Resenha: Uma casa no fundo de um lago, de Josh Malerman

Caixa de Pássaros foi um livro angustiante. Eu o devorei em um dia ou dois, incapaz de parar de virar as páginas. Foi por isso que quis ler Uma casa no fundo de um lago, já que o estilo do autor tinha me cativado. Mas algo aqui não deu muito certo...



Este livro foi uma cortesia da Editora Intrínseca


O livro
Esse não é bem um livro, é mais um conto, pois são apenas 160 páginas. James e Amelia são dois adolescentes que marcam um encontro. James tenta ser romântico e a convida para andar no lago, usando o barco do tio dele. Estão navegando no barquinho tímido quando percebem que não são apenas dois lados interconectados, não três. O terceiro mal é visível para quem está navegando. E logicamente os dois estão curiosos demais para deixarem para lá.


Quando chegam do outro lado depois de passarem por uma estreita passagem, eles percebem como o lugar é diferente do restante do lago. Parece lúgubre, isolado demais. Mas isso não é o mais perturbador, mas sim o fato de haver uma casa inteira, com janelas, portas, móveis e objetos no fundo do lado. Impossível resistir à tentação juvenil de investigar, certo? A casa se torna uma obsessão dos dois, que se revesam nadando até ela.

Só porque a casa está vazia, não significa que não tem ninguém dentro.

As ações acontecem bem rápido aqui, até pelo tamanho da história. Você nem espera muito para que a casa e seu mistério apareçam. Isso não teria me incomodado se não fossem os diálogos imaturos e inúteis em várias partes do livro. A investigação da casa pelos adolescentes começa a mostrar coisas esquisitas, como o fato de a casa não ter nenhum objeto flutuando. Estão todos firmes em seus lugares, até mesmo as roupas.

Apesar dos problemas, o mistério da casa tinha me fisgado, mas aí você chega ao final, e a história não entrega o que prometeu. Ela termina de um jeito que merecia mais explicações do que simplesmente acabar daquela forma. Para quem escreveu Caixa de Pássaros, este livro não parecia ser algo do mesmo autor. Ele não precisava explicar a trama, podia ter feito o que fez em Caixa de Pássaros e dar apenas as pistas e deixar que nossas mentes completassem os espaços. Mas não, ele não fez isso.

A coisa toda termina abruptamente, sem mais nem menos. Se a casa tinha alguma coisa morando dentro dela você não sabe quem ou porque, se a casa era uma passagem interdimensional, você não fica sabendo, se a casa era um refúgio dos medos do jovem casal, você não fica sabendo. Como eu disse, ela acaba assim, do nada. Cheguei ao final sem saber o que tinha lido.

A edição da Intrínseca está bem caprichada, com uma arte muito bonita e perturbadora da casa na capa e na contracapa. Por dentro, gotas d'água completam o projeto gráfico. Uma pena que um projeto tão legal não combinou com o enredo.

Ficção e realidade
Josh é autor de contos, novelas e romances e vocalista e compositor na banda The High Strung. Fiquei triste de não ter gostado desse livro, pois Caixa de Pássaros me fisgou de verdade. E sei que muita gente odiou o livro. Acredito que sejam apenas estilos diferentes. No caso dessa casa misteriosa e o lago esquisito, Josh parece ter se perdido no enredo e acabou finalizando de forma diferente de quando começou. Nossa história não acaba aqui, rapaz.

Josh Malerman
Josh Malerman

O que havia com as estrelas que, não importava quando iluminassem o céu noturno, não conseguiam eliminar a noite?

Página 90

Pontos positivos

Capa
Projeto gráfico
Pontos negativos
Final em aberto
Diálogos pobres
Personagens rasos

Título: Uma casa no fundo de um lago
Título original em inglês: A House at the Bottom of a Lake
Autor: Josh Malerman
Tradutor: Fabiana Colasanti
Editora: Intrínseca
Páginas: 160
Ano de lançamento: 2018
Onde comprar: Amazon

Avaliação do MS?
É, que pena mesmo. Quando você sabe que o autor tem muito potencial e ele não consegue é sempre triste de ler. O que deu certo em outros livros, não deu aqui. Paciência. Dois aliens apenas.


Até mais!

Já que você chegou aqui...

COMPARTILHE

Seja o primeiro a comentar.

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, em caixa alta, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.