Ihh... deu ruim!

quinta-feira, março 05, 2015

Produzir conteúdo não é tarefa fácil. Seja escrevendo em blog, seja escrevendo livros, contos, escrevendo em fóruns... Trazer conteúdo original, diferente, novidades, fazer textos interessantes de serem lidos ou vídeos bacanas para se assistir requer, muitas vezes, pesquisa e horas de dedicação. E tem momentos que, infelizmente, não dá.




Eu lido com muitas informações todo dia. Mal acabo de acordar e já estou no celular vendo emails, mentions no Twitter, no Facebook, se o post programado foi publicado. Recebo links, tenho que moderar comentários (e às vezes denunciar perfis por isso), enfim... É como abrir uma torneira e ir fechando aos poucos enquanto resolvo o que fazer com cada informação. Posso armazenar para leitura futura no Evernote, posso twittar, posso colocar na página do Saga no Facebook, posso usar como inspiração para um post. Quem sabe?

Mas às vezes, mesmo com essa torrente de informações, não surge inspiração para escrever. E não adianta forçar. Nada vai sair. Além das questões de saúde que me obrigam a descansar periodicamente, produzir conteúdo é difícil. Acho mais fácil escrever uma resenha - afinal eu já sei do que se trata e é meio caminho andado - do que sentar e começar um post do zero. Aí eu saio na caça das imagens, ajusto, corrijo, programo, posto, e sempre tem um errinho, sempre tem algo para arrumar.

Passando em brancas nuvens...

Nos dias em que isso dá certo, ótimo. Mas nos dias que não dá... prefiro nem publicar. Em abril, o Momentum Saga faz cinco anos. Gente, cinco anos é muita coisa. Pode não parecer, mas essa é uma longevidade que muito blog não consegue alcançar. E produzir conteúdo semanal requer muita dedicação. Tem momentos que também tenho que ter saco, pois o blog tem uma facilidade pra atrair troll imbecil que é impressionante.

O blog surgiu para eu poder escrever, principalmente. Divulgar meus textos, pontos de vista, produzir conteúdo. Conheci gente nova, alguns que não serviram para nada além de pura aporrinhação, mas 90% dessas pessoas são maravilhosas. E sei que isso veio do trabalho aqui no MS. Só que há momentos em que a cabeça não aguenta. A gente precisa desanuviar. E forçar uma escrita não é legal. Quantas vezes você leu alguma coisa e sentiu aquilo não ficou bom? E não é só em blogs, em livros, na internet. A mão de quem escreveu não devia estar no ponto.

O post de quinta foi algo que ficou me martelando, martelando e eu pensei... "KCT, não vai sair nada daqui, pra que vou forçar??". O jeito foi parar e ocupar a cabeça com outras coisas. Organizei um caderno de finanças, um caderno de leituras, atualizei meu GTD e dei um jeito nas entradas, limpei o computador e arrumei a área de trabalho, encontrei algumas músicas que procurava faz tempo. Deu ruim aqui? Fui cuidar da vida analógica. Todos nós precisamos de momentos de desconexão de vez em quando.


Nessas horas, apenas... pare. Sei que muitos leitores do Saga também têm blogs. Não deu vontade, não surgiu inspiração, não achou conteúdo? Não force, desconecte e faça alguma coisa. Assuntos sempre existem, mas ninguém é obrigado a estar disposto 100% do tempo para isso. Nem você. Por isso, não force a barra. Relaxe.

Até mais!



Leia também:
Deixa rolar, miga
Deu branco



Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

1 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris