William Shatner quer saber!

segunda-feira, maio 20, 2013

William Shatner em seu site pessoal, fez uma pergunta aos fãs e seguidores que achei muito pertinente. O que ele quer saber é simples: sua carreira foi afetada por Star Trek ou pela ficção científica? Para algumas pessoas que não entendem a importância de ambas para a cultura, pode parecer que não existe influência nenhuma. Mas aposto que uma legião de fãs acabou seguindo a ciência, inspirando-se nas aventuras espaciais de Kirk, Picard e companhia.



A mensagem dele diz mais ou menos o seguinte:

Amigos,

Estou procurando por histórias verídicas em como assistir Star Trek (qualquer série) afetou depois as decisões em suas carreiras. Você seguiu carreira em ciência ou aviação ou tornou-se um astronauta por causa de Star Trek ou da ficção científica?

Quero ouvir sua história. Por favor, me mande um email sobre como Star Trek o fez escolher sua carreira.

É bastante interessante ver que tem alguém da própria série pensando na influência que uma franquia icônica teve sobre milhões de fãs e busca conhecê-los melhor para avaliar o impacto que isso causou. São 47 anos desde a estreia da série clássica, cinco séries de televisão, uma série animada, doze filmes e um mercado que fatura ainda hoje com os produtos licenciados. Além disso, a própria ficção científica em livros, filmes e na TV formaram fãs fiéis, onde muitos certamente foram influenciados de alguma maneira pelo o que viram e leram.

A Nova Geração.

Eu era criança, por volta de 7 ou 8 anos e lembro que a antiga TV Record, antes de... ser o que é hoje, reprisava a série clássica de Jornada nas Estrelas e já naquela época lembro de acompanhar os episódios. Depois, com a TV a cabo, eu pude ter contato com as outras séries não só de Star Trek, como de outros enredos, vi muitos filmes, tive conhecimento de livros e autores que desconhecia e sei que tudo começou com a série clássica, o interesse partiu daí.

Se a ficção científica não me influenciou completamente na carreira, certamente me influenciou na cultura em geral, especialmente na literatura, pois é o gênero que mais consumo e indico, tendo até criado um blog a respeito. Com relação à carreira em ciência, agora com o mestrado em paleontologia é que estou aos poucos me embrenhando e adorando cada minuto passado na frente de um microscópio, de uma lupa ou limpando um fóssil. Não posso deixar de pensar nas aventuras em mundos desconhecidos, encontrando civilizações perdidas, plantas e animais cada vez que faço isso.

Frases de personagens, roupas personalizadas, produtos como cadernos e canetas, eu consumo ficção científica o tempo todo. Como negar a influência deste gênero em minha vida? E o que dizer da influência da série na própria cultura e tecnologia, onde eles previram o celular, os palms e tablets, viagens espaciais? A NASA, depois de uma campanha de fãs, nomeou um de seus ônibus espaciais de Enterprise.

Tripulação clássica.

A influência é imensa e talvez nem seja possível mensurar sua extensão. Se você gostou da ideia de Shatner e quer compartilhar sua história, mande um email para ShatnerScifi@gmail.com. E eu também quero saber. Deixe seu comentário sobre Star Trek e ficção científica e em como isso influencia sua vida. Estou curiosa.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris