O fantástico mundo da literatura "mais do mesmo"

quarta-feira, maio 15, 2013

Eu ando de saco cheio da mesmice. Ela tem atacado várias vertentes do entretenimento, não é só a literatura, mas acho que neste espaço o fenômeno tem tomado proporções absurdas. Capas iguais, estilos iguais, enredos iguais, preços nas alturas. Sério, eu tenho procurado livros bons para comprar e está difícil.





Quero deixar claro que não critico quem leia, acho que cada um tem seu estilo próprio, curte coisas que eu não curto ou podem não curtir nada do que eu costumo ler. Viva a democracia, acho que até os livros ruins são importantes, pois ajudam a definir o nosso estilo, ajudam a encontrar um tipo de enredo que nos agrada. O importante é ler e fazer disso um hábito, pois ele é necessário. O problema é ver mais do mesmo.

Olhando no Skoob, olhando em livrarias e blogs literários que anunciam lançamentos, tem pouca coisa ali que me chama a atenção de pegar e levar para casa para ler. Os temas em geral seguem a linha de moça bonita que conhece cara bonito e juntos resolvem um mistério, ou então moça bonita que tem um destino, ou moça sem graça conhece o pica das galáxias e faz tudo o que ele quer, moça que descobre algo tenebroso sobre sua família... Quando um lançamento sai com essa temática, as editoras fazem a festa e lançam trocentos na esteira para poder entuchar as prateleiras das livrarias com o mesmo tema.


Aos poucos, o mercado literário brasileiro tem crescido. Não se compara com mercado externo, mas de qualquer maneira o brasileiro tem começado a ler ou dar mais valor ao hábito. Com a chegada dos ereaders, acredito que gente que antes tinha preguiça de ler possa se interessar por esta tecnologia e aliar o útil ao agradável. Cultivar a leitura desde criança cria leitores no futuro. Cria um público fiel.

Se por um lado criamos leitores, por outro criamos também autores. Um escritor é antes de tudo um leitor e ele tem que ler muito para dar a cara a tapa para construir seus próprios enredos. E aqui temos o principal problema do mercado "mais do mesmo". Escritores que não inovam, trazendo os mesmos clichês batidos mal trabalhados, pegando carona na fama deste ou daquele título. Acho que Cinquenta Tons de Cinza explica bem o que eu quero dizer.

Primeiro temos Stephanie Meyer escrevendo sobre um sonho que ela teve onde conversava com um vampiro na floresta. A partir daí, a autora escreveu Crepúsculo e partiu para os outros livros da série. Sua escrita é ruim, enfadonha, amadora, mas enfim... Ela fez o sucesso dela e ganhou uma grana alta com um enredo que acabou com a visão do vampiro como criatura das trevas. Bram Stooker chora.

Na leva de fãs de Crepúsculo, veio E.L. James, que teve a infeliz ideia de escrever fanfics sobre Crepúsculo, só que com um viés sexual, com submissão, o tal pornô para donas de casa. As tais fanfics fizeram tamanho sucesso que depois de algumas modificações virou isso daí que fez um sucesso estrondoso, vendendo 500 livros por hora e ficando no topo das listas de mais vendidos do mundo inteiro.


A lógica é muito simples. Se existe demanda, existem aqueles que precisam suprir tal demanda. Assim teremos autores escrevendo aquilo que faz sucesso. Com Dan Brown foi a mesma coisa. Ou tínhamos autores repetindo a mesma fórmula de sucesso ou tínhamos livros relacionados ao tema de O Código Da Vinci para sustentar as ideias abordadas no livro ou para desqualificá-las. Com o sucesso de Jogos Vorazes, outras distopias adolescentes surgiram. Hoje no mercado o que bomba são os romances porn. É uma pena ver que o mercado está se sustentando com mais do mesmo, pois isso inibe aqueles que queiram sair da zona de conforto literária e partir para algo diferente, pois não tem! E o que tem muitas vezes é o dobro do preço de um livrinho leite com pêra "mais do mesmo".

Eu tenho remexido em livrarias - costumo usar o site da Livraria Cultura para encontrar algo interessante por causa do tamanho do acervo - e fico frustrada em ver que a grande maioria dos livros que me interessam estão esgotados ou fora de catálogo. Mas se eu comprar Cinquenta Tons de Cinza antes das 14hs, eu recebo o livro no mesmo dia. É deprimente. E os blogs literários que deveriam impulsionar a leitura mantém o mais do mesmo.

E eu não leio apenas ficção científica, que fique claro. Eu adoro romances históricos, policiais, fantasia, mas tenho me concentrado em FC, inclusive voltando aos clássicos, ao ver a mesmice nas prateleiras das livrarias. É aquele momento literário onde ao ler um livro desses e você leu praticamente todos os outros.

Deixe seu comentário. Como você enxerga o mercado literário hoje? Ele te agrada?

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris