria da Penha, que nomeia a mais importante lei para proteger mulheres no país.

A capa do livro tem um acabamento especial, espelhado, com efeito arco-íris. No final temos uma linha do tempo onde cada uma dessas mulheres aparece e um glossário que enriquece a leitura com informações adicionais. Cada mulher tem também uma bibliografia especial para você consultar e uma biografia das autoras, Aryane e Duda e das nove ilustradoras. E como todo livro da Seguinte, a orelha da contra-capa vem com um marcador de livro para você destacar. Eu sempre uso minha tábua de corte, um estilete e régua para destacar os meus. ♥️

Obra e realidade
Um livro de mulheres para mulheres... Seria esse meu sonho desde sempre? Minha infância e adolescência foi cercada pelo mundo dos feitos masculinos. Não se ouvia falar de grandes mulheres. Fiquei tentando puxar pela memória se eu soube de alguma grande mulher naquela época e os únicos exemplos que eu tinha eram o da minha mãe, sempre batalhadora e me criando sozinha e da minha avó. Eu estava cercada de grandes mulheres do dia a dia, do cotidiano. Elas foram meus exemplos.

Na escola, foi a mesma coisa. Era como não existir para a história, para a ciência, para nada. Eram notas de rodapés, esposas e filhas. Nunca as protagonistas de grandes feitos.

Aryane Cararo e Duda Porto de Souza

Aryane Cararo é jornalista há 20 anos, com foco no universo materno e infantil, especialmente em literatura infanto-juvenil. Trabalhou como editora-chefe da revista Crescer e foi editora do suplemento infantil Estadinho, além de ter colaborado com jornais e revistas diversos. Tem pós-graduação em jornalismo literário pela ABJL e mestrado em estética e história da arte pelo MAC-USP.

Duda Porto de Souza é responsável pela criação da primeira Biblioteca Multilíngue Infantil pública do Brasil, localizada em São Paulo. Jornalista, já colaborou com diversas publicações do segmento infantil. Já participou do desenvolvimento de exposições de grande público, além de atuar como consultora na criação da primeira galeria de arte de Manaus. É professora-convidada do curso de Artes Visuais do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo.

Se você é uma mulher que nasceu e viveu no Brasil e que teve que passar por tudo que você teve que passar, já pode se considerar uma mulher revolucionária.

Jout Jout

Pontos positivos
Ilustrações e arte
Brasileiras de destaque
Pesquisa
Pontos negativos

Acaba logo!

Título: Extraordinárias, mulheres que revolucionaram o Brasil
Autoras: Aryane Cararo e Duda Porto de Souza
Ilustração: Adriana Komura, Bárbara Malagoli, Bruna Assis Brasil, Joana Lira, Helena Cintra, Laura Athayde, Lole, Veridiana Scarpelli, Yara Kono
Editora: Seguinte
Páginas: 208
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
Um livro não só para ler e conhecer mulheres incríveis, mas também um livro para servir de referência, aquele que você pega de vez em quando relê algumas passagens, admira os textos e as belas ilustrações, se inspira e admira. É uma obra não apenas muito bem-vinda para nossas estantes como também para o momento em que vivemos, onde a força e a voz da mulher estão sendo atacadas todos os dias.

Leitura essencial!

Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, com Desconhecido ou Unknown no lugar do nome, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.